Acompanhe nas redes sociais:

20 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 850 / 2015

04/12/2015 - 20:02:31

Gabriel Mousinho: Emissoras de rádios e os laranjas

Gabriel Mousinho
Gabriel Mousinho

O Ministério Público Federal está declarando guerra aos parlamentares que possuem concessões de emissoras de rádio e TV. Tudo bem, se milhares delas não estivessem no anonimato e em nome de laranjas.

Em Alagoas, por exemplo, só aparece o nome do senador Fernando Collor de Mello, enquanto outros políticos do mesmo quilate possuem várias emissoras de rádio em nome de outras pessoas. Se o Ministério Público não fizer uma investigação de quem é quem nesse processo, certamente vai pegar apenas 1% dos proprietários que realmente constam seus nomes no Ministério das Comunicações.

Como é sabido e somente para dar um exemplo, o ex-deputado federal João Lyra era o proprietário da Rádio Jornal, hoje Rádio Globo, mas a emissora estava no nome de outras pessoas, que amargam processos de falta de pagamento de salários, INSS, FGTS e Imposto de Renda.

Se o MP não rastrear de quem são mesmo as emissoras de rádio e TV nos Estados, volto aqui a falar de Alagoas, isso não vai dar em nada. É apenas uma questão de lógica. Quem no Estado não sabe de quem pertence vários rádios na capital e no interior?

Para se fazer Justiça neste caso, será necessário ir à fundo, investigar, colocar a Polícia Federal para atuar e descobrir, a partir dos laranjas, quem não teriam condições de comprar uma emissora e hoje figura como dono da concessão. Se não for assim, esqueçam que não vai dar em nada.

Combater o quê?

Numa situação de quase epidemia, o Ministério da Saúde passou simplesmente três meses sem mandar larvicida para Alagoas com o objetivo de combater o mosquito da denque, zika e chikungunya.

Aí é bom

O governo estadual pode não ser bom na saúde, educação e até mesmo na infraestrutura, mas tem se revelado nota 10 em publicidade. A massacrante propaganda no rádio, jornal e televisão dá a impressão de que Alagoas vai bem, obrigado.

Apressados

O mote principal da publicidade, bem feita por sinal, é de dois personagens mostrando as benfeitorias de Alagoas caminhando apressadamente. Parecendo até que estão com medo de serem assaltados.

Conversa fiada

As informações que chegam ao público de que houve uma redução de 20% nos crimes violentos e 50% nos assaltos, parecem que não correspondem com o que a população passa diariamente na periferia da cidade.

Rolete chupado

Se o setor sucroalcooleiro desse as cartas nas eleições como fazia há décadas, certamente o governo não cortaria os seus benefícios. Como já não mais são os trens pagadores das campanhas, os usineiros amargam agora a mão forte do Estado. É como diziam os mais velhos: ´´são roletes de cana chupados´´.

Milton Lyra 1

Milton Lyra, velho conhecido dos alagoanos e que já foi braço forte do ex-deputado João Lyra na época áurea do início da gestão do então prefeito Cícero Almeida, volta às manchetes dos meios de comunicação. O lobista com amplo trânsito em Brasília, segundo um manuscrito apreendido na casa do chefe de gabinete do senador Delcídio do Amaral, Diogo Ferreira, tem seu nome ligado a uma suposta propina de 45 milhões de reais paga ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Milton Lyra 2

Miltinho, como é chamado na intimidade, já foi citado por delatores como operador do Postalis, o fundo de pensão dos servidores dos Correios. Esperto, Milton já driblou quatro requerimentos para ouvi-lo na CPI dos Fundos de Pensão.

Milton Lyra 3

De acordo com a Folha de S.Paulo, uma das operações atribuídas a ele e que chamou a atenção da CPI foi à emissão de debêntures pelo Galileo Educacional, que controla a Universidade Gama Filho. O grupo, na época, emitiu 100 milhões de reais desses títulos e o Postalis, logo em seguida, adquiriu 70 milhões de reais dos papéis.

Milton Lyra 4

O estilo Milton Lyra é sempre o mesmo. Envolvente, chegou a tramar, no início da administração de Cícero Almeida, o escanteio da vice-prefeita de Maceió, Lourdinha Lyra, filha de João Lyra, que ficou, naquela oportunidade, sem gabinete e sem assessores porque não estava rezando na sua cartilha.

Milton Lyra 5

A mesma Folha de S.Paulo descobriu que o Miltinho, em pouco tempo, fez uma fortuna considerável, inclusive comprando apartamento de alto luxo em Miami, onde ´´toma Coca-cola e arrota champanhe´´. 

Milton Lyra 6

Na campanha para governador em que João Lyra foi candidato, Milton Lyra inventou os ´´homens de preto´´, que visitavam secções eleitorais em toda a cidade. Ninguém sabe para quais fins. Diante de tudo isso, Milton Lyra é o cara. Que vai ter que dar, mais cedo ou mais tarde, explicações para várias interrogações sobre suas andanças por este Brasil afora.

Outras fontes

Para financiamento de campanha, os candidatos trocaram os usineiros por empresas envolvidas em corrupção até o pescoço, como bem mostram as doações feitas consideradas legais no Tribunal Regional Eleitoral.

Prioridade

O deputado Marx Beltrão não vê outra coisa na sua caminhada política como chegar ao Senado. Atualmente o deputado comanda vários partidos em Alagoas e tem agido como um trator, passando por cima de tudo. Está confiante de que uma das duas vagas em Brasília será dele.

Desconforto

Mal acostumados, dezenas de servidores da Câmara de Vereadores não conseguem digerir a medida do presidente, Kelman Freitas, de determinar o uso do ponto eletrônico. Como a maioria não ia trabalhar, a reação é compreensível. Ninguém sabe até quando a Mesa Diretora da Casa vai aguentar o tranco.

Cruzamento de folha

A exemplo do que está fazendo o governo do Estado e a prefeitura de Maceió, nada mal de que a Câmara de Vereadores e a Assembleia Legislativa fizessem um cruzamento de folhas com todos os órgãos, sejam municipais, estaduais ou federais. Com certeza aliviariam a folha de pagamento.

Oxigenando o turismo

As ações feitas pelo prefeito de Maceió, Rui Palmeira, principalmente na orla marítima, tem trazido resultados positivos para o turismo da capital. O prefeito inaugurou esculturas de Aurélio Buarque e Graciliano Ramos, mantém impecável a limpeza da Pajuçara e Ponta Verde e acelera a construção da avenida que ligará esses bairros à Jacarecica. Sem se descuidar da periferia da cidade.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia