Acompanhe nas redes sociais:

21 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 860 / 2016

27/02/2016 - 09:57:53

S.O.S Alagoas

Cunha Pinto

Mais sacrifícios

É comum no Brasil administrador público propor sacrifícios para quem trabalha, daí não ser surpresa uma proposta do ministro Arthur Chioro (Saúde) para a criação de um novo imposto este ano, que coincide com as eleições municipais. Mas fazer o quê? 

Audiência pública 

Vereadores de Maceió aprovaram requerimento da Comissão Permanente de Saúde do próprio Legislativo propondo criar agenda de audiências públicas e outros temas. Comissão é presidida por Heloísa Helena (PT) e membros Antônio Hollanda (PMDB) e Luís Carlos Santana (DEM).    

Da importância

Da vereadora Heloísa Helena (PT) sobre as audiências públicas: “São assuntos de uma extrema importância e atuais, por isso devem ser debatidos para buscar alternativas que superem as dificuldades e garantam participação dos agentes públicos e privados nos debates”.

É natural?

Que motiva medicamentos amontoados em depósitos ao invés de distribuídos à população, conforme é recomendado? Desperdício foi divulgado recentemente na imprensa e chamou atenção de setores organizados da sociedade estranhando ausência de esclarecimento.  

Merece o quê?

Chefes de executivos que guardam medicamentos em depósitos, ao invés de distribuir com a população necessitada, merecem o que além da perda do mandato? Observação teve a ver com o hábito de políticos estocarem remédios para campanha. E em 2016 tem as municipais.

Pior do Nordeste

O péssimo conceito aplicado pela Eletrobrás, pelos serviços prestados no estado, foi tema de pronunciamento na Assembleia Legislativa pelo deputado Pastor João Luiz (DEM) propondo uma CPI. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Anael) classificou Alagoas como 3º  pior estado do Brasil na prestação de serviços.  

Dúvida do pedestre

Motorista em Maceió é habitual em se defender nas ruas pregando uma “indústria da multa” e   ser ainda insistente por ignorar a lei. Já pedestres veem a SMTT fiscalizando nas ruas, mas não escondem a desconfiança de haver quem livre infratores da “dor no bolso.”

Até tu, Lula?

A presidente Dilma Rousseff que se cuide e a ver com Lula pregando em defesa da criação do “Imposto do Cheque,” que maltratou em décadas passadas a classe média. Mas é aquela do  “triste dos sabidos não fossem os tolos”. E sobre Lula, “quem te viu quem te vê”.

Fogo amigo

A campanha das eleições gerais ainda distante e a presidente sem poder ser mais candidata,  não é surpresa o ex-presidente Lula começar a ocupar espaço na mídia? Ou é apenas uma coincidência a insistência dele em soltar torpedos com críticas à companheira Dilma?

Poupança

 O governo federal propõe poupar R$ 55 bilhões este ano, montante equivalente a 1% do Produto Interno Bruto (PB). Ainda da proposta, afora o desembolso para quitar os juros da dívida pública, deixar também de gastar recursos do superavit primário. É esperar para crer.  

Medidas sugeridas

Autoridades da área econômica, para atingir meta (poupar R$ 55 bilhões) propõem criar um  programa de redução de benefícios previdenciários e sociais. É uma proposta com previsões para render R$ 18 bilhões, isso ainda neste ano. Mas são, no momento, apenas estimativas. 

Casseta & Planeta

“O sutiã é uma espécie de óculos para os peitos. Quando os peitos estão olhando pra frente, tudo bem. Mas quando começam a ficar vesgos é preciso usar óculos”. (O avantajado, livro de pensamentos editado pela turma do Casseta & Planeta).  

Para não esquecer

Do ex-ministro Joaquim Levy: “Todos estão envolvidos nessa transformação da economia”. Frase tinha como proposta o consumidor reavaliar gastos para selecionar melhor o seu orçamento dentro de limites que a sociedade suporte. Conversa tinha por trás interesse dele em reajustar impostos.    

Outros na tribuna

O deputado Inácio Loiola (PSB) autor de um pedido para abertura de uma CPI teve aval de  Rodrigo Cunha (PSDB) e Jó Pereira (DEM). Rodrigo Cunha definiu como ”uma lástima” a comunicação obscura da distribuidora com usuários. Para ele, “é um comportamento que leva a população a desconhecer os seus direitos”. 

CPI é reprise

Segundo Inácio Loiola, a CPI, sendo instalada, não será a primeira. Lembra: “Houve uma anterior, presidida pelo deputado Ronaldo Medeiros. É problema seríssimo que o Brasil enfrenta e mais cedo ou mais tarde tudo pode parar. Não temos mais energia suficiente para atender a demanda da população”.


Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia