Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 860 / 2016

27/02/2016 - 09:52:33

Esconderam de mim os estranhos estudos!!!

José Arnaldo Lisboa Martins

Todos vocês que me leem e que me acompanham, através dos meus artigos semanais,  são testemunhas das “denúncias”  que tenho feito no que diz respeito ao transporte coletivo de passageiros de Maceió. Como ex-diretor da Divisão de Trânsito do Departamento de Estradas de Rodagem, durante 22 anos, como diretor de Planejamento do Detran  durante dois anos e como Assessor Especial de Transportes da SMTT, durante sete meses, eu passei parte da minha vida profissional  ligado a trânsito, especificamente a transporte, trânsito  e sinalização de rodovias. Com tais atividades profissionais, se eu tivesse sido desonesto nelas, poderia ser, hoje, um dos ricos de Alagoas, ou, então, estar numa penitenciária, com direito a prisão domiciliar por ter curso superior, como manda a lei, já que não somos iguais, como diz a Constituição.  É que no ramo empresarial existem poderosos que, alguns milhões para eles, são verdadeiros  “café pequeno”. 

Há alguns poucos anos atrás, eu tenho escrito artigos, como que querendo denunciar algumas coisas que acontecem no sistema de transporte coletivo de passageiros. Num dos meus artigos, eu disse que “tivessem cuidado com as cascas de banana que acontecem nas licitações”. Estão lembrados? Em outro artigo eu disse que “alguns empresários sofrem com extorsões de certos personagens do governo”. Eu tenho todos os artigos sobre isso que eu venho dizendo, em forma indireta ou direta. Em outro artigo, eu disse que iriam acontecer litígios judiciais, como está acontecendo. Em outro artigo, eu disse que estranhava como um procurador Geral e um só julgador é que definiram e aumentaram os preços das passagens, mesmo havendo um Conselho Administrativo Municipal e uma Câmara de Vereadores que ficou calada. Ora, existem no Brasil, leis para estudos e fixações dos preços das passagens de coletivos, metrôs e táxis, sem ser necessária a interferência da Justiça, como aconteceu só em Maceió. Isso foi muito estranho. Num outro artigo, eu disse que foram gastos milhões reais com uma tal de pesquisa de “origem-destino” e de um tal estudo de “mobilidade”! Coisas estranhas!!!

Quando eu ainda estava na SMTT, eu sabia que queriam licitar somente 4 dos 5 lotes que foram licitados. Eu tive acesso aos “estudos” que vieram de Minas Gerais e que esconderam de mim. Com isso, outras empresas foram prejudicadas, bem como muitos passageiros. Alguns passageiros ficaram em linhas mais curtas, tendo que pegar 2 ou 3 ônibus para chegarem em casa. Com um tal de “temporal”, alguns se prejudicaram com viagens demoradas em linhas mais curtas. Afinal, o que mudou para melhor para os passageiros sofredores de Maceió? Que eu saiba, nada melhorou, com tantos milhões gastos, pois, as passagens tiveram seus preços majorados,  com  promessas de melhoria do sistema. Muita gente achou que piorou ou ficou a mesma coisa.

Em tempo – O meu ilustre amigo Dr. Gerson Palmeira, é um dos melhores leitores que tenho, nas sextas-feiras. Além de tudo, é bastante competente no Direito. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia