Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 849 / 2015

02/12/2015 - 00:00:00

A briga com os colegas engenheiros!

José Arnaldo Lisboa Martins [email protected]

É muito comum, estudantes dos últimos anos de qualquer escola ou universidade, procurar maneiras para conseguir dinheiro para as despesas com as festas da formatura, com jantares, almoços, missas, ornamentações, convites e, até, viagens de turismo. Eu e meus colegas do 5º ano da Escola de Engenharia, fizemos bingos e promovemos bailes com o nome de “festas da safira”, já que nosso anel de engenheiro é a pedra preciosa safira, portanto, da cor azul. Além das despesas citadas, nós decidimos por uma viagem à Europa, mesmo com as desaprovações de alguns colegas, pois é muito difícil conseguirmos unanimidade em decisões para uma longa viagem, como essa para o Velho Mundo.

A nossa turma era constituída de, apenas, 18 formandos, pois, o curso de Engenharia Civil sempre foi difícil e muito “puxado”, com muitas reprovações. Hoje, são muitas as vagas para os pretendentes, como são muitas as aprovações. A educação no Brasil, atualmente, acompanhou o declínio de tudo, tanto na educação, como na saúde, na economia e só tendo melhorado na corrupção. 

Numa das reuniões, decidimos que a viagem seria mesmo para a Europa, mas como sempre é difícil atender à todos, mesmo tendo havido votação vitoriosa, começou uma briga feia, tendo havido até quebra de cadeiras, quando uns foram se defender e outros foram atacar. Depois dessa “histórica” briga, a turma ficou dividida  em dois blocos, os quais a  gente chamava de “turma A”  e de “turma B”, para diminuir o colega do outro lado.

 Ora, os resultados foram interessantes, pois tivemos 2 convites, 2 paraninfos, 2 oradores, 2 missas, 2 aulas da saudade, porém uma só coleção de grau, no Teatro Deodoro, já que o diretor Eng. Everaldo Castro não permitiu a separação. Mesmo assim, ficamos separados em locais diferentes, dentro do teatro, com suas respectivas madrinhas.

No Teatro Deodoro, foram, portanto, os discursos dos 2 paraninfos e dos 2 oradores, um deles tendo sido o Eng. Dilton Simões, ex-prefeito de Maceió.  Quanto á viagem para a Europa, eu fui com dois colegas para 10 países e um principado, onde conhecemos Portugal, Espanha, Inglaterra, França, Itália, Bélgica, Alemanha, Suíça, Holanda, Dinamarca e Montecarlo. Outros colegas foram, também para a Europa e, aos poucos, fomos nos aproximando e nos reunindo, todos os anos para as comemorações de anos de formados, inclusive em outros estados.

Mensalmente nos reunimos, claro, com os que ainda não faleceram. O tempo passou, passou e, o que nos resta, são as saudades dos bons tempos e das brincadeiras, misturadas com as responsabilidades de todos nós. Parece que, em todo o Brasil,  isso só aconteceu aqui em Maceió!!!  Em tempo – Eu tenho a honra de ser lido pelo escritor famoso e, também, articulista, engenheiro  e militar Carlito Lima. Feliz Natal para ele e para  sua família! 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia