Acompanhe nas redes sociais:

19 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 856 / 2016

26/01/2016 - 07:28:48

Ali Babá e os 40 ladrões visitaram Brasília e São Paulo

José Arnaldo Lisboa Martins

Nós matagrandenses já sentimos temperaturas de 12 e de 14 graus centígrados e, nesses momentos, nós nos cobríamos com cobertores de lã, às vezes com dois deles. Lembro-me que, na minha infância, a minha maravilhosa mãe, Lysette, protegia-me do frio e, pacientemente, contava muitas estórias, para que eu dormisse e sonhasse, embalado no meu mundo infantil. Lembro-me das bonitas estórias de “Alice no País das Maravilhas”, da “Cinderela-A Gata Borralheira”, da famosa ficção de “Ali Babá e os 40 Ladrões” e, de outras estorinhas, daquelas que as crianças de hoje já não querem nem saber. O mundo mudou e com ele a inocência das crianças e dos adultos, que passaram a se ocupar muito com sexo, hoje ensinado por sexólogas para crianças de 6 anos, numa cartilha do governo da Sra. Dilma, ensinando como transa, como penetrar o pênis na vagina das amiguinhas, com direito a aulas práticas orientadas por sexólogas, inclusive, com aulas práticas. Tudo mudou para pior. Mudou a vergonha dos políticos, a decência, a moral e a ética. 

Eu lembrei-me da estória que veio das bandas das Arábias, através de um famoso romance, com o título de “As 1001 Noites”, no qual um lenhador, com o nome de Ali Babá, descobriu um tesouro, quando cortando lenha numa gruta da floresta que servia de esconderijo para 40 ladrões. Com Ali Babá, aconteceu de ele usar parte do tesouro encontrado na gruta, em plena floresta. Com a Petrobras, o tesouro encontrado, foi no  mar, na camada do pré-sal, o que vem fazendo o Brasil tornar-se o maior produtor de petróleo do mundo, segundo dizem o ex-presidente Lula e a Sra, Dilma. A estória do Ali Babá só é diferente da estória da Petrobras porque a de Ali Babá só envolve 40 ladrões, enquanto que a nossa estória está envolvendo muitas outras pessoas, ladrões ou ladras, já denunciados. Poderão, inclusive, serem inocentados, se num julgamento sério, criterioso e imparcial. No Brasil, sempre imperou ou impera a impunidade. Enquanto neste País não forem punidos os políticos, os administradores e os executivos “fichas sujas”, que estão por aí e que ainda irão ser julgados, mui brevemente iremos conhecer, também, muitos julgadores “ficha suja”, que estão “na moita”, aguardando seus milhões. Afinal de contas, quem é, realmente, o “Ali Babá brasileiro”?

Em tempo – O Dr. Antonio Basílio e seu filho, Júnior Basílio, são meus leitores das sexta-feiras. Que bom !!!!!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia