Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 835 / 2015

26/08/2015 - 10:17:00

Gabriel Mousinho

A força do deputado

Da redação

No seu estilo de governar e manter distância com os deputados, Renan Filho teve, meses atrás, um desconforto com o deputado Tarcísio Freire, que foi ao Palácio pedir algumas gentilezas. Como o governador disse que, quando precisasse, chamaria o deputado, os dias foram passando.
Recentemente, uma pesquisa de opinião em Arapiraca mostrou a ascensão política de Tarcísio disparada, enquanto revelava que a prefeita Célia Rocha estava em queda livre junto ao eleitorado. Tarcísio foi, então, convidado pelo governador para comparecer ao Palácio, mas recusou. Só iria depois que um seu afilhado político fosse nomeado diretor da Ciretran local, cargo que nunca havia sido e nem queria ser negociado politicamente. Semana passada, o afilhado de Tarcísio foi nomeado, inclusive contra a vontade do diretor do Detran, Cacá Gouveia, que, diga-se de passagem, tem realizado um trabalho de fôlego no órgão de trânsito alagoano.
Depois disso, Tarcísio foi lá.

Reeleição
O presidente da Assembleia Legislativa, Luiz Dantas, não tem nada de tolo. Em visível rota de colisão com o deputado Olavo Calheiros, o mentor de sua candidatura à presidência da instituição, Dantas sacramentou a contratação de 120 cargos comissionados para agradar aos seus colegas e forrar o tapete para sua reeleição. A pão e água junto ao governo, que tem feito pequenas concessões, os deputados serão fiéis ao presidente, que conta atualmente com o apoio de 17 parlamentares.

Casa de ferreiro
O Tribunal de Contas da União, tão zeloso com as coisas públicas, não sabe o que vai fazer com o monstrengo que foi edificado como sua sede, anos atrás, na praia do Sobral. Carcomido de ferrugem pela ação da maresia, já que toda sua estrutura foi feita de ferro e que os técnicos deveriam ter avaliado antes, o prédio causou grandes prejuízos à União. Como sempre, quem paga a conta é a ”viúva”.

Mobilidade urbana
A Prefeitura de Maceió terá papel fundamental na expansão do VLT até o bairro de Jaraguá. A obra, que deverá ser iniciada ainda neste semestre, marcará uma parceria de grande importância entre a CBTU e o município. O prefeito Rui Palmeira - com o superintendente da CBTU, Marcelo Aguiar, e técnicos - visitou todo o percurso, desde a Estação Central até Jaraguá, observando o detalhamento do projeto. Será mais uma grande obra de mobilidade urbana que atenderá a milhares de usuários daquela região.
Em boa hora
A Assembleia Legislativa de Alagoas recebeu, na terça-feira da semana passada, a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Foi em boa hora.

Alto lá!
O governador Renan Filho tem sido precavido demais para pessoas que acessam o seu gabinete. Todos, indistintamente, têm que deixar o seu aparelho celular na recepção. Quem não topar dê meia volta e vá embora.

Pito
Uma servidora da Secretaria de Educação tomou o maior pito do governador ao comparecer a uma reunião no Palácio dos Martírios. Ele perguntou pelo secretário, seu vice Luciano Barbosa, que estava a serviço do governo em Brasília e, nas vistas de todos, disse à perplexa servidora que isso não mais se repetisse. O estilo de governar de Renanzinho é completamente diferente dos últimos que passaram por ali em mais de 30 anos.

Tempo marcado
O secretário de Estado que marcar uma audiência com o governador para tratar dos assuntos da pasta tem que ser rápido e objetivo, sob pena de levar um rela. Os assessores de Renan estão cansados de observar momentos de puro constrangimento.

Cheque em branco
Tem deputado que já está arrependido de ter votado a favor da criação da Lei Delegada, que permite ao governador mandar e desmandar na estrutura governamental sem precisar ouvir a Assembleia Legislativa. O cheque em branco, revela o parlamentar, foi o erro mais grave cometido pela instituição.

Os espiões
Com um homem de confiança do governador em cada secretaria, o chefe vai poder monitorar cada um deles diariamente. Quem não cumprir à risca as orientações do Palácio será sumariamente demitido.
Sem futuro
O conhecido desportista e político Raimundo Tavares, anunciado há algumas semanas com um reforço na interlocução do governo, saiu a mil do Palácio Floriano Peixoto. Para alguns amigos próximos, Raimundo não viu nenhum futuro na missão e iria atuar no governo como a Rainha da Inglaterra.

A coisa é grave
Pela Agenda Brasil, que começa a ser discutida pelo país afora, os usuários do SUS devem pagar pelos serviços prestados. É a hora de alguém, no Congresso, aprovar um projeto para a construção de milhares de cemitérios públicos.

Muito distante
Uma parceria política entre o senador Biu de Lira e o governador Renan Filho está muito distante de acontecer, se é que a conversa existe mesmo. Quem perde a eleição fica na oposição, como é o caso do senador, independentemente de trabalhar para o desenvolvimento do Estado.

Empreitada difícil
O governador Renan Filho tem como objetivo fazer o maior número possível de prefeitos. Mas, sem fazer muitas concessões, a crise complica. Os aliados, a maioria a pão e água, veem nuvens negras para os próximos meses.

Alto risco
A situação econômico-financeira do país - e particularmente de Alagoas - deixa o servidor público estadual com a pulga atrás da orelha. As dificuldades demonstram que não será fácil pagar o 13º salário. Imaginem a concessão de reajuste acima da capacidade financeira do governo!? Para se ter uma ideia, muitos municípios alagoanos já sabem que 13º é bicho de sete cabeças, com a crise apenas começando.

Pulando do barco
A administradora do Porto de Maceió, Rosiana Beltrão, assim como muitas outras pelo Brasil afora, caiu fora do PT, partido contaminado com a Operação Lava Jato. Inteligente, Rosiana prefere um partido aliado do governo, no caso o PSD, do que permanecer onde estava. Ex-prefeita de Feliz Deserto, Rosiana conta como favas contadas sua volta triunfal ao comando do lindo município localizado na região sul do Estado.

De galho em galho
O ex-prefeito de Capela, João de Paula, é mestre na arte de mudar de partido. Ele já passou pelo PMDB, PSB, PSDB e agora está embarcando no PSC. João de Paula já foi prefeito três vezes no município.

Só para o ano
Realizando obras de grande porte em Maceió, principalmente na periferia da cidade, o prefeito Rui Palmeira não estimula conversa sobre as eleições de 2016. “Política, só para o ano”, diz o prefeito, até mesmo porque não existem ainda definições sobre abertura de janelas para filiações e regras definidas sobre as eleições municipais.

Eleições limpas
Mesmo com o acirramento da disputa, candidatos da OAB pregam eleições limpas, principalmente quando o país está mergulhado na corrupção. A instituição, em Alagoas, nas eleições passadas, sofreu com denúncias de compra de votos e a utilização milionária de recursos financeiros, o que se espera não acontecer este ano.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia