Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 841 / 2015

07/10/2015 - 16:55:00

Gabriel Mousinho

Ficando na história

Renan Filho, rapidinho, vai ficar na história por ter sido o governante que em apenas nove meses de administração aplicou nas costas dos contribuintes um pacote de impostos nunca visto no Estado.O governo foi muito além, ao penalizar proprietários de veículos com reajuste do IPVA, mesmo sabendo que o Detran enche o pote com outros tributos, como conservação de vias, seguro obrigatório e taxas de administração. Para completar o pacotão, além de outros que certamente serão aprovados pela Assembleia Legislativa, tome mais impostos para cigarros e bebidas, o que o secretário George Santoro vaticina, como se fosse um médico especialista, de que são produtos nocivos à saúde.O governador, assim, ficará na história levando a reboque George Santoro, que não é daqui nem veio pra ficar.

Submissa

Com raras exceções, os deputados aprovaram em regime de urgência a apreciação do pacotão de impostos colocado garganta abaixo pelo governador Renan Filho. Houve protestos na Assembleia, mas manda quem pode e obedece quem tem juízo. A Assembleia dá mostras que pouco está se importando com o povo. Cumpre a vontade do mandatário maior.


Má referência

Infelizmente passam os anos e a Assembleia Legislativa não toma jeito mesmo. Alguns deputados não querem nem saber o que estão votando. Querem ser simpáticos ao governo numa maneira de sobrevivência política e a maioria dos eleitores, nas eleições, vota porque receberam alguma coisa. Agora, não têm o que reclamar. 


Mistério

O processo sobre a Máfia do Lixo, em Maceió, parece que tomou doril. Em épocas de Lava Jato, ninguém sabe ninguém viu.


Amnésia

O senador Renan Calheiros, em entrevista na semana que passou à Rede Globo, disse que o cargo de presidente do Senado era incompatível com a indicação de ministros. Parece que o senador esqueceu quem indicou a época Vinicius Lages para o Ministério do Turismo.


Guerra nas urnas

Nesse domingo eleitores irão às urnas para escolherem os repre-sentantes dos Conselhos Tutelares das diversas regiões, em Maceió. Tubo bem se essa eleição não tivesse sido transformada numa disputa acirrada onde participam vereadores e até mesmo deputados estaduais. Nos bairros, é comum se ver até trio elétrico fazendo a campanha dos candidatos e ninguém sabe de onde saiu o dinheiro para bancá-los. É bom o Ministério Público ficar de olho nessa tropa.

O primeiro

Parece que o deputado Galba Novaes foi o primeiro de uma série de deputados que irão perder o comando de partidos nos próximos dias. A eleição do próximo ano tem movimentado os bastidores políticos de forma cruel.


Mágoas de Cavalcante

Sem mandato e sem prestígio. É assim que o suplente de deputado Cícero Cavalcante vai levando a vida. Ele, pelo ao menos aos amigos, confidencia que está um pote de mágoas com a família Calheiros, a quem serviu com tanta fidelidade durante anos a fio.


Pelas beiradas

O deputado Olavo Calheiros alimenta, sim, a possibilidade de assumir a vaga de Luiz Eustáquio Toledo no Tribunal de Contas do Estado. E parece mesmo que o governador Renan Filho esqueceu de vez tudo o que disse, quando afirmou há meses que a vaga no TC pertencia ao Ministério Público de Contas. Com Olavo no Tribunal, o que pode acontecer neste mês de outubro, o suplente Cícero Cavalcante se efetivaria no cargo, sem precisar mendigar nada ao Palácio Republica dos Palmares.

Sem chances

O presidente da Assembeia, Luiz Dantas, deve mesmo se submeter a pequenas cirurgias em São Paulo, para onde deve viajar em breve, mas longe de pedir licença do cargo. Mais uma vez Cavalcante fica a ver navios.


Acordo de raposas

O deputado Givaldo Carimbão e o prefeito Lula Cabeleira fizeram um acordo para que o primeiro o substitua em Delmiro Gouveia. Como um é mais esperto do que o outro no aspecto político, resta saber se esse compromisso vai dar frutos. 


Samsung nota zero

Quem for comprar um aparelho celular Samsung Galaxy último modelo, é melhor pensar duas vezes. Um cliente comprou um aparelho desse tipo e só deu problema. De início apagou e a loja da Samsung, depois de vários dias, disse que teve que substituir a placa mãe. Não demorou um mês e o mesmo problema voltou. O celular foi devolvido para a autorizada e a perspectiva da entrega do aparelho, mais uma vez, é de no mínimo vinte dias. Um descaso com o consumidor e uma péssima referência para a empresa. 


Briga instalada

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, manobrou e evitou que o Congresso Nacional se reunisse na última quarta-feira. Renan Calheiros chiou, reclamou, deu indireta a Cunha e prometeu sessão do Congresso para a próxima terça-feira.


Xô, satanás

Os vereadores de Maceió não querem nem saber da história de aumentar o número de parlamentares nas próximas eleições. Alegam, entre outras coisas, que é momento de crise, de economizar recursos e não seria nada interessante criar mais despesas para o legislativo.


De malas prontas

Quem faz de tudo para mudar de partido é o deputado Cícero Almeida, que queria uma legenda onde pudesse, como se diz na gíria, casar e batizar. Somente com um partido forte e aliados poderá se habilitar a disputar a Prefeitura de Maceió.

Volta da dupla

O governador Renan Filho está tão confortável e confiante no cargo, que não faz segredo de que, em 2018, a velha dupla Renan/Téo Vilela estará junta novamente como candidatos ao Senado. Só não pode prever o que pode acontecer até lá.

Eleição na OAB

Está cada vez mais acirrada a disputa pela presidência da OAB. Os aliados de Fernando Falcão, pré-candidato do grupo de oposição, têm realizado encontros e palestras na capital e no interior, sempre abordando temas atuais. As eleições devem acontecer no início da segunda quinzena de novembro.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia