Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 865 / 2016

08/05/2016 - 19:58:49

Gabriel Mousinho

Missão impossível

Gabriel Mousinho

Como tem governador até agora com ampla publicidade, o governador Renan Filho vai se virar nos trinta para cumprir com o acordo selado com o governo federal para alongamento da dívida e redução dos repasses mensais.

Ficou acordada a redução de cargos comissionados, que o governador, diga-se de passagem, reduziu, aperto nos reajustes salariais um grande problema a enfrentar com os trabalhadores e corte nos gastos publicitários. Aí, é onde a porca torce o rabo.

Gastando dezenas de milhões de reais com publicidade na grande imprensa desde quando assumiu o governo, Renan Filho passou para a população uma administração de conquistas. Mas não é bem assim. Fez mais propaganda do que mesmo ações efetivas.

Em todo o contexto, o governo alardeou avanços, mas parece ter esquecido várias áreas importantes, a exemplo da Saúde, onde o Hospital Geraldo do Estado é uma referência negativa para pacientes, familiares e a própria administração pública. Ali faltam constantemente medicamentos, a água está comprometida pelas cisternas que não têm manutenção, o sistema elétrico comprometido, a alimentação de qualidade duvidosa e o ar que se respira nas alas do hospital, comprometido.

O que o governador fez para levantar sua administração, foi eleger a Segurança Pública como o seu maior patrimônio, mas muito longe ainda de que todos nós alagoanos precisamos. Com a obrigação de cortar gastos consideráveis em publicidade, o governo vai ter que inventar outra maneira para continuar dizendo que esta é a melhor administração dos últimos anos.

Muy amigo

O PMDB tem revelado nos últimos dias o seu apreço pelo suplente de deputado, Cícero Cavalcante, eterno defensor dos Calheiros na região norte do Estado. Mas, inexplicavelmente, o governador Renan Filho já admitiu apoio ao prefeito Marcos Paulo, o ´´Marquinhos´´, de Matriz do Camaragibe, exatamente o inimigo nº 1 de Cavalcante.

Cadê a Vigilância?

A Vigilância Sanitária tem se preocupado muito na fiscalização de hospitais, clínicas e outros estabelecimentos da rede privada, mas tem esquecido os hospitais públicos, a exemplo do Hospital Geral do Estado. Ali a água está comprometida, os riscos de contaminação principalmente na ala vermelha são grandes e a alimentação não é adequada nem para os pacientes, como para os acompanhantes e servidores.

Na corda bamba

O deputado Cícero Almeida alegou na sua defesa no Tribunal Superior Eleitoral que apura a infidelidade partidária, que deixou o PRTB porque teve problemas de divergências políticas e de orientação partidária. Divergências políticas até que se entende, mas orientação partidária é conversa pra boi dormir. Afinal de contas, Almeida, nos últimos anos, já mudou de partido pelo menos doze vezes, demonstrando que não está nem um pouco preocupado com a situação partidária, mas querendo apenas o seu benefício político.

Sem riscos

Mesmo que Cícero Almeida venha a perder o mandato por infidelidade partidária, o que não passa pela cabeça de seu advogado Marcelo Brabo, o deputado não ficará inelegível como andam dizendo por aí. Almeida somente deixará de ser candidato se for considerado, em outros processos, como ficha suja.

Sem pressa

O senador Fernando Collor ainda não decidiu em quem vai apoiar como candidato a prefeito de Maceió. Mas já sinalizou que não tem nada a ver com a candidatura de Cícero Almeida, que é de responsabilidade de Renan pai e de Renan Filho.

Seguindo o caminho

A prefeita de Arapiraca, Célia Rocha, deixa o PTB como fez o senador Fernando Collor. Ela se transferiu para o PSL com mais três vereadores, mas não dá mostras de que vá tentar a reeleição. Célia estaria enfrentando problemas de saúde uma campanha neste momento não seria o mais indicado para a prefeita.

Última alternativa

O vereador Silvânio Barbosa que tem defendido o deputado Cícero Almeida com unhas e dentes e que já deu partida na campanha, será talvez o último nome para figurar na chapa do ex-prefeito como vice. Cícero Almeida ainda espera o sinal verde dos Renan´s para definir quem será o seu candidato à vice.

Deixando os cargos

O PMDB já orientou a todos os deputados e senadores que seus apadrinhados deixem os cargos imediatamente no governo federal. Em Alagoas a debandada deve acontecer até a próxima semana.

Sinuca de bico

O governador Renan Filho que conseguiu avanços para Alagoas no governo federal, ficou em cima do muro quando o seu partido estava para decidir se debandava da base aliada. Com o PMDB fora, Renan Filho deve adotar uma postura diferente a partir de agora com relação ao governo da presidente Dilma Rousseff.

Dilema

Outros partidos da base aliada de Dilma Rousseff analisam a situação política e ainda resistem de acompanhar a decisão do PMDB, embora, por baixo dos panos, já negociem espaço num eventual governo do vice Michel Temer.

Gonçalves na parada

Enquanto Kátia Born desiste de sair candidata à prefeita de Rio Largo, quem arruma as malas para disputar a eleição é o ex-deputado Gilberto Gonçalves, que anda liderando as pesquisas naquela região. Gonçalves vai contar com o apoio do senador Biu de Lira.

Pra valer

O deputado estadual Tarcízio Freire deu graças a Deus ter saído do PSD e migrado para o PP. É candidatíssimo a prefeito de Arapiraca. Ele, que a pouco tempo liderava as pesquisas de opinão na região, tem revela que agora chegou a sua vez e fazer pelo povo mais humilde do município o que nunca foi feito até agora.

Efeito Lava Jato

Se os ministros do Supremo Tribunal Federal tomarem decisão ao pé da letra, não restará pedra sobre pedra na Operação Lava Jato. Enquanto as investigações avançam o número de processos dobra. Se as doações de empreiteiras forem consideradas criminosas, se salva pouca gente por aqui.

Liquida Alagoas

A Câmara de Diretores Lojistas lança no próximo dia 5 de abril mais uma promoção no comércio, desta vez em todo o Estado de Alagoas. O presidente da CDL, Fernando Azevedo, acredita que será uma semana de muitas vendas para desafogar o setor que vem sofrendo com a crise econômica. Além de instituições de porte que irão participar, a CDL conta também com o apoio da prefeitura de Maceió, prefeituras do interior e do governo do Estado.

Apelação 1

Os críticos e adversários do prefeito Rui Palmeira tentam explorar a mendicância nos bairros da cidade, inclusive no Benedito Bentes, como se outras administrações tivessem resolvido esse grave problema social de dezenas de anos. 

Apelação 2

Entre as críticas mais constantes que o prefeito de Maceió tem recebido, é que ele priorizou as áreas nobres em detrimento da periferia da cidade. Os que têm feito essas observações parecem que não têm andado pelos diversos bairros a capital, onde a prefeitura tem asfaltado centenas de ruas e investido maçiçamente no saneamento básico, além de construção de praças e áreas de lazer para as comunidades.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia