Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 857 / 2016

31/01/2016 - 08:06:16

Doutores em redação e em corrupção

José Arnaldo Lisboa Martins

Não são apenas as televisões, as revistas, os jornais, as rádios e as redes sociais que estão nos informando sobre a falência econômica, moral e ética do nosso corrupto Brasil. São os próprios indicadores econômicos, sociais, industriais e comerciais. São as estatísticas criminais, os hospitais sem médicos, sem ambulâncias e sem medicamentos. São as deficiências na educação e na segurança, o que vem nos envergonhando perante o mundo. É o desemprego, a carestia, a inflação e a fome. Tudo está sendo debitado ao governo da Sra. Dilma, o qual fez com que o nosso país chegasse ao caos. Estamos diante de uma  derrocada final. Com a presidente Dilma, o país parou de crescer, ficou mais pobre, faliu e ficou desacreditado perante o mundo. No mundo, sempre houve corrupção, porém, com a Sra. Dilma e com o Sr. Lula ela chegou aos limites superiores. Com o governo atual, vimos a mentira virar moda e a corrupção transformar o Brasil num bando de marginais e de ladrões de gravata. No governo da Sra. Dilma, vimos corruptos serem chamados de “vossa excelência” e senadores, deputados e prefeitos se transformarem em bandidos, em assaltantes e em quadrilheiros. O nosso país está doente e jogado nas calçadas dos hospitais e postos de saúde. Enquanto isso, centenas de hospitais se transformaram em cemitérios. Falam no combate à dengue, mas não lembram-se na fome que mata muito mais do que qualquer outra doença.  

Por sua vez, a educação está formando “doutores”, através de cursos de 3 ou 4 meses de duração, com aulas podendo ser assistidas pela televisão, à distância. Nas ruas são feitas propagandas de cursos estranhos e esquisitos. Quando eu pretendi entrar na Escola de Engenharia, tive que me submeter a um difícil vestibular, no qual só foram aprovados, 18 estudantes dentre mais de 50 candidatos. Há alguns anos passados, só existiam as faculdades de Engenharia, de Medicina, de Serviço Social, de Odontologia, de Direito, de Economia e de Educação e não tínhamos, ainda, Agronomia, Arquitetura e Geologia. Atualmente, temos doutores para tudo. Temos especialistas em poupanças, peritos em macumba, doutor-chefe da garagem do Senado, perito em loterias esportivas, doutor em jogo do bicho, doutor em vigilância, doutor PHD em condomínios, especialistas em multas de trânsito, doutor em briga de galo e em muitas outras especialidades. Estão formando doutores aos montes e dando bolsas para estudos de línguas, enquanto o Brasil está carecendo de bons médicos, de bons engenheiros e de bons professores. Atualmente, basta que o candidato faça uma redação só com 100 erros para poder ser aprovado. Estão formando muitos doutores que, não sabem, nem, como se escreve, “nóis fumo aprovado”. 

Em tempo – O conceituado médico Dr. Roberto Cavalcante é um dos meus leitores, daqueles que leem meu artigo logo na sexta-feira, cedinho. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia