Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 849 / 2015

02/12/2015 - 13:05:00

Cid Porto é internado após ser resgatado de cativeiro drama familiar

Família do usineiro vai processar PSICÓLOGA Lucy Ana Moura por cárcere privado, extorsão e dopagem de paciente

Da Redação

Portador de Alzheimer e Mal de Parkinson, o empresário Cid Porto, de 76 anos, após ser resgatado do cativeiro em que era mantido pela companheira, a psicóloga Lucy Ana Moura da Silva, permanece internado em um hospital particular de Maceió, para onde foi levado no domingo (22) visivelmente debilitado e dopado. A família do usineiro vai processar Lucy por cárcere privado, extorsão e por ter dopado a vítima.

Na ação de busca e apreensão, processo nº 0700218-30.2015.8.02.0066, movida por Cid Eduardo Porto Filho e outros filhos, há relatos de que o empresário Cid Porto há alguns anos teria apresentado quadro de fragilidade mental e que “em razão desta desorientação e dado ao déficit cognitivo apresentado, podia ser induzido a erro, ludibriado e enganado”. E diante do quadro, diz o documento, Lucy Ana foi procurada profissionalmente para diagnosticar a enfermidade, onde foi diagnosticado que Cid Porto estaria com síndrome demencial, denominada Doença de Alzheimer. A família alega ainda que Lucy Ana, 30 anos mais nova que ele, aproveitou-se da fragilidade psíquica do paciente e envolveu-se em um suposto romance, excluindo-o do convívio familiar e de amigos.

O parecer do Ministério Público diz que “as provas trazidas aos autos demonstram um total descaso com os tratos necessários para com o ancião Cid Porto, o que sugere maus tratos, lesão corporal, cárcere privado e utilização no mínimo estranha de todo seu patrimônio”. E prescreve o estatuto do Idoso em seus artigos 2º, 3º e 9º. Com base na lei, no sábado, dia 21, a promotora Margarida Maria Couto Monte opinou pela concessão da liminar.

Vale ressaltar que o parecer do MP foi acatado pela Justiça que determinou a busca e apreensão de Cid Porto e que o mesmo fosse entregue aos cuidados de Cid Eduardo Filho. No mesmo documento, a juíza Olívia Medeiros determinou que Lucy Ana Moura da Silva tenha prazo de cinco dias para contestar a ação, conforme art. 802 da lei adjetiva civil.

Após repercussão do caso Cid Porto na imprensa local, centenas de pessoas se manifestaram nas redes sociais e em outros meios de comunicação dando apoio à família do empresário, a exemplo do advogado Welton Roberto que ao final do dia postou o seguinte desabafo: “Fiquei feliz por tudo que produzi e por aquilo que deixei a ser feito. Uma nova causa que me atormentava, mais pelo lado ético e justo, do que pelo lado financeiro, já que a suposta futura cliente (Lucy Ana) me prometera recompensa “milionária”, foi por mim recusada”.

ENTENDA O CASO

Cid Eduardo Porto, sócio da Usina Mandacaru - do grupo Agrovale- que atua nos estados de Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Bahia, foi afastado da direção de suas empresas quando visivelmente não conseguia administrar o patrimônio. Na ocasião, a esposa, a psicóloga Lucy Ana sumiu com o empresário fato, que levou os filhos a interpelarem-na judicialmente responsabilizando-a pelo que acontecesse ao pai.

No início deste mês de novembro, os filhos de Cid foram informados de que o pai estava recluso em um sítio na Barra de São Miguel. Ao chegar ao local, encontraram o empresário indefeso, sem comunicação e com uma ferida exposta na perna, além de problemas dentários. Eles filmaram a cena e tomaram as providências legais para remover o pai do cárcere privado. 

Vale ressaltar que quando Lucy foi contratada para cuidar de Cid Porto ele estava casado com a empresária Helena Lira, mas logo a união foi dissolvida. Em seguida, a psicóloga assumiu romance com o empresário e passou a dilapidar o patrimônio do usineiro, conforme atestam as movimentações bancárias nas contas do empresário.

Antes de assumir relação com Cid Porto, Lucy Ana, que tem um casal de filhos de dois outros casamentos, teve caso amoroso com o usineiro João Lyra e foi acusada na justiça por um dos pais de seus filhos, Daniel Kiina, de o impedir de ver a filha. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia