Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 851 / 2015

11/12/2015 - 07:50:53

Repórter Econômico

Jair Pimentel

Bola de neve financeira

Taxas incompreensíveis, falta de transparência nos contratos, juros exorbitantes. Sinônimo de praticidade para muita gente e de pesadelo para os superendividados, o cartão de crédito pode se transformar de aliado em vilão em um piscar de olhos. Para usá-lo sem destruir o orçamento, há que ter um mínimo de educação financeira - saber, por exemplo, o quê e o quanto se paga por ele. E, além disso, ter muita disciplina. Afinal, não é porque comprou com o “dinheiro de plástico” que a conta não chegará. Ela não somente virá, como também poderá colocar suas finanças em apuros. Só um exemplo: se você recebe uma fatura de R$ 1 mil e só paga R$ 200, em um ano o saldo devedor saltará de R$ 800 para R$ 6 mil. Um impacto brutal para o consumidor que já enfrenta um período de incertezas na economia. 

A grande questão é por que os brasileiros ainda usam tanto o cartão de crédito? Simples: porque, quando bem usado, facilita a vida do consuidor. Mas é difícil não se perder em meio a tantas letras miúdas dos contratos e taxas abusivas e ainda à falta de clareza sobre juros e cobranças. Para evitar os abusos das operadoras desses cartões, identifique na fatura os juros do crédito rotativo e informe ao Procon se você tiver recebido cobranças indevidas e tarifas não permitidas ou se foi lesado de alguma forma. Lembro que cartão de crédito é igual a dinheiro em espécie. Não aceite acréscimo na conta se optar pelo pagamento à vista 

com cartão. Sem dívidas

Mais um ano que termina e, no próximo, novamente você terá que pagar IPTU, IPVA. Mas acredite, ainda tem gente devendo esses impostos de 2015. Se for o seu caso, apresse-se para pagar. Com o décimo terceiro a ser pago aos trabalhadores até o próximo dia 20. 

Pague menos 

Ao abrir uma conta corrente, é bem provável que o gerente ofereça um pacote de serviços bancários. Ao contratar um desses pacotes, você paga um valor mensal e tem direito a utilizar um número predeterminado de serviços. Mas, se o número de serviços que você tem direito de usar é ultrapassado, então é preciso pagar uma tarifa excedente. O que muitos não sabem, contudo, é que não existe obrigação de contratar um pacote ao abrir uma conta e que alguns serviços devem ser obrigatoriamente disponibilizados para o consumidor que possui conta corrente sem que haja qualquer cobrança. 

Os serviços

São esses os serviços grátis: fornecimento de cartão de débito e de segunda via; fornecimento de dez folhas de cheques por mês e sua compensação; realização de até quatro saques por mês; fornecimento de até dois extratos; realização de consultas mediante utilização da Internet; duas transferências de recursos entre contas na própria instituição por mês. 

mas quando não existiam tantas facilidades como hoje, de se viajar ao exterior, comprar produtos importados. Minha dica para quem tem reserva financeira: viaje pelo Brasil e só compre produtos nacionais. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia