Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 836 / 2015

02/09/2015 - 07:59:00

Governo corta verba de ONG de Jorge VI

Investigação estatal vai analisar “serviço prestado” e desfazer parcerias políticas de governo anterior

João Mousinho [email protected]

O ex-secretário do governo Teotonio Vilela (PSDB), Jorge VI, reclama da falta de repasse mensal de R$ 80 mil de janeiro até maio do governo do Estado para sua ONG, Instituto da Melhor Idade. A reportagem do Extra manteve contato com o secretário de Comunicação do Estado, Ênio Lins, que garantiu que esses e outros contratos estão sendo analisados pela atual gestão e que, se débito for configurado, todas as parcelas serão pagas. 

Devido ao corte de gastos no governo Renan Filho (PMDB), uma série de parcerias estão sendo desfeitas, inclusive aquelas firmadas pelo governo Vilela que ainda perduraram até meados deste ano. Um dos critérios para o firmamento de novos contratos é sua funcionalidade e a certeza da prestação de serviço. 

Por esse e outros motivos, estão sendo “checados”, segundo o governo do Estado, contratos que não correspondem à realidade do que é ofertado. O jornal Extra apurou que uma espécie de investigação prossegue para saber quais são instituições e similares que atuam de forma coerente. 

Cabides de empregos e arranjados políticos partidários se notabilizaram ao longo dos anos em contratos com o governo, gerando custo e despesas na maioria das vezes desnecessários. O governo ratificou que o momento econômico de Alagoas e do país não permite qualquer custo que esteja fora de orçamento para satisfazer “A” ou “B”. 

aditamento do convênio 

A reportagem do jornal Extra ouviu as explicações do dirigente do Instituto da Melhor Idade, Jorge VI, que colocou a seguinte situação: “Hoje, o instituto depende do aporte financeiro público para sobreviver. Sem essa ajuda do governo. cerca de 2.000 idosos ficaram sem as prestações de serviço que nós oferecemos”. Jorge adiantou que defende a quitação do débito o quanto antes e o aditamento do convênio com a Secretaria da Mulher, comandada por Rosinha da Adefal. 

O ex-secretário adiantou que o instituto possui dez unidades em diversos bairros de Maceió, e, por conta do atraso nos aluguéis, os donos dos imóveis estão pedindo de volta os estabelecimentos e acionando o instituto na Justiça. Outro fato que Jorge descreveu como “difícil” é a falta de pagamento de 40 colaboradores que prestam serviço à ONG. 

Jorge disse que manteve diálogo ao longo do ano com vários secretários de Renan e com a secretária do governador para que uma audiência fosse marcada, mas nenhuma movimentação surtiu efeito e o projeto não foi apresentado para sua permanência e quitação dos meses em atraso. O secretário revelou que não acredita em retaliação política, até porque o governo sabe da importância desse projeto. 

“O próprio governador Téo disse para o secretário Fábio Farias a forma que nós trabalhamos e sobre a seriedade que é implantado esse projeto há 20 anos. Até o fim da semana estarei reunido com a bancada do PSDB na Assembleia para relatar o que está acontecendo e tentar junto ao governador pôr fim a essa situação”. 

Por fim, Jorge VI ressaltou que não há nenhuma manifestação marcada para esse final de semana sobre o tema e que os membros do Instituto da Melhor Idade ainda analisam a possibilidade de levar o caso ao Ministério Público Estadual. 

 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia