Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 839 / 2015

23/09/2015 - 14:18:00

S.O.S. Alagoas

Cunha Pinto

Desordem urbana

É comum em Maceió comerciantes montarem negócios em prédio sem estrutura adequada e invadirem área pública dificultando o pedestre que usa calçada e infernizar a vizinhança em itens abusivos, som alto a qualquer hora do dia ou à noite principalmente. Esta é queixa comum de famílias pelo alheamento à lei do silêncio na cidade. E exceções são poucas.      

Oficina de grafite

Foram concluídas na segunda-feira, na Vila dos Pescadores (Sobral) as oficinas de Grafite e Hip Hop. Ministradas por Alan Lima (grafite) e Nando Rozendo (hip hop), alcançaram objetivo no número de participantes e no aprendizado, como demonstram os resultados que começam a ser expostos na comunidade.


 Poder de transformar 

De Alan Lima sobre as oficinas: “Este é o poder transformador da arte. Primeiro, muda as pessoas por dentro e depois muda a realidade em volta delas. É a mudança que queremos provocar. Fazer esses garotos se sentirem valorizados na comunidade é a nossa maior vitória”.


Tuberculose

Média anual no Brasil, de pacientes diagnosticados com tuberculose, é de 70 mil casos. Mas há  otimismo de até 2023 estar erradicada. É uma doença infectocontagiosa causada por bactéria que afeta principalmente os pulmões, mas pode ocorrer em outros órgãos do corpo. No caso os ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro).  

Nova aventura

Para trocar lado de calçada na Avenida Dona Constança, trecho da parada de ônibus e acesso ao Maceió Shopping (Jatiúca) ou vice versa, as opções são andar uns 600 metros só de ida, pois no ir e vir o semáforo está no portão de saída de veículos do shopping. E motoristas dirigem em velocidade não recomendável para o movimento de pedestres no trecho.


Mais risco de vida

Mais problema na região: motorista sem respeitar a faixa de travessia do pedestre no trecho de retorno ao lado do Sam’s Club, à margem de um canal e de ligação com a Avenida Jatiúca. Aliás, outro alheamento é ter calçada. E dúvida é se a irresponsabilidade é do Bompreço ou da prefeitura.

Medidas adversas

 João Pedro Stédile, coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, defende medidas adversas ao aumento da taxa de juros e corte nos gastos sociais. Ele não esconde a posição adversa da presidenta petista, mas espera que Dilma mude “enquanto é tempo”. 


Impopular

Também de Stédile: “Os trabalhadores estão na rua opinando. Todas as pesquisas indicam que o nível de popularidade da presidente baixou para 7%, 8%.  Esperamos que ela leia as pesquisas e se dê conta de que isso não é gratuito. O povo quer mudança na política econômica”.

Receita estimada

O governador Renan Filho (PMDB) inclui agora, também nas prioridades da sua administração, mas para serem tocadas a partir de 2016, a melhoria da qualidade de vida da população, proteção do meio ambiente e educação ambiental. São propostas inseridas na Lei do Plano Plurianual (PPA) e a serem estendidas para até 2019.


Mudança de hábito

Em Maceió o contribuinte do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) começa a mudar de hábito na quitação do tributo. Ao invés de pagar em parcela única, está dividindo o valor em até 10 vezes. E razão comentada tem a ver com incentivos dados pela prefeitura neste ano.


Conselho da Abegás 

Arnóbio Cavalcanti, reconduzido na presidência da Algás, continua no Conselho Administrativo da Associação Brasileira de Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) representando a companhia alagoana no conselho com a Bahiagás e as demais distribuidoras do Nordeste.

Dilma é castigo

O mérito de Dilma Rouseff ter conquistado seu primeiro mandato como presidenta do Brasil foi do ex-presidente Lula, na época com prestígio que elegeria qualquer um a quem apoiasse. Mas Dilma reeleita deixa dúvida se chega ao fim deste novo mandato. Ou o pacote com dor abusiva no bolso do povo também não a deixa sob o fio da navalha do impeachment? 

Esparrela

Consagrado pela crítica teatral nos estados por onde passou, o espetáculo Esparrela, apresentado no sábado passado, às 20 horas, no Teatro Jofre Soares, mereceu o excelente público presente. Foi um monólogo interessante encenado pelo ator, autor e diretor Fernando Teixeira. 

Drogas como pauta

Na Assembleia Legislativa deputados movimentaram o plenário na semana passada com pauta especial. Foi sessão proposta pelo deputado Ricardo Nezinho (PMDB) para discutir as drogas em Alagoas. Da boa surpresa a presença de atores que atuam na recuperação de jovens viciados. 

É só conversa?

Nomes já aparecem nas ruas insinuando pré-candidaturas às eleições de 2016, a maioria para vereador. É natural em razão do exagerado número de partidos, em torno de 32, a maioria ainda ignorada pelo eleitor. Mas é do jogo o interesse por alianças para depois pegar cargos comissionados.  

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia