Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 852 / 2015

20/12/2015 - 07:21:00

Varredura total

Alari Romariz Torres

Estou espantada com os acontecimentos ocorridos no Brasil inteiro, referentes às investigações que a Polícia Federal fez em casas de políticos, escritórios do PMDB, residências de ministros e ex-ministros.

O dinheiro público vinha sendo usado há vários anos para campanhas eleitorais e nada acontecia. Denúncias eram realizadas a respeito de deputados e senadores que recebiam altas quantias de empresa públicas, estatais e privadas e nada acontecia. Nas eleições havia derramamento de dinheiro, políticos compravam redutos de outros e nada acontecia. Poucos eram os candidatos que se elegiam numa campanha pobre e limpa.

Havia shows de cantores famosos pelo país inteiro, muitos superfaturados, na época das eleições. Graças a Deus, o Tribunal Superior Eleitoral proibiu os chamados “showmícios”, mas não conseguiu proibir outros fatos degradantes como: compra de votos, contratação de cabos eleitorais, distribuição de verbas  a prefeitos para apoiarem candidatos à Câmara Federal, ao Senado ou aos governos estaduais e federal. 

Em Alagoas ouvíamos dizer: o presidente do Senado concentra em seu poder a maioria das prefeituras do Estado. A força do homem era tão grande que elegeu o filho para governador, um irmão para a Assembleia Legislativa, um irmão para a Prefeitura de Murici e um sobrinho para vice-prefeito da mesma cidade. E o povo insistia dizendo: “Cuidado, se você não está com os Calheiros, cuide-se. Eles são poderosos! “

Os “mensaleiros” foram julgados e condenados. Dentre eles, ex-ministros, ex-deputados, políticos sem mandato, bancários e empresários.

Na Operação Lava Jato a balbúrdia é grande. Investigados a ex-presidente da Petrobras, diretores e técnicos da empresa, meia centena de políticos com e sem mandato, grandes empresários, amigos do Lula, doleiros, lobistas, alguns dos quais já condenados.

Os “taturanas” em Alagoas ainda não foram presos, mas vários deputados e ex-deputados estão sendo investigados pelo suposto desvio de 300 milhões de reais dos cofres do Legislativo. Apesar disto, estão soltos e continuam perseguindo servidores e manipulando o dinheiro público. Pagam regiamente a 700 assessores salários dobrados e nada acontece.

Neste 15 de dezembro fomos acordados com notícias da mídia de que a Polícia Federal entrou em várias residências de políticos do Brasil inteiro devidamente autorizada pelo Supremo Tribunal Federal para recolher documentos que comprovassem delitos.

Nosso estado é privilegiado: os três senadores da República estão sob investigação. Aí, lembro-me das últimas eleições: um senador concorria à reeleição; contra ele uma vereadora que já foi senadora; ele fazia campanha rica, andava em helicóptero; ela, coitada, tinha pouco dinheiro e andava de bicicleta; ele ganhou as eleições; ela perdeu; ele está sendo investigado pela Polícia Federal e teve seus carros de luxo expostos na mídia para todo o país; ela está livre e continua trabalhando para o bem do povo. Deus está vendo!

Nas eleições passadas, vários parlamentares colocaram seus filhos como candidatos. Houve um verdadeiro show de uso indevido do dinheiro público e um deles usava os comissionados da ALE como cabos eleitorais.

Fico pensando com meus botões: com tanta gente surpreendida pela Polícia federal, quem vai sobrar para concorrer às próximas eleições? Quem vai financiar os candidatos a prefeito? As empresas vão pensar duas vezes antes de liberar quantias para os candidatos, pois vários empresários estão presos por superfaturarem obras para compensar o que foi doado na campanha eleitoral. Onde arranjar milhões e milhões de reais para pagar cabos eleitorais, comprar redutos e financiar o pleito? 

O Brasil está com seu tripé arruinado: a presidente pode ser impedida de governar, o presidente do Senado está sendo investigado, o presidente da Câmara Federal está sendo investigado. Só o Judiciário está de pé.

Ainda mantenho a leve esperança de que políticos serão eleitos com a força do gogó ou o fio do bigode.

Estarei sonhando? Não quero acordar!!!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia