Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 857 / 2016

31/01/2016 - 08:04:52

Gabriel Mousinho

Páginas policiais

Da redação

Ninguém pense que a aparente tranquilidade do prefeito Rui Palmeira é sinal de acovardamento ou mesmo de retraimento. Palmeira inovou na maneira de governar e de enfrentar os problemas.

Quando o assunto é eleição, o prefeito relutou muito até o final do ano passado de entrar em provocações, de falar de composições políticas e de sua condição natural de tentar a reeleição. Eis que, de repente, ao ser provocado, mandou um recado duro ao deputado federal Cícero Almeida, que já se declarou candidato a prefeito de Maceió.

Sem meias palavras, Rui comentou com jornalistas que tinha muito orgulho de ter tirado a prefeitura da capital das páginas policiais, com a quantidade de escândalos do passado. O endereço foi certo: o ex-prefeito Cícero Almeida, que responde a processos diversos, incluindo aí máfia do lixo e a máfia da merenda escolar, dito com todas as letras por Rui Palmeira.

O deputado ainda responde pelo envolvimento de um empréstimo na Assembleia Legislativa, que tem origem entre outras coisas na Operação Taturana. Pacato, educado, de fino trato e com uma administração decente e transparente, Rui Palmeia mandou o primeiro recado duro aos adversários e guarda outros para os momentos oportunos.

Quem vê o Rui tranquilo, sem açodamento e vidrado nas suas obrigações como prefeito de Maceió, não sabe que por trás de tudo isso está um homem que não aceita levar desaforo para casa. Ele herdou e herdou bem do avô, o Rui Palmeira, e do pai, Guilherme Palmeira, um dos homens públicos mais respeitáveis de Alagoas. 

Só na mídia

O deputado JHC, que obteve uma estrondosa votação em Maceió para federal, tem deixado uma interrogação sobre a possibilidade de uma candidatura a prefeito nas próximas eleições. Mas para as pessoas mais próximas, ainda não é a vez de JHC. Ele aproveita a mídia para ficar em evidência e dar novos passos em 2018. O mais provável é que dê apoio ao atual prefeito Rui Palmeira.

Vai pegar fogo

Mais uma vez a campanha para a Prefeitura de Maceió não será limpa, perfeita, como deseja a população. O Guia Eleitoral que diminuirá de tamanho será protagonista de acusações e denúncias. A prévia já começou semanas atrás.

Para o beleléu

A lua de mel entre servidores públicos e o governador Renan Filho parece que está chegando ao fim. A crise impõe medidas impopulares, mas os trabalhadores não admitem ficar sem reajuste salarial como prevê o governo. Afinal de contas, a inflação vem corroendo os bolsos principalmente dos mais sacrificados.

Vem greve por aí

Inconformados com a grande possibilidade de não terem reajustes este ano, os trabalhadores já se preparam para uma grande mobilização e preveem parar o Estado nos próximos dias.

Rota de colisão

A sanção do projeto sobre a implantação de Organizações Sociais pelo governador Renan Filho vai encontrar muitas resistências. Os sindicatos não concordam porque, em curto prazo, acham que a saúde vai ser privatizada restringindo o atendimento público que já é uma desgraça.

Barriga cheia

Pode ser que os trabalhadores estejam com a barriga vazia, mas juízes e desembargadores, não. O Tribunal de Justiça pagou mais de 25 milhões de reais em auxílio-alimentação, cujo crescimento é de 100% se comparado a 2014.

Quebradeira

Quem circula pelo comércio da capital é que sente as dificuldades que enfrentam os pequenos empresários. São lojas fechadas sem perspectivas de reabrir e o mais grave: demissões em massa e sem ter cliente para alugar os imóveis. Só na Avenida Fernandes Lima mais de quarenta pontos estão com as portas lacradas.

Projeto 2018

Considerado o governador mais bem avaliado em 2015, Renan Filho alimenta a esperança de ser o candidato do PMDB à Presidência da República. Vai depender de como vai se comportar seu pai em nível nacional e com os problemas que anda enfrentando em Brasília. Renan Filho sonha em participar da corrida presidencial.

Sonho distante

Todo mundo sabe que a duplicação da AL-101 Norte é um desejo de todos que moram naquela região. Mas não é com apenas 5,8 quilômetros de estrada que o projeto será realizado até Maragogi e num primeiro momento até Barra de Santo Antônio. 35 milhões de reais num projeto desses é como uma gota d´água no oceano.

Fogo de palha

De um observador político sobre a disposição do G-8 de apresentar candidatura própria à Prefeitura de Maceió: 

“Juntos eles não elegem nem um vereador”.

Cortando demais

O governador Renan Filho reduziu o número de secretarias, cargos comissiA cononados, gastos com telefones, carros, internet, mas não precisava economizar com medicamentos e alimentação, inclusive o leite para bebês no Hospital Geral do Estado.

Fechando as portas

Parece que somente a presidente do Lifal, Sandra Menezes, não sabia que a instituição estava com os dias contados, porque nada faz, a não ser produzir despesas para o Estado. E não é só o Lifal que se encontra nesta situação. Outros órgãos também estão com os dias contados e o governador não vai abrir mão de resolver o problema de uma vez por todas.

Saúde abalada

O desembargador James Magalhães está com a saúde comprometida e não deverá mais retornar ao Tribunal de Justiça. Acometido de grave enfermidade, James recebe tratamento especial em sua residência. O desembargador tem relevantes serviços prestados à justiça alagoana.

Contrassenso 1

Enquanto o governador Renan Filho bota a boca no trombone sobre as ações do governo do Estado onde parece que não existe crise, o Hospital Geral do Estado não faz o dever de casa e pacientes e acompanhantes comem o pão que o diabo amassou. De alimentação faltava nos últimos dias quase tudo, inclusive leite para as crianças.

Contrassenso 2

Por falta de ações de governos anteriores e deste próprio, o Instituto Médico Legal não tem geladeiras suficientes para armazenar corpos e os cemitérios estão abarrotados e os cadáveres sendo exportados para Arapiraca.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia