Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 849 / 2015

02/12/2015 - 00:00:00

A quadrilha do PT

Reinaldo Cabral jornalista e escritor

Minha coletânea de artigos publicada no meu livro lançado esta semana, Mídia e Realidade Brasileira, confirma tudo que denunciei sobre a quadrilha do PT: a prisão, pela Polícia Federal, do senador Delcídio  do Amaral (PT-AC), líder do governo no Senado, e as gravações das suas articulações para livrar da cadeia o diretor condenado por roubar mais de 50 bilhões de reais da Petrobras, Nestor Cerveró, mostram a extensão do banditismo a comandar o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional toda a administração pública do Brasil.

 O descalabro político do país tentou várias vezes decidir no Plenário do Senado,  promover uma votação fechada para facilitar o voto dos ladrões em favor do senador-bandido, mas a maioria manteve o voto aberto. E por 58 votos (sim) e 13 (não), o Plenário do Senado manteve a decisão do Supremo Tribunal Federal, mantendo  Delcídio na cadeia.

Com a decisão, o Senado evitou a ampliação do conflito político entre os poderes Legislativo e o Judiciário.A população espera agora que sejam presos também todos os políticos com mandato (50 deputados e senadores) envolvidos na Operação Lava Jato.

A QUADRILHA E SEU BANCO – Com a decisão do juiz Sergio Moro de determinar a prisão do banqueiro André Esteves, dono do Banco Pactual, abriu-se um  leque nas investigações: fica claro que a quadrilha do PT conta com o suporte de um  banco privado, sem o que não teria como roubar com tamanha extensão o setor público do Brasil.Assim, pouco a pouco, as investigações se aproximam do principal cabeça da quadrilha, Luiz Inácio Lula da Silva, cujas horas em liberdade estão encurtando com a aproximação do fim da Operação Lava Jato.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia