Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 854 / 2016

10/01/2016 - 18:30:10

MEIO AMBIENTE

JULLYANE FARIAS

Lago Poopó

O lago Poopó, localizado no departamento de Oruro, na fronteira com o Chile, tinha uma extensão de 2.337 km², mas foi reduzido a menos de 1 km² com apenas 30 centímetros de profundidade. Essa catástrofe vinha sendo anunciada há anos e tem um forte impacto ecológico, econômico, social e político. Segundo especialistas, cerca de 200 espécies de aves, peixes, mamíferos, répteis e uma grande variedade de plantas desapareceram com a seca do Poopó. Nessa semana, o governo boliviano anunciou que seriam destinados US$ 3,25 milhões para “reconstruir” o lago. 

Americanos apreensivos

Os americanos estão apreensivos com as mudanças climáticas que vêm ocorrendo nos Estados Unidos nos últimos dias. Além dos tornados, a população norte-americana está enfrentando uma diversidade de ocorrências climáticas nunca vistas antes no país. Seca no Oeste, muita chuva em alguns estados do Sul, neve e granizo em estados do Norte. Depois do calor registrado nos últimos em Nova York e Washington, o serviço de meteorologia dos Estados Unidos (Noaa) está prevendo para os próximos dias uma onda de neve e gelo em extensas áreas do país, incluindo Colorado, Kansas, Montana, Dakota do Sul e Dakota do Norte.

Cataratas do Iguaçu

A vazão das Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, está duas vezes acima da média normal nos primeiros dias de 2016. O volume está em 3,8 milhões de litros por segundo, quando o normal é de 1,5 milhão de l/s. A vazão de água acima do normal se deve à quantidade excessiva de chuvas que está caindo no estado nas últimas semanas.

Parque das Aves

O Parque das Aves, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, bateu recorde histórico de visitações em 2015. Foram 780.605 pessoas que passaram pelo local, atraídas pelas cerca de 1,2  mil aves de 140 espécies nativas e exóticas. O índice é 22% maior do que em 2014, quando foram registradas 636.452 visitações. Apesar do saldo positivo, a expectativa para 2016 é de uma pequena redução nos números por conta da atual crise econômica do país. O Parque das Aves fica ao lado da entrada do Parque Nacional do Iguaçu e está aberto todos os dias das 8h30 às 17hrs e o ingresso custa R$ 30. 

Cantareira em alta 

O nível de água do Sistema Cantareira, responsável pelo abastecimento da população da cidade de São Paulo, se mantém em elevação no início de 2016. Ele subiu 0,5% no segundo dia do ano e chegou a 30,4% da sua capacidade. No dia 30 de dezembro de 2015, o sistema registrou elevação e se livrou da dependência do volume morto após 19 meses. A reserva técnica começou a ser bombeada em maio de 2014, quando ainda havia água no volume útil. Em julho, porém, o sistema passou a operar somente com o volume morto.

Fauna Brasileira

O governo federal lançou, no final do ano passado, o primeiro Catálogo Taxonômico da Fauna Brasileira. O estudo lista as mais de 116 mil espécies de animais encontradas em território nacional, o que representa 9% da fauna mundial. Com o material, o Brasil atende à meta nacional de biodiversidade de número 19, prevista para ser alcançada até 2017, com a compilação completa dos registros já existentes da fauna, flora e microbiotas, disponibilizadas em bases de dados online de livre acesso. 

Cidade submarina

Um arquiteto belga criou um projeto de cidades submarinas autossuficientes para a utilização das 8 milhões de toneladas de lixo plástico encontrado nos oceanos. Vicent Callebaut idealizou o projeto Aequorea, onde arranha-céus flutuantes com 250 andares de profundidade seriam produzidos com impressão 3D a partir do “algoplast” – material obtido a partir da mistura dos plásticos. A bioluminescência de organismos marinhos iluminaria os ambientes internos, a água do mar seria dessalinizada para consumo, o lixo orgânico reciclado com o auxílio de algas e o oxigênio renovado por meio de dutos que chegariam até a superfície. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia