Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 841 / 2015

07/10/2015 - 18:04:00

Compra da Rádio Jornal pelo deputado Cícero Almeida aos poucos vai sendo esclarecida

Laranjas não aparecem na emissora que já foi de JL e deixam trabalhadores e fornecedores na mão

Da redação

Numa operação feita por baixo dos panos, aos poucos a farsa envolvendo a Rádio Jornal vai sendo esclarecida. A participação do diretor Comercial, Fernando Bezerra, que dá expediente na 96 FM, e do diretor Financeiro Anderson Melo, que passa quase todo o dia no escritório do ex-prefeito e deputado federal Cícero Almeida, tem revoltado os trabalhadores. Os dois diretores são pessoas de relações estreitas com o deputado, mas até agora não encontraram soluções para quitar débitos com fornecedores e empregados.

A emissora que já foi de propriedade do empresário João Lyra passou mesmo para pessoas ligadíssimas ao deputado Cícero Almeida, que não vem assumindo o passivo da empresa conforme ficou estabelecido em um contrato que está escondido a sete chaves.

Os salários dos servidores estão atrasados e não aparece ninguém para comandar a AM 710. Essa indiferença vem revoltando e apavorando radialistas e técnicos, que se sentem abandonados por Cícero Almeida, que não quer aparecer como o novo proprietário da emissora.

Como Almeida nega que seja oficialmente o dono da rádio, já que os atuais proprietários laranjas, José Emílio e Verônica Tibúrcio se recusaram a assinar a documentação, parece que a missão fica mesmo para a Receita Federal descobrir. Enquanto isso, a emissora já completou cinco meses de aluguel do imóvel atrasado e não dá nenhuma esperança de pagar o débito. Seu proprietário, o empresário Nilton Lins, diz não entender como se vende uma emissora e o dono não assume os compromissos da empresa. E o que é mais grave: não tem a quem se reportar, já que Fernando Bezerra e Anderson Melo raramente aparecem por lá.

A cada dia que passa a situação da AM 710 é de penúria e a compra da emissora por Cícero Almeida teria como principal objetivo a campanha das eleições do próximo ano, já que é um virtual candidato a prefeito de Maceió. Até lá, dizem funcionários da rádio, Almeida vai empurrando com a barriga os compromissos, mandando dizer pelos diretores que está encontrando soluções para resolver todos os problemas pendentes. Acreditam os trabalhadores que isso é uma forma mais prática de enganar os servidores, que vêm passando dificuldades financeiras desde algum tempo.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia