Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 853 / 2015

25/12/2015 - 18:20:05

Meio Ambiente

Redução de chumbo

Uma proposta construída pelos participantes do Seminário sobre Substâncias Químicas Perigosas e seu Contexto nas Compras Públicas Sustentáveis, diz que o limite estabelecido nacionalmente para chumbo em tintas imobiliárias deve ser reduzido de 600 ppm (partes por milhão) para 90 ppm. Sugere ainda, ampliar a lista de substâncias controladas, a serem submetidas à gestão e avaliação de risco por parte do governo brasileiro. A proposta será encaminhada para a Comissão Nacional de Segurança Química (Conasq) para ser analisada e, se aprovada, encaminhada ao Congresso Nacional.

Macacos-pregos 

Câmeras montadas para monitorar ninhos de jacaré flagraram um inesperado comportamento de macacos-prego na Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Mamirauá, interior do Amazonas. Eles não estavam apenas predando os ovos, mas utilizavam gravetos como ferramenta para fazer o trabalho. Os pesquisadores ainda não sabem por que, pois é a primeira vez que se descobre um comportamento desse, mas suspeitam que o graveto permite que acessem o ninho sem se machucar nos espinhos.

 Um milhão de árvores 

Michael Bloomberg, ex-prefeito de Nova Iorque, anunciou em 2007 a meta de plantar 1 milhão de árvores até 2017, por meio do projeto Million Trees NYC que visava melhorar a qualidade de vida da população. O objetivo já foi alcançado no dia 3 de novembro, quando um garoto de 8 anos plantou a árvore de número 1 milhão, no bairro do Bronx. A verba do sistema de manutenção é de US$ 6,1 milhões, mas para reduzir os custos, a administração pública planeja uma nova campanha, “Adote uma árvore”, que incentivará a população a cuidar das árvores do bairro.

Lua Cheia

O Natal deste ano terá Lua Cheia, fato este que não acontece desde 1977. Esse fenômeno só voltará a ocorrer em outra noite de Natal em 2034, 19 anos depois segundo a Nasa. O pico da Lua Cheia será às 9h11 pelo horário de Brasília.

COP 21 

A reunião do Clima da ONU (COP21) também serviu de pano de fundo para o lançamento de projetos promissores apoiados por investidores, como por exemplo: a Aliança solar, que consiste na utilização da energia solar nas áreas rurais; a Breakthrough Energy Coalition, que financia projetos de desenvolvimento de energias limpas; a Coalizão Missão Inovação, onde 20 países prometeram duplicar os investimentos em pesquisas de desenvolvimento de fontes renováveis de geração de energia; o Pacto Internacional sobre Água, que visa assegurar a gestão sustentável dos recursos hídricos; e, a Aliança dos Negócios para Água e Mudanças Climáticas, que tem como objetivo reduzir os riscos relacionados à qualidade e disponibilidade de água.

Gales 

No início de 2017, um pedaço da costa em Swansea, no sul do País de Gales, vai transformar-se numa lagoa geradora de energia. O projeto que está orçado em 1,5 milhões de euros vai construir um muro de 9,5 km ao longo do mar e à medida que a maré encher, a água vai começar a encher a lagoa, passando por turbinas e gerando eletricidade. A lagoa deve gerar cerca de 495.000 megawatts/hora, cerca de 11% de todo o consumo energético do País de Gales.

Zika

Oitenta por cento dos municípios com casos notificados de microcefalia associados ao zika vírus, já estavam em situação de alerta pela infestação do mosquito Aedes aegypti dois meses antes do pico da epidemia. O critério de alerta é medido por meio do Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), segundo o qual se mais de 1% dos imóveis visitados no município tiver larvas, a cidade é colocada em estado de alerta. Com base em dados do Ministério da Saúde, das 445 cidades nordestinas com casos de microcefalia, 316 fizeram o LIRAa no início do ano e 248 (78,4%) já estavam em situação de alerta ou de risco. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia