Acompanhe nas redes sociais:

18 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 862 / 2016

15/03/2016 - 08:47:44

E viva a mulher !!!

Alari Romariz Torres

Todo ano, em março, comemora-se o “Dia Internacional da Mulher” e os elogios se multiplicam. Seria, no entanto, em dia tão festivo, momento para que pensemos no papel das Marias neste mundo tão tumultuado.

Meu primeiro pensamento vai para a mulher do publicitário João Santana: desceu do avião risonha, bem vestida, desafiando o mundo. Dias depois, estava descabelada, cabisbaixa, chorando, algemada. Que contraste!

Não conseguem as mulheres atingir o número ideal de parlamentares. Poucas se arriscam na política! Não sei se por medo, por falta de dinheiro, ou por falta de idealismo. Tentei uma vez, mas adoeci por conta da decepção. São muitas falsidades, pessoas sabidas demais, ou então pseudos idealistas se aproveitando da ingenuidade de alguns.

As médicas são pessoas competentes e crescem em qualidade, quantidade e, principalmente, em competência. Sempre prefiro me tratar com elas; fico mais leve, mais confiante.

Outro papel importante: as donas de casa. Lembro-me da minha mãe. Rainha, sem vice, em sua casa. Conseguia convencer meu pai de suas ideias mirabolantes. Reinou durante anos num lar de oito filhos. Morreu tranquila, pensando que ia encontrar seu rei do outro lado do mundo.

E as mulheres que têm seus filhos na cadeia! Para elas, eternas crianças, não são ladrões, assassinos, taturanas, mensaleiros ou petroleiros. São inocentes e quem quiser duvide de seus pensamentos. Quase sempre são as únicas que visitam seus filhos até o final da pena. Nem a própria esposa defende o preso com tanta dedicação.

Nosso abraço fraterno para as empregadas domésticas. Conquistaram tantos direitos, chegando a um salário maior do que o das professoras. Dedicam suas vidas a várias famílias, criam filhos de outras mulheres, enquanto os seus ficam nas creches ou com parentes ou amigos. As vitórias trabalhistas incentivaram a procura pela função. Poucas pessoas conseguem manter empregadas fixas, pois além dos salários, as patroas arcam com obrigações previdenciárias. Mas, são grandes pessoas, lutando contra um acentuado preconceito.

Na carreira jurídica existem grandes mulheres. No STF há duas ministras se destacando pelo trabalho executado. No nosso Tribunal de Justiça há uma desembargadora, cônscia do que deve fazer no meio de tantos homens. Na Assembleia Legislativa, contamos com poucas deputadas e sem destaque na política estadual. As raposas velhas abafam o trabalho das meninas; elas não conseguem suplantar as malícias de deputados sabidos demais.

Tenho três irmãs, todas inteligentes, bonitas, unidas e carinhosas. Orgulho-me da maneira como convivemos e nos entendemos. Minhas duas filhas são amigas queridas, com as quais conto nos momentos fáceis e difíceis.

Na Presidência da República se encontra uma mulher. Vinda de movimentos guerrilheiros, chegou ao mais alto cargo do país. Infelizmente, está envolvida em escândalos horripilantes e pode, a qualquer momento, ser afastada. Daí não podermos sentir orgulho de tal mulher.

Mas, conhecemos mulheres pobres, líderes naturais, empenhadas na luta contra drogas, enfrentando grandes obstáculos, salvando crianças e jovens nas periferias de várias cidades.

Não posso esquecer de minhas grandes amigas: de infância, colegas de trabalho e as que fiz durante andanças em outros estados. Por muitos anos, alimentamos fortes laços, criamos nossos filhos, chegaram os netos e continuamos com o mesmo amor fraterno de outrora.

Nas Forças Armadas, na Polícia Militar e Civil, labutam mulheres corajosas, enfrentando criminosos, assaltantes e o próprio preconceito interno.

Dentre os papéis exercidos por pessoas do sexo feminino, o mais forte, creio eu, é o de ser mãe. Ninguém entende a alma de uma mulher com relação aos filhos: eles nascem, crescem, casam e vão embora. Mas duvido que todos os dias, antes de dormir, ela não pense nas eternas crianças e não reze por elas. E não falo só na mãe biológica; refiro-me também às mães de coração. Pensam e agem como se tivessem dado à luz ao seu filho.

Meu mais honroso cumprimento às mulheres brasileiras e alagoanas! Elas merecem o olhar de Deus. E Ele existe! Não duvidem!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia