Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 859 / 2016

23/02/2016 - 18:28:43

Félix de Vandesmet

O barão francês da Usina Brasileiro

Edberto Ticianeli Jornalista
Usina Brasileiro começou a operar em 18 de janeiro de 1892

Félix Eugene nasceu na França, filho de um industrial francês proprietário de uma fábrica de fiação e lã. No Brasil, o Baron du Saint Siége Félix Eugène Wandesmet passou ser conhecido como o Barão de Vandesmet. Em Alagoas, escolheu as terras férteis de Atalaia para implantar, em 1891, a Usina Brasileiro, a primeira usina de açúcar do estado.

Antes de chegar a Alagoas, Vandesmet esteve com um amigo em Guadalupe, nas Antilhas, onde fundaram uma usina de açúcar. Chegando ao Brasil, desembarcou no Rio de Janeiro e procurou o Imperador Dom Pedro II em sua residência de verão em Petrópolis, em busca de investimentos para seus negócios, mas nada conseguiu.

Decepcionado, foi para a Bahia, onde assumiu a gerência de uma usina de açúcar. Desentendeu-se por lá e desembarcou em Alagoas, no Pilar, na época o mais importante empório comercial do interior, onde construiu a mais moderna usina de açúcar de Alagoas. 

A construção foi demorada e todos os equipamentos foram importados da Europa, que tinha a mais avançada tecnologia do ramo açucareiro. Os navios com os equipamentos faziam a lenta e perigosa travessia do Atlântico, e após chegar ao porto de Maceió, o maquinário seguia pela estrada de ferro até Atalaia, onde era desembarcado e transportado para as obras da usina no antigo Engenho Olho d’Água.

A usina teve várias denominações. “Usina Brasileiro Félix Wandesmet” desde a sua fundação até 21 de outubro de 1922, quando passou a se chamar “Usina Brasileiro Wandesmet& Cia”. O início da sua primeira moagem foi no dia 18 de janeiro de 1892, ano em que produziu uma safra de 4.000 sacas de açúcar, atingindo posteriormente a mais de 300.000 sacas.

O açúcar seguia para o Pilar, e daí, em embarcações lacustres para o porto de Maceió. Moeu pela última vez na safra de 1957/58 com uma produção de 36.562 sacas de açúcar demerara e 700 de açúcar cristal.

A instalação primitiva da usina ficou sob a responsabilidade do mecânico João Siqueira, pai dos jornalistas atalaienses Valdir e Valmir Calheiros de Siqueira. Montada inicialmente com um motor de 90 HP e 8 turbinas, sofreu reformas em 1905 passando a moendas de tríplice pressão – três motores de explosão a óleo diesel, de fabricação inglesa (Blackstone) e dois de fabricação tcheca (Esokad) comprados à Cotrimonte. A instalação destes motores coube ao mecânico João Monteiro Malheiros, conhecido por João Dezenove, por ter perdido um dedo da mão por acidente.

É do Barão de Vandesmet, também, o empreendimento que prolongou a estrada de ferro de Atalaia até a Usina Brasileiro e que construiu uma ponte sobre o Rio Paraíba. Com a estrada de ferro pronta, Vandesmet comprou duas locomotivas e as batizou de França e Brasil.

Félix Vandesmet, que era também o cônsul da França no Brasil, além de construir uma usina em Atalaia, instalou também no Pilar uma destilaria de álcool, cuja matéria prima – o mel – era fornecida pelos engenhos de açúcar daquele município e de Atalaia.

A Usina Brasileiro passou a se constituir num modelo de empreendimento industrial para a sua época. Na área de saúde, foi instalada uma farmácia que importava medicamentos da França. Médicos de renome daquela época passaram por lá.

O barão foi o primeiro a usar em Alagoas a irrigação de fazendas através de motor a gás pobre (lenha). Instalou um telefone a manivela para a sua comunicação entre a usina e Atalaia.Introduziu em Alagoas as variedades de cana de açúcar: Demerara, Barbados e White Transparent.

Outro avanço da época foi a instituição da aposentadoria dos empregados. Reservava-se parte do lucro da usina para garantir o salário integral a todos aqueles que chegavam à idade de se aposentar. Não existia legislação trabalhista no Brasil, mas Vandesmet implantou a sua própria, sendo reconhecido em todo o país por isso.

O então presidente Afonso Pena, atraído pela fama da Brasileiro, fez uma visita à usina e provou da aguardente lá fabricada, que ele próprio rotulou de “uísque Vandesmet”.

A Usina Brasileiro, mesmo mudando de nome, funcionou até 1958. Em 16 de agosto de 1929, aos 81 anos, morreu o Barão de Vandesmet.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia