Acompanhe nas redes sociais:

16 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 856 / 2016

26/01/2016 - 08:04:41

Renans querem “revolução” no trânsito para eleger Mozart Amaral

Plano dos Calheiros inclui pistas e grotas, além do mega projeto da AL-101 Norte; objetivo é desidratar reeleição de Rui Palmeira

Odilon Rios Especial para o EXTRA
Renan Calheiros e o filho traçam estratégia para conquistar a Prefeitura de Maceió

Após declarar publicamente que não vai apoiar a reeleição do prefeito Rui Palmeira (PSDB), o governador Renan Filho (PMDB) tem nas mãos um plano ousado para eleger um nome do partido em Maceió - o mais cotado é Mozart Amaral, o secretário do Transporte e do Desenvolvimento Urbano: uma intervenção urbana em Maceió que promete alterar o trânsito nas partes alta e baixa da cidade, com foco na classe média e na periferia - especificamente nas grotas.

Parte do projeto foi descortinado no lançamento das obras da AL-101 Norte, no bairro de Jacarecica: Mozart sendo ovacionado pelas charangas pagas por algumas lideranças políticas que se aglomeravam entre petitórios, abraços e sorrisos a Renan Filho. Prefeitos – incluindo Rui- aclamando o candidato da oposição tucana na capital. E o melhor: ao lado dos deputados federais Marx Beltrão (PMDB) e Cícero Almeida (PSD).

A pasta de Mozart é uma espécie de mini prefeitura, que vai enfrentar a gestão Rui Palmeira classificada pelo secretário como “sem planejamento” e vai acumulando um “caos na saúde”- lembrada por ele como promessa de campanha do tucano.

PLANO

Na mesa do governador e do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), há pesquisas que mostram que Rui Palmeira conseguiu recuperar a popularidade de sua gestão após a Faixa Azul e ações pontuais nas áreas mais pobres- como visitas diárias a bairros.

Daí os Calheiros recauchutaram a ideia e prometem algo maior. E não é o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), uma proposta pela metade vendida em tempos de campanha pelo senador Benedito de Lira (PP), desta vez cruzando a Fernandes Lima sem sair do papel.

Aliás, ao EXTRA, Mozart Amaral é cauteloso sobre a obra:

“Não é fácil. Em uma crise dessa, como é que a gente vai dizer que isso vai acontecer? Pode não acontecer”, disse.

“Sou gestor de uma pasta importantíssima. Não posso me iludir que isso vai acontecer de uma hora para outra. Vamos procurar meios para que isso aconteça”, explicou.

Por isso, o foco vai começar este ano com 300 mil maceioenses – números do governo- que moram em grotas.

“Chegam em suas casas com escadarias acabadas, muitas vezes não têm escadarias, não tem drenagem e o Governo do Estado em ação pioneira aqui em Alagoas vai fazer investimento nas grotas. Nós estamos com projeto pronto. Teremos pequenas obras e grandes mudanças”, disse Renan Filho.

PISTAS

Paralelo ao “pequenas obras, grandes mudanças”, a intervenção de Mozart vai acontecer em terreno do Exército: uma pista ligando o Farol à A avenida Rotary, por trás do 59º Batalhão de Infantaria Militar, mais outra por trás da Fernandes Lima, no trecho da Praça do Centenário. Objetivo: ter uma segunda pista que ligue os bairros do Farol à Gruta de Lourdes.

Do outro lado da Fernandes Lima, o Cepa terá parte do seu espaço aproveitado para uma pista, saindo da Ladeira do Teobaldo, passando por dentro do Hospital Portugal Ramalho (que será desativado e vai virar um Hospital das Clínicas).

“Será uma rua paralela à Virgínio de Campos e chegará à Ladeira do Teobaldo em direção a Gruta”, disse Mosart. Parte do Hospital do Açúcar será desapropriada.

A proposta é alternativa à via em direção a Rotary, na esquina do Caldinho do Vieira, no Farol.

“Ali é um caos”, disse Amaral. Na região existe um terreno da Casal (atrás do escritório da Unimed) mais um pedaço de outro terreno - que é federal - pertencente ao Ibama. Ali será feita uma pista, contornando atrás da Ceal, passando pela Faceal e chegando à região do Hiper Bompreço da Gruta.

Se o VLT sair do papel, a Escola Tavares Bastos será retirada da Praça do Centenário e vai para outro local. Ali vai virar uma estação para o trem de superfície. O canteiro da Fernandes Lima não será mexido nem a praça. Alguns terrenos e casas ao redor da Centenário serão desapropriados mais o quarteirão após a Escola Tavares Bastos (onde funcionava a Casa do Colegial).

Na parte alta vai se mexer na Polícia Rodoviária Federal, que também será retirada do trevo no bairro do Tabuleiro dos Martins. Ali será feito um anel viário. Outra pista fechando a ligação entre o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares e a Eco Via.

“Todas as grandes obras terão ciclovias, passarelas”, disse Mosart.

Um estudo está sendo elaborado para retirar o Porto de Maceió de Jaraguá; mais outro discute se a AL-101 Sul terá cobrança de pedágio e a retirada das lombadas que, para o secretário, formam o trânsito nos feriados e fins de semana.

Na AL-101 Norte, o projeto de duplicação saiu porque, durante a campanha, e nas reuniões do então candidato Renan Filho com moradores de Garça Torta, Guaxuma e Riacho Doce, o pedido era que o trânsito na região pudesse encontrar menos obstáculos principalmente nos feriados e fins de semana, quando a região norte superlota de carros em busca das praias.

“Queremos pensar a Maceió do futuro”, afirmou.

O futuro pode estar mais próximo: nas urnas de outubro.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia