Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 835 / 2015

26/08/2015 - 10:48:00

Meio Ambiente

Bebida com pró-bióticos
A Embrapa Agroindústria de Alimentos procura a validação industrial para começar a produzir bebidas fermentadas de cereais com bactérias pró-bióticas. Os pró-bióticos são microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, trazem benefícios à saúde. Os pesquisadores preferiram usar o pó dos cereais diluído em água, que já resulta na bebida final. Após a fermentação, ela pode ser misturada a preparados de frutas com sabores variados, como banana, mamão, maçã.


Poluição do ar em Vitória
Após quatro meses de investigação, a CPI do Pó Preto, da Câmara de Vereadores de Vitória, afirmou que as empresas Vale e Arcelor Mittal Tubarão são responsáveis pela poluição do ar na região de Ponta de Tubarão. As empresas foram responsabilizadas pelas lesões corporais e até pelos óbitos sofridos pela população. Segundo o relatório divulgado, a população sofre há anos com o enorme desconforto causado pela produção siderúrgica e mineradora. Os vereadores cobram o indiciamento das empresas Arcelor Mittal e Vale por prática de crimes ambientais contra a saúde humana, além dos crimes de “perigo para a vida ou saúde de outrem”, lesão corporal e homicídio.

Amazônia apodrece
Construída na divisa entre o Mato Grosso e o Pará, na Floresta Amazônica, a hidrelétrica de Teles Pires deve começar a gerar energia com árvores apodrecendo dentro do seu reservatório. O apodrecimento dessa vegetação que deveria ter sido vendida legalmente, diminuindo a demanda pela derrubada de mais árvores, deve levar à morte de peixes e ao aumento da emissão do gás metano. Impacto desastroso para um empreendimento que se apresenta como “fonte de energia limpa, renovável e ambientalmente correta.”

Seis toneladas de lixo do Tietê
A Prefeitura de Salto (a 101 km de SP) realizou esta semana, pelo segundo ano consecutivo, um mutirão para retirar lixo do leito do rio Tietê, que corta a cidade paulistana. Dessa vez, foram retiradas mais de seis toneladas de sujeira do rio em nove dias de trabalho. Os voluntários retiraram um grande volume de garrafas PET, madeiras de árvores, materiais de construção e isopor. Além de roupas especiais de proteção, tiveram que usar cordas e roldanas para que os sacos plásticos cheios de lixo fossem retirados.

Caracóis gigantes africanos
Há quatro anos foi detectada na Flórida (EUA) uma invasão de caracóis gigantes da África. Ele pode chegar ao tamanho de um tênis, devora centenas de tipos de plantas e pode ser perigoso caso seja ingerido. Desde que foi detectado, já investiram US$ 11 milhões em seu extermínio. Mas, apesar dos esforços, os caracóis gigantes são hermafroditas, e cada um pode produzir 1.200 ovos em um ano. Como se não bastasse, eles podem ser parasita de uma forma rara de meningite que atinge os seres humanos. As pessoas dizem que eles foram introduzidos na Flórida por nativos da Nigéria, que acreditam que beber a baba desses caracóis pode curar certas infecções.

Geleiras
De acordo com um estudo publicado pela revista científica Journal of Glaciology, o derretimento das geleiras alcançou um nível histórico e continuará mesmo se o aquecimento global for pausado. As geleiras estão derretendo em média de meio a um metro de espessura a cada ano, que é de duas a três vezes mais que a média registrada no século 20.
Segundo imagens de satélite, o fenômeno afeta dezenas de milhares de geleiras ao redor do mundo. Um fenômeno sem precedentes de acordo com o estudo.

Plano visionário de Obama
O presidente norte-americano, Barack Obama, anunciou que pretende reduzir em 32% a emissão de carbono das centrais termoelétricas até 2030. O chamado “Plano Energia Limpa” propõe um cronograma de ações para minimizar o impacto do aquecimento global no mundo.
Obama disse que as termoelétricas são responsáveis por um terço da contaminação total por carbono em território norte-americano, e que, por isso, a decisão é considerada uma das mais importantes tomadas até agora pelo país.

Mais cedo do que se acreditava
A atividade agrícola pode ter iniciado há 23 mil anos, milhares de anos antes do que se pensava, de acordo com um novo estudo. Os pesquisadores descobriram um grande número de sementes em um sítio arqueológico que fica às margens do Mar da Galileia, onde viveram caçadores coletores. Muitas das sementes tinham marcas, que diferenciam as espécies cultivadas das silvestres. Foram os primeiros experimentos de cultivo realizados. Esses testes são parte de um processo de aprendizado dos nossos ancestrais.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia