Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 855 / 2016

18/01/2016 - 16:41:19

Sururu

Máfia dos kits

Da Redação

Assim como a merenda escolar, a compra de kits educacionais virou sinônimo de falcatrua em todo o país nos últimos tempos, e parece que a máfia que atua nesse setor se mantém mais viva do que nunca. 

No governo tucano de Téo Vilela foi um escândalo atrás do outro e até hoje existem galpões lotados desses kits escolares que nunca chegaram aos alunos carentes da rede pública. 

Esta semana, a justiça suspendeu um contrato da secretaria estadual de Educação para aquisição desses benditos kits. Segundo a denúncia, a compra - no valor de R$ 6,6 milhões - foi feita sem licitação. 

Com a palavra, o secretário Luciano Barbosa, que também é vice-governador do Estado. 

Faltou combinar com os russos

O deputado Ronaldo Lessa convocou a imprensa alagoana para defender uma candidatura única à Prefeitura de Maceió, desde que seja ele o candidato.

Lessa não foi explícito nessa pretensão nada democrática, mas deixou isso claro nas entrelinhas de seu discurso manjado. Só faltou combinar com Rui Palmeira, Cícero Almeida, Kelmann Vieira, JHC, Paulão e outros possíveis candidatos a prefeito da Capital. 

Sem transparência

1 - Dos 102 municípios de Alagoas, só oito não criaram o Portal da Transparência, como manda a lei. 

2 - São eles: Barra de Santo Antônio, Belém, Flexeiras, Girau do Ponciano, Jaramataia, Joaquim Gomes, Piranhas e Roteiro. 

3 - Outros 10 municípios tentaram burlar a lei com a criação de Portais de faz-de-conta, sem nenhuma informação sobre a gastança dessas prefeituras.  

4 – Todos eles estão na mira do Tribunal de Contas do Estado, que fará uma varredura geral nas contas desses municípios. 

Sem intermediário 

Walmir Pinheiro Santana, delator da Lava Jato, revelou que Arthur Lira recebeu R$ 1 milhão de propina na roubalheira da Petrobras. 

Nada de anormal não fosse o fato de o deputado ter ido pessoalmente receber a grana, repassada pela UTC Engenharia. 

A pão e água

Dentre os oito vetos da presidente Dilma Rousseff à Lei de Repatriação, que regulariza os recursos enviados por brasileiros ao exterior sem o conhecimento da Receita Federal, está um que injetaria parte desses recursos no Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal e no Fundo de Participação dos Municípios. 

De olho na Lava Jato

A Organização das Nações Unidas (ONU) acompanha de perto a Operação Lava Jato. Para a advogada Indira Fernandes, especialista em Anticorrupção e Lavagem de Dinheiro do UNODC (Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime) no Brasil, as delações premiadas e a realização de acordos de cooperação internacional sustentam os êxitos do trabalho feito pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal para desvendar esquemas de corrupção na Petrobras.

Dia das Flores

A comunidade de matrizes africanas de Alagoas comemora neste sábado, 16, o Dia das Flores, com o lançamento de oferendas no mar, na praia de Cruz das Almas, em homenagem a suas divindades, os orixás. Será um momento para pedir proteção contra os males da humanidade e em busca de amor, paz, harmonia, saúde e prosperidade para todo o povo brasileiro.

Dentro das comemorações, o vereador Cleber Costa e a Fundação Afonso Arinos irão promover na Praça Ganga Zumba, entre 16h e 20h, a apresentação de terreiros da Mãe Mirian, Mãe Jeane e Pai Jedilson, além de banho na estátua de Ganga Zumba.

Capiba

Lourenço da Fonseca Barbosa, o popular Capiba, é o grande home-nageado do Baile Vermelho e Preto que acontece neste sábado no Jaraguá Tênis Club. Alafrevo, maestro Almir Medeiros, Sambassim, Wilma Araújo e Maria Bateria é que animarão a prévia carnavalesca que também homenageará o centenário do samba e a Banda Vulcão.

Capiba 2

Numa realização de Leonardo Júnior e Weldja Miranda e tendo por tema Capiba, o Mestre do Frevo, o baile começa às 22h30. Estrutura, equipamentos e som a cargo do DJ Peixe e de Paulo Medeiros.

PF na pista de crime financeiro 

1A Polícia Federal deve concluir as investigações sobre grandes saques em dinheiro feito pelo então Grupo João Lyra quando as empresas estavam em recuperação judicial e na mira da falência. Foram milhões de reais sacados. O inquérito está sendo presidido pelo delegado  Bergson Toledo, que já ouviu o próprio JL, José Brandão, o homem do caixa 2, e outros assessores bem próximo do empresário.

2Algumas denúncias indicam que mais gente ainda pode ser ouvida, principalmente por terem exercido forte influência junto ao empresário João Lyra. Na lista, a nissei Sílvia Sacuno, considerada a toda poderosa do grupo falido e o que era braço direito de JL, Washington Miranda, que foi enxotado pelo próprio João Lyra por ter se aproveitado do cargo

3Sobre a nissei Silvia Sacuno, a Polícia Federal também investiga como foi que ela intermediou a remessa de dólares de João Lyra da Suiça para o Brasil e se pagou os impostos decorrentes da operação. A Receita Federal também deve investigar se esses recursos foram declarados no Imposto de Renda do empresário. A grana transferida em diversas oportunidades também envolveria a ex-mulher de João Lyra, Carmosina Pereira, com a participação do seu neto, Luiz Lyra. A família de JL também quer saber o tamanho do prejuízo.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia