Acompanhe nas redes sociais:

21 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 864 / 2016

25/03/2016 - 10:29:11

Repórter Econômico

JAIR PIMENTEL

“A gangorra dos preços”

Ela existe em qualquer país capitalista, de preços livres, que são determinados por algo básico na economia: a oferta e a procura, além é claro dos problemas climáticos, determinados pela boa ou má safra agrícola, guiada pela chuva ou seca. Estamos no período de entre safra de raízes, por exemplo. O inhame, macaxeira e batata, estão ainda na fase de plantio, devendo iniciar a colheita em abril e maio. Assim, os preços estão em alta. É ir acompanhando cada fase e procurando no caso da entresafram substituir um produto por outro que esteja na safra. 

O consumidor, deve continuar disciplinado, pesquisando preços em vários locais, só comprando quando tiver certeza de que fez uma boa economia. No caso de material de limpeza e higiene, a dica é trocar de marcas. As opções são muitas Só não pode partir para os importados, já que o dólar vale mais que o triplo do real. Prefira mesmo os produtos brasileiros, que fazem o mesmo efeito. No caso de ter produtos fabricados em Alagoas, melhor ainda: você vai contribuir com a geração de impostos para os cofres públicos, e ainda garantir o emprego de muitos conterrâneos. 

Nova fase

Passo três dias no campo (zona da Mata), onde converso sempre com agricultores que plantam os produtos típicos da época. Todos estão animados, porque choveu no período certo, e logo terão em abundância o que plantaram, inclusive feijão e milho. Louvo o crescimento da agricultura familiar e os incentivos que vem recebendo através do crédito rural do Banco do Nordeste. Antes era tudo capim para a engorda do gado. Hoje, esses pequenos agricultores arrendam parte das terras dos fazendeiros para plantar, colher, consumir e vender o que produzem. Já têm compradores certos, através de uma associação. O caminho é esse! 

Sem agrotóxicos

A dica da coluna, economicamente e ecologicamente correta, é frequentar feiras livres que coercializam produtos sem qualquer agrotóxicos, tudo plantado na terra limpa, arada, molhada da chuva e que a semente vai germinando até a colheita. São legumes, verduras, raízes, frutas, tudo orgânico, comprovadamente. Não se compra na Ceasa, que geralmente vem de outros Estados, com a participação de atravessadores, tempo de viagem, desgaste do produto e claro, “puro veneno” com a utilização de produtos químicos, que fazem o produto aumentar de peso e garantir o lucro fácil. Previna-se de doenças e tenha vida longa. 

No supermercado

Ao se dirigir às compras, leve uma lista e siga corretamente o que você anotou para comprar. Não compre por impulso, mesmo com o produto estando em promoção. A não ser que seja o que se encontra na lista. Vá pesquisando os preços, trocando de marcas (desde que seja um simular) e leve a nota de compras para casa para comparar com a da compra anterior. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia