Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 858 / 2016

11/02/2016 - 11:20:53

Pedro Oliveira

Corrupção brasileira em Nova York

Pedro Oliveira

(Nova York/EUA) - Assistindo os canais de televisão locais parece até que estou no Brasil. Em pelo menos 3 canais as notícias fizeram citações à corrupção desenfreada do governo Dilma Rousseff, sempre citando a figura do ex-presidente Lula como o possível mentor de toda a trama nacional que ganha o mundo nos envergonhando.

As revelações da operação Lava Jato sobre o pagamento de propinas a funcionários da Petrobras, os protestos contra a presidente Dilma Rousseff, o enriquecimento de Lula e sua família e o processo de impeachment foram destaques no programa de entrevistas “Last Week Tonight”, que é exibido pela emissora americana HBO.

Na verdade acho que por aqui a imprensa está falando mais até que os jornais e as emissoras de televisões nacionais, a maioria mantida às custas de gordas e imorais verbas publicitárias do Palácio do Planalto.

Hoje o “The Wall Street Journal” em sua edição “on line” trouxe também uma ampla matéria falando da corrupção no governo brasileiro.

No seu programa, o apresentador John Oliver abordou os casos e comentou o atual cenário político brasileiro.

O apresentador também ironizou a presidente Dilma quando ela pediu “paciência” à população e mencionou vários episódios de corrupção promovidos pelo Partido dos Trabalhadores e com toda certeza sob a proteção de Dilma e Lula.

Em menos de vinte e quatro horas após chegar em Nova York já vi tanta informação sobre a corrupção brasileira que realmente me surpreende diante da pouca importância que o americano em geral dá ao Brasil. 

O que eles pensam de nós?

Importante veículo de mídia publicou recentemente uma pesquisa com opiniões de americanos que visitaram o Brasil a negócios ou a passeio. Vejam um pouco dessas opiniões. Algumas verdadeiras, outras só lorotas.

“Os brasileiros não têm respeito por seu ambiente. Eles despejam grandes cargas de lixo em qualquer lugar e em todos os lugares, e o lixo é inacreditável. As ruas são muito sujas. Os recursos naturais abundantes, como são, estão sendo desperdiçados em uma velocidade surpreendente, com pouco ou nenhum recurso”.

“Brasileiros toleram uma quantidade incrível de corrupção nos negócios e governo. Enquanto todos os governos têm funcionários corruptos, é mais comum e desenfreado no Brasil do que na maioria dos outros países, e ainda assim a população continua a reeleger as mesmas pessoas”.

“Os brasileiros têm um sistema de classes muito proeminente. Os ricos têm um senso de direito que está além do imaginável. Eles acham que as regras não se aplicam a eles, que eles estão acima do sistema, e são muito arrogantes e insensíveis, especialmente com o próximo”.

 “Eletricidade e serviços de internet são absurdamente caros e ruins”

É mentira Terta?

Cometi uma injustiça

Em quase 50 anos de jornalismo foram poucas as vezes que tive que retificar uma informação e nunca o fiz por determinação judicial, mas sempre movido pelo meu senso de justiça e reconhecimento do erro. Na edição passada fiz uma crítica injusta ao conselheiro Otávio Lessa, presidente do Tribunal de Contas. Apressei-me em dar uma informação sem conferir e errei. Não busquei a versão verdadeira dos fatos. Ao conversar com lideranças dos servidores do TC tive a constatação de que há sim uma nova maneira de administrar o órgão com eficiência, compromisso com a moralidade e total apoio à valorização do pessoal. No Tribunal de Contas só sofreu consequências aqueles que não querem trabalhar e por anos viviam na ociosidade remunerada. Infelizmente foi este lado que ouvi primeiro. Minhas desculpas ao presidente Otávio Lessa e  a todos os que fazem o Tribunal de Contas. O faço por dever de oficio, norteado pelos princípios que sempre me nortearam em minha missão de jornalista.

Preconceito pelo “avesso” 

A Ordem dos Advogados no Brasil (OAB) entrou com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para que a Corte declare a constitucionalidade da Lei nº 12.990/2014, que reserva 20% das vagas em concursos públicos para negros nos órgãos da administração federal. A ação foi protocolada uma semana após um juiz da Paraíba garantir a um candidato aprovado em um concurso público para o Banco do Brasil direito a ser nomeado na frente de candidatos que se autodeclararam negros e que obtiveram notas menores. Na decisão, o juiz considerou a lei inconstitucional.

Considero uma aberração a posição da OAB diante de um absurdo “preconceito pelo avesso” que beneficia negros e pune alguém por ser branco. Oferecer privilégio em detrimento da cor do cidadão é errado seja qual for o lado. Isto sim é preconceito racial mesmo.

Nossa corrupção

Balanço divulgado esta semana pela Controladoria-Geral da União (CGU) mostra que, desde 2003, foram desviados R$ 2 bilhões destinados à merenda e ao transporte escolar em diversos municípios no país. Os recursos foram desviados de programas federais que recebem repasses da União.

Os ministérios da Justiça e da Educação e a CGU assinaram uma portaria conjunta estabelecendo medidas para combater as irregularidades e atuar na fiscalização desses recursos.

Ao todo, 2,7 mil municípios foram fiscalizados durante esse período. Em 199 deles foram constatadas irregularidades. Em operações conjuntas feitas pela CGU e Polícia Federal, foram presas 350 pessoas. 

“A corrupção retira recursos públicos que servem para atender as demandas da sociedade. É indiscutivelmente mais grave e doloso quando se vê desvio de verbas na educação e, ainda mais, em áreas como merenda e transporte. Estão minando a possibilidade que o jovem ou a criança venham a ter um futuro melhor”, disse o ministro interino da CGU, Carlos Higino Ribeiro de Alencar.

Proporcionalmente Alagoas é um dos estados onde mais prefeituras estão investigadas por corrupção.

Nossa Zika chega aqui

Três pessoas apresentaram resultado positivo para zika em Nova York, o vírus apontado como a causa de nascimentos de crianças com microcefalia no Brasil, anunciaram funcionários do governo esta semana. As três pessoas viajaram para áreas na América Latina onde o mosquito transmissor tem rápida expansão, segundo o Departamento de Saúde do estado de Nova York, que não especificou os locais.

Os funcionários informaram que uma pessoa está completamente recuperada, enquanto as outras duas registram melhora.

As autoridades dos Estados Unidos ampliaram para 22 o número de países da América Latina, Caribe e outras regiões que as mulheres grávidas devem evitar devido ao surto de zika.

O vírus foi vinculado a milhares de casos de nascimentos de crianças com microcefalia, que pode provocar danos cerebrais.

As autoridades de Nova York advertiram que qualquer viagem para regiões mais quentes deve seguir uma série de precauções.

Nomes que se destacam

Na equipe do prefeito de Maceió alguns nomes têm se destacado e conseguem uma excelente avaliação em suas atividades no serviço público. O “núcleo de eficiência” do prefeito conta com nomes a exemplo de José Thomaz Nonô (Saúde); Clayton Santos (Comunicação): Fellipe Mamede (Administração) Ib Breda (Iluminação); Antônio Moura (Esporte) e Fábio Palmeira (Parque Municipal), que têm dado inestimável contribuição à qualidade positiva da administração. 

O “entorno político” e o gabinete de Rui Palmeira ainda são fracos, o que não é bom em ano de eleição. Mas o prefeito sabe o que faz e saberá ajustar.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia