Acompanhe nas redes sociais:

21 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 850 / 2015

04/12/2015 - 20:12:58

Repórter Econômico

Jair Pimentel
Jair Pimentel

Que crise é essa?

Costumo ir ao Centro de Maceió uma vez por semana. Só mais para ver como se encontra o movimento de vendas e ainda ir à Biblioteca Pública e ao Instituto Histórico com o objetivo de conseguir alguma pesquisa e usar em meus trabalhos jornalísticos e literários. Constatava sempre os sinais da crise econômica, com as lojas vazias e até mesmo algumas fechadas. Não foi esse cenário que constatei nos últimos dias, quando os trabalhadores começaram a receber o décimo terceiro salário: um verdadeiro pandemônio, gente, mas muita gente mesmo nas lojas, formando filas nos caixas, correria, gritaria dos panfleteiros oferecendo empréstimos, produtos diversos, exame de vista grátis (desde que se compre na ótica), descontos nas vendas, prazo de pagamento “a perder de vista”. Enfim, “o Brasil saiu da crise”...

Mais uma vez, fiquei constrangido diante de meus leitores. Afinal, passei o ano inteiro orientando sobre a importância de pesquisar preços, evitar juros, pagar as contas em dia, mudar de marcas, etc. E o que vi foi consumidor comprando à vista, com dinheiro em espécie, retirando de sua conta com o salário de novembro e o décimo terceiro. O movimento intenso não era só nas lojas grandes, mas também nas de pequeno porte, que tinham filas nos caixas. E esse cenário vai permanecer até antes do Natal, pois ainda falta o pagamento do décimo terceiro salário dos servidores do Estado, além da segunda parcela de todos os trabalhadores da iniciativa privada. E, então, que crise é essa? 

As dicas continuam

Entendo perfeitamente que quando se tem dinheiro no bolso o destino é um só: gastar. E aleatoriamente! Não se pensa no futuro a curto prazo. O importante é consumir. E compra mesmo por impulso, aproveitando as promoções e facilidades que os lojistas oferecem. Mas as dicas continuam, para se prevenir e ainda para pagar em dia, evitando juros e multas, lembrando sempre que essas despesas vão continuar. E mais: quanto mais aumenta a procura, mais a inflação sobe. E quem se prejudica é o que comprou. 

Pagando o que deve

Orientei, e continuo orientando, para quem ainda não recebeu o décimo terceiro salário, que pague o que deve com esse dinheiro. Mas sei que muitos pagaram sim o que deviam, mas compraram a prazo, pelo cartão de crédito ou carnê de loja. E vãoi entrar o Ano Novo como devedores. Ou seja, “no vermelho” por um bom tempo. Lembro que 2016 vai ser de mais “aperto”, com o governo tentando controlar a inflação elevando os juros e não vai conseguir baixar a inflação. A inadimplência que já passa dos 50% dos consumidores crescerá mais ainda. 

Evitando

Os importados, obviamente. Todos sabem que o dólar continua valendo mais que o dobro do real. E vai continuar assim. Em 2016 pode chegar a valer R$ 5,00. Isso já ocorreu em várias oportunidades no Brasil, mas quando não existiam tantas facilidades como hoje, de se viajar ao exterior, comprar produtos importados. Minha dica para quem tem reserva financeira: viaje pelo Brasil e só compre produtos nacionais. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia