Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 836 / 2015

02/09/2015 - 07:15:00

REPÓRTER ECONÔMICO

JAIR PIMENTEL - [email protected]

Economizando na feiraApesar do verdadeiro pandemônio que se constituía uma feira livre, o antigo hábito do consumidor de sair de casa logo cedo da manhã para ir a uma delas continua se constituindo numa excelente maneira de economizar, comprando produtos vindos diretamente da roça a preços inferiores aos praticados nos supermercados. E o importante: essa prática ajuda os pequenos agricultores que sobrevivem do exaustivo trabalho do campo. Além do mais, o não uso de agrotóxicos proporciona uma alimentação saudável e barata. Outra vantagem importante para quem frequenta uma feira livre: o cliente pode pechinchar com o próprio produtor (dono da barraca), principalmente se ele for a uma feira livre ecológica, como a realizada a cada sexta-feira no Mercado de Jaraguá. Esses produtores saem da roça pela madrugada e chegam ao amanhecer a Maceió, onde vendem seus produtos comprovadamente livres de adubo químico, diferentemente dos produtos vendidos na Ceasa vindos de outros estados, que contêm agrotóxicos. 

 


Sempre pesquisando

 

Mas não é só com hortifrutigranjeiros que se deve economizar. Tem que fazer o mesmo nos supermercados na compra de cereais, material de limpeza e higiene, necessários no dia a dia do consumidor. Assim, faça pesquisa, veja as ofertas, leve a lista de compras. Mas, pechinchar, nem pensar! Nesses locais, o preço já fica fixo no produto, devendo ser pago no caixa. Não tem como tentar baixá-lo falando com um funcionário, nem com o gerente. Mudando de localÉ uma boa maneira de pesquisar e economizar em seu orçamento doméstico. Converse com familiares, amigos, vizinhos para ir aprendendo a economizar em suas compras, vendo quais os pontos de venda que comercializam com preços em conta. Pode até mesmo ser o mercadinho da esquina, sem ar refrigerado e sem muitas opções de compras. Vá lá e compre o que usa, mesmo sendo de outra marca. O importante é o preço menor. Qualquer centavo economizado em tempo de recessão, como agora, vale a pena. 

 


Produtos duráveis

 

Se o seu liquidificador pifa e você vai a uma oficina de consertos, pode constatar que é mais vantagem comprar um novo do que pagar pelo conserto. Vá a uma loja de eletrodoméstico, mas não só em uma. Visite várias, até encontrar um preço baixo que possa comprar à vista. Nada de dividir em vários meses. Geralmente, os juros estão embutidos no preço final. Fuja disso!

 


Vestuário

 

O vestuário é outro item de consumo que você pode muito economizar. As opções de compras são muitas. Se você costuma comprar roupas de grifes famosas, parta para as chinesas, indianas e de outros países asiáticos, que chegam aqui com preços mais baixos do que as similares nacionais, americanas e europeias. Esqueça a marca. Lembre-se: “a parte mais sensível do corpo é o bolso”.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia