Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 863 / 2016

22/03/2016 - 15:50:22

São todos cínicos

Jorge Morais

Nunca na história política deste País se viu tanto cinismo como agora no governo do Partido dos Trabalhadores. Dizer que todos eles roubaram, não tenho a menor dúvida disso, inclusive já na época do nosso descobrimento pelos portugueses, quando todo ouro extraído, aqui, foi levado ou roubado para Portugal, e ainda, hoje, faz parte do dourado das igrejas, museus e prédios imponentes, em Lisboa. 

Roubaram todos os governos, militar ou civil. Alguns menos e outros mais, muito mais, como esse de agora. Adhemar de Barros foi duas vezes governador do Estado de São Paulo, o mais rico do Brasil. Seus aliados diziam: “rouba, mas faz”. E diziam isso com muita firmeza, como uma forma de responder as denúncias oposicionistas, em relação ao desvio da verba pública em obras superfaturadas.

Depois, com o mesmo estilo, até com um volume bem maior de obras e verbas, Paulo Maluf, algumas vezes governador de São Paulo e prefeito da capital, teve a ele atribuído a mesma frase: “rouba mais faz”. Em relação a Adhemar de Barros pouco ou quase nada se provou diferentemente de Maluf, que até hoje é condenado por desvio de verba pública, nos paraísos fiscais da vida.

Igualzinho a Paulo Maluf, o ex-presidente da República do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, também nega que tenha ficado rico com dinheiro (comissão) das empresas OAS, Odebrecht, Camargo Correia e muitas outras. Nega que tenha aumentado seu patrimônio com os recursos recebidos dos “amigos”, entre eles, Bumlai, o principal intermediário nesse negócio sujo da Petrobras, com as operações Lava a Jato, Zelotes, Aleteia e outras mais.

Nessa história do cinismo, como se encaixa o Partido dos Trabalhadores? Na manobra decidida no Palácio do Planalto, juntamente com a presidente Dilma Rousseff, colocando Lula como ministro de seu governo. E o que isso representa? O ex-presidente deixaria de ser investigado, provavelmente preso ao final, pelo juiz Sérgio Moro, e passaria a ter um foro privilegiado, tendo as denúncias transferidas para a Procuradoria Geral da República, na pessoa do Senhor Rodrigo Janot, gente da Dilma e do Lula, que nunca vai denunciá-lo ao Supremo Tribunal Federal.

Por isso, entendo que são todos sujos nesses negócios. O que adianta dizer que o Lula ganhou de presente um apartamento no Guarujá e um sítio ou chácara em Atibaia, com o dinheiro sujo? Nada. Porque, não vai ser dada decisão alguma contra ele, mesmo com a delação premiada do Delcídio Amaral constando nomes, fatos, exemplos, testemunhos, gravações e aquilo no ventilador para todos os lados. Uma metralhadora giratória, envolvendo ministros e parlamentares ligados ou não a Dilma Roussseff.

Será que vale a pena mesmo a gente ir para as ruas e se manifestar, depois dessa palhaçada toda da nomeação do Lula para ministro da Dilma? Você tem, ainda, alguma dúvida que o Lula não está envolvido nisso tudo? O “rouba, mas faz” é a cara do Lula. Após ser levado coercitivamente pela Polícia Federal para depor, o ex-presidente concedeu uma entrevista coletiva à imprensa para dizer que tudo aquilo não passava de uma armação.  

O Lula é daqueles que tenta justificar o injustificável. Ele alega que a perseguição existe, porque ele fez a classe pobre subir de degrau; porque ele conseguiu colocar a classe pobre na universidade; porque ele diminuiu a inflação; porque ele deu mais emprego; porque ele criou um monte de programas assistencialistas. Tudo balela. Na verdade, o Lula se encaixa, perfeitamente, na “pérola” criada para Adhemar de Barros e Paulo Maluf: “ROUBA, MAS FAZ”. Você tem dúvida disso?  

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia