Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 857 / 2016

31/01/2016 - 08:03:53

Jorge Oliveira

Lula parece honesto?

Jorge Oliveira

Maceió - O Lula esqueceu que não basta ser honesto, precisa antes parecer honesto. Quando diz que ninguém no mundo seria mais honesto do que ele, o ex-presidente é candidato fortíssimo ao Zorra Total, o programa  de humor da TV Globo.

Mais uma vez, ele reuniu os blogueiros oficiais,  os sanguessugas que se sustentam com o dinheiro público, para defender a quadrilha petista e botar panos quentes na crise. Disse, por exemplo, que é “pertinente” a carta aberta dos advogados, defensores dos empreiteiros que estão na cadeia. O ex-presidente, com esse apoio, resvala para uma inconfidência. A de que a mensagem passou pelas mãos dos redatores petistas, com pinta de ter sido supervisionada pelo presidente do partido, Rui Falcão, antes de chegar aos jornais.

Não vamos aqui chover no molhado: repetir que o ex-presidente passa hoje o seu tempo em interrogatórios na Polícia Federal que suspeita da sua forte ligação com a quadrilha que aniquilou a Petrobras. Pelo que se sabe, nenhuma pessoa que se diz honesta é intimada pela polícia se não for para esclarecer algum tipo de crime. Nenhuma pessoa que se diz honesta é citada várias vezes por delatores como cúmplice do roubo que secou os cofres da maior estatal de petróleo do país. E nem vive às turras com a imprensa para provar que é inocente se não tiver contra ela nenhum tipo de acusação.

As palavras do Lula nas coletivas, mesmo as mais grosseiras e exóticas, antes tidas como inteligentes e sábias pela imprensa bajulativa e servil, hoje soam como expressões rasteiras, desconfortantes aos ouvidos de quem as ouve. Parte da imprensa teve que se curvar aos fatos e, para não enganar seus leitores, noticiar o que a população sabe pelos agentes federais e os procuradores públicos: a participação do ex-presidente nas tramoias do maior escândalo da história do país. Nunca, no Brasil, um governo e um partido se envolveram tanto em roubalheira como agora.

Mas o governo ainda tem muita munição para tentar abafar o escândalo. Como não conseguiu neutralizar as informações com seus blogueiros assalariados, nos últimos dias ele fez mais duas tentativas.  A primeira é deixar a Polícia Federal a pão e água cortando o orçamento do órgão para frear as investigações. As viaturas da PF ameaçam ficar no pátio por falta de combustíveis. E a outra, mais recente, é a carta aberta dos advogados como uma forma de constranger o Ministério Público e ameaçar o STF, responsável, na última instância, pelo julgamento final dos petistas criminosos.

 Essas estripulias visam, sobretudo, chamar a atenção do povo para injustiças com seus militantes. Ora, como injustiça? A Operação Lava Jato, conduzida brilhantemente pelo juiz Sergio Moro, já devolveu aos cofres públicos quase 2 bilhões de reais e outros bilhões estão a caminho, dinheiro surrupiado das estatais brasileiras. Muitos empresários meliantes, diretores de estatais e militantes do PT estão na cadeia, condenados, com provas, por formação de quadrilha.

O que essas pessoas têm em comum entre elas: a amizade com o ex-presidente Lula, de quem foram auxiliares ou até mesmo conselheiros, como é o caso de Zé Dirceu, que mofa na cadeia na companhia de dois tesoureiros do PT.  E diante desses fatos, como o Lula pode bater nos peitos e dizer de alto e bom som que é o cara mais  honesto do mundo?

 Precisa parecer honesto, companheiro Lula, se não parece piada.Conta outra...  

Eleição

Para quem já está aboletado no poder, as chances de permanecer onde está são muito grandes. Para os que querem voltar ao poder, a situação complicou. E para os novatos ainda o bicho pega. A reforma eleitoral foi feita para privilegiar a reeleição. Com a proibição das contribuições empresariais nas eleições, a situação complicou para aqueles que desejam fazer carreira po0litica.

Caixa 2

O caixa 2 vai aumentar nessas eleições, porque o empresário vai contribuir para as campanhas sem ser identificado. A reforma, que tinha a pretensão de moralizar o processo político, vai deixar uma brecha enorme para o caixa dois, com o agravante de o eleitor não conhecer o doador.

Contribuição

A contribuição individual dificilmente ocorrerá, porque as pessoas não querem se envolver nas campanhas, cada dia mais suja. Assim, o candidato que tiver poder financeiro pode, ele próprio, contribuir para a própria campanha. Com isso, os menos afortunados vão estar em desvantagem na campanha.

Partidos

Outro fator que inibe os políticos mais sonhadores está nos próprios partidos. Agremiações como PMDB, PSDB e PT vão estar com o caixa reforçado pelo dinheiro do tesouro que entra diretamente nos seus cofres. Os partidos menores não terão chances de bancar oficialmente e legalmente a campanha dos seus candidatos. É mais uma trava que inibe os candidatos, principalmente os vereadores que este ano não terão mais os programas de TV. Vão se contentar apenas com os comerciais durante a programação diária da TV. 

É o fim

As campanhas eleitorais no Brasil caminham para o fim, dos enfadonhos e intragáveis programas na TV. A próxima etapa, acredito, será acabar com esses programas e manter apenas os comerciais do candidato, o que evitaria, sem dúvida, a baixaria e o xingamento entre os candidatos. Com isso, o eleitor só tem a ganhar.

Morna

A campanha na televisão também ficou mais curta. Como encolheu também a campanha de rua. Os candidatos vão gastar menos e a cidade agradece com o desaparecimento da sujeira de papéis que emporcalha as ruas.

Silêncio

Pela primeira vez, as eleições no país farão menos barulho, reduzindo sensivelmente a poluição sonora. Estão proibidos também carros de sons e outras formas de fazer barulho para os candidatos. Leva vantagem aquele candidato já conhecido pelo seu trabalho e aqueles que tenham propostas de trabalho sérias para o seu eleitor, coisa rara nesse país de políticos tão medíocres. Portanto, viva a reforma eleitoral que caminha a passos largos para eleições mais civilizadas no país. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia