Acompanhe nas redes sociais:

22 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 847 / 2015

17/11/2015 - 20:58:00

Gabriel Mousinho

Jogo do poder

Como as eleições de 2016 estão se aproximando e a pers-pectiva real de uma dobradinha Renan-Téo Vilela para o Senado é quase favas contadas em 2018, o governador Renan Filho prefere não alimentar, pelo menos publicamente, confronto pessoal com o seu antecessor.Para criticar o governo passado, Renan Filho tem escalado o secretário da Fazenda, George Santoro, para dar alfinetadas em Téo Vilela. Uma maneira disfarçada de não melar futuros acordos do pai com o tucano.Santoro, na semana passada, voltou a atirar no governo anterior, afirmando que o excedente de arrecadação que está conse-guin-do obter, é para ´´pagar as dívidas deixadas pela gestão anterior´´.Como se vê, o jogo político dança de acordo com a música, se realmente ela puder fazer dançar quem está com a mão na massa.

 

Devagar com o andor

 

Embora muitos experts da política afirmem que o senador Benedito de Lira deve suar muito a camisa para se reeleger nas eleições de 2018, é bom lembrar que quem deve trabalhar mais são os adversários. Afinal de contas, Biu foi o senador mais votado nas eleições para o Senado.

 

Ficando só

 

Candidato a candidato a prefeito nas eleições do próximo ano, o deputado Cícero Almeida observa, de longe, um dos seus maiores aliados ser a grande arma para enfrentá-lo, caso o engenheiro Mozart Amaral, o trunfo do PMDB, aceite ir para a disputa com o prefeito Rui Palmeira. Neste caso, Almeida precisa se articular mais, escolher quem serão seus aliados, ou morre na praia.

 

VLT até Jaraguá

 

Com a força do senador Benedito de Lira e os apoios do prefeito Rui Palmeira e do presidente nacional da CBTU, Marco Fireman, Maceió vai ganhar, a partir de junho do próximo ano, mais VLTs cruzando a capital. O próximo destino é até o tradicional bairro de Jaraguá. Depois, este sistema moderno de mobilidade urbana irá até o Shopping Maceió. A nomeação de Marco Fireman para a CBTU nacional trouxe novas esperanças para o transporte público de Maceió.

 

Inverdades

 

Quando entram interesses políticos no meio, tudo pode acontecer. Até mesmo macular a honra e a história de homens respeitáveis e de bem. No caso da Prefeitura de Japaratinga, por exemplo, atribuiu-se ao advogado Benjamim Lins das Neves a locação de um trator para a prefeitura por 84 mil reais por mês, ou seja, quase 1 milhão de reais ao ano. Até que seria uma grande notícia se fosse verdade. O veículo foi locado à prefeitura por 3 mil e 500 reais, dinheiro que o proprietário no momento não está vendo nem a cor, já que a prefeitura não tem condições de honrar o compromisso. Benjamim, independente das ações de improbidade que a prefeitura responde, é um homem de história jurídica e de honradez em Alagoas. O resto é política miúda em uma das regiões mais bonitas do Estado.

 

Alto lá

 

Muito se tem falado numa composição política do PMDB com o PSDB, onde o vice de Rui Palmeira poderia ser Mozart Amaral ou Kelman Vieira, atual presidente da Câmara de Vereadores de Maceió. Mas parece que esqueceram de combinar com o PP do senador Biu de Lira, com o PR de Maurício Quintela, o DEM de José Thomaz Nonô e outros partidos que fazem parte da coligação liderada pelo prefeito da capital.

 

Primeiro round

 

O deputado Cícero Almeida ganhou a primeira parada no TSE sobre o processo de cassação a que se submete através do PRTB. Mas isso, com certeza, já era esperado. Nenhum ministro concederia uma tutela antecipada de perda de mandato se não estivesse com amplas e robustas provas de infidelidade partidária. O processo, efetivamente, começa agora a ser discutido na instância superior. Qualquer prognóstico no momento é só precipitação

 

.Composição

 

Parece que a família do empresário João Lyra está chegando a um consenso de que o melhor é encontrar uma solução caseira para os problemas, em vez de pedir a interdição de JL. Nas conversas de bastidores, os filhos de João Lyra devem dar marcha à ré na pretensão, porque sabem que será muito difícil interditá-lo.

 

Exagero

 

O prefeito de Inhapi, José Cícero, escalado para representar os colegas na inauguração do trecho 3 do Canal do Sertão, deu um show de conhecimento do dilema da seca e da importância da água e de um puxa-saquismo nunca visto em discurso desta natureza. Babada desnecessária para aparecer junto à presidente Dilma e ao governador Renan Filho.

 

O destino de Beltrão

 

A intenção do deputado federal Marx Beltrão de tentar uma vaga no Senado em 2018 parece ter pernas curtas. A não ser que o patriarca da política, João Beltrão, desista de acompanhar o senador Renan Calheiros. Sem o apoio de João, Marx não teria muitas chances de ir mais adiante nesse seu projeto de grande ambição.

 

Triste realidade

 

Enquanto a arrecadação de impostos desaba, o comércio fica refém do 13º salário e os empregadores ficam com a corda no pescoço, uma estatística revela a situação com que convive o pequeno empresário alagoano. Só na Avenida Fernandes Lima 36 pontos comerciais estão para alugar, um sinal de que a coisa anda preta mesmo.

 

Comunicação eficiente

 

Com uma política de comunicação eficiente, o prefeito Rui Palmeira tem mostrado à população a presença da administração em todos os bairros de Maceió. Uma forma inteligente de interagir com as pessoas e os bairros mais necessitados da presença do governo. São praças restauradas e construídas, saneamento básico, áreas de lazer e, na mobilidade urbana, as faixas azuis que têm melhorado consideravelmente o deslocamento da população de casa para o trabalho.

 

Arrastão

 

O governador Renan Filho pegou ar na última semana. Decidiu vender o Lifal, a Casal, a antiga Ceal e o Produban. A primeira não produz nada e só serve mesmo para cabide de empregos. Já a segunda está atolada em milhões de reais em dívidas. As outras o que vier é lucro.

 

Calote, não

 

A possibilidade de venda da antiga Ceal, hoje Eletrobras, a grupos privados, pode parar no débito que a empresa tem com os trabalhadores sobre a reposição do Plano Bresser, que já rola faz uns vinte e cinco anos.

 

Vale tudo

 

De um observador político surpreso com as atitudes do governador: ´´Com a aproximação das eleições do próximo ano, Renan Filho não perde nem aniversário de boneca no interior´´.

 

Já vai tarde

 

Alguns secretários de Estado vão pegar o beco até o final de dezembro. São considerados pelo Palácio como despreparados, incompetentes e preguiçosos.

 

Irritação

 

O governador Renan Filho está indócil sobre a indecisão do tio, Olavo Calheiros, em responder se aceita ou não ser indicado para a vaga de Luiz Eustáquio Toledo no Tribunal de Contas do Estado. Não aguenta mais as pressões, embora, inicialmente, tenha dito com todas as letras que a vaga pertenceria ao Ministério Público de Contas.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia