Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 861 / 2016

03/03/2016 - 21:12:06

Cristiano Matheus diz que apoiará indicação do PMDB

Posicionamento do governador Renan Filho é aguardado por grupos rivais; situação e oposição podem se unir

João Mousinho [email protected]
Cristiano Matheus espera por definição dos Calheiros para anunciar seu favorito

A eleição para prefeito em Marechal Deodoro segue em ritmo de articulações e com um grupo de oposição definido. Existem tratativas de bastidores de que o vereador Cláudio Roberto Ayres da Costa, o Cacau (PSD), e Júnior Dâmaso (PV), que na última eleição obteve 9.654 votos e ficou na segunda colocação na eleição majoritária, liderem o grupo oposicionista no município. 

O que ainda não foi definido é quem será o cabeça de chapa, mas segundo vereadores e pessoas ligadas à política local há uma ligeira vantagem de Júnior Dâmaso por já ter sido candidato a prefeito fazendo páreo com Cristiano Matheus (PMDB) em sua reeleição. Outro ponto favorável para Júnior é seu apoio do Palácio República dos Palmares. 

Na última eleição, em 2014, tanto Júnior quanto Cacau votaram em Renan Filho (PMDB) para o governo do Estado, deixando a situação em posição desconfortável, pois Cristiano é da mesma sigla do governador. Outro cenário vislumbrado na eleição em Marechal era a candidatura do vereador Jorge Mello, filho de ex-deputado Euclides Mello e sobrinho do senador Fernando Collor, mas a oposição entendeu que um racha nesse momento seria pior. 

A reportagem do EXTRA entrou em contato com Jorge Mello, que confirmou que não será candidato na chapa majoritária e que seu nome sempre foi especulado pela sua atuação parlamentar ao longo dos anos. “O projeto que está sendo conduzido por um grupo é para o bem de Marechal Deodoro, não há projetos pessoais acima do bem do município”, colocou. 

Outro personagem da política de Marechal Deodoro que foi ouvido foi o empresário Robson Rodas, que salientou: “Não tem como Cristiano subir no palanque de qualquer candidato, a imagem dele é desgastada e as acusações que são imputadas contra ele de corrupção seriam um peso para qualquer candidato que ele chame de seu”. 

Rodas ainda confidenciou que irá marchar com Cacau e Júnior Dâmaso. “São dois meninos bons; agora basta saber quem será o candidato a prefeito e o vice. Ambos estão preparados para fazerem uma grande gestão, caso eleitos”. 

Cristiano no jogo 

O prefeito Cristiano Matheus ainda não bateu o martelo para dizer qual seu pré-candidato à Prefeitura de Marechal Deodoro. O chefe do Executivo disse que aguarda a posição dos seus correligionários e da sua sigla, o PMDB. “Ainda está cedo para uma decisão, mas em breve vou me posicionar”, garantiu. 

Questionado sobre os nomes que ele entende como ideais para sucedê-lo, o atual prefeito destacou: “Albérico Azevedo, secretário de Infraestrutura, Professora Iolanda (sua vice-prefeita) e Júnior Lopes, vereador”. 

O prefeito também não descartou apoiar Júnior Dâmaso. E enfatizou: “Se o senador Renan Calheiros e o governador Renan Filho declararem apoio a Júnior eu também me associo a eles. Sou filiado ao PMDB e sigo a linha do meu partido. Não vou ser um fator impeditivo para quem quer que seja”, salientou. 

Por fim, Cristiano disse que ainda faltam alguns dias para migração de partido, “Qualquer nome que possa ir para o PMDB e tiver o apoio do senador e do governador eu vou seguir”.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia