Acompanhe nas redes sociais:

23 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 834 / 2015

19/08/2015 - 18:56:00

Por ter apoiado Biu ao governo, Marcos Fireman ganha a CBTU

Ex-secretário no governo de Teotonio Vilela assume o comando nacional da companhia

João Mousinho [email protected]

A disputa pelo poder em 2014 em Alagoas vai ganhando desdobramentos. Entre eles, cargos e alianças federais que refletem no cenário político local. Na última semana, o colunista da Veja, Lauro Jardim, publicou que o ex-secretário de Infraestrutura do governo Téo Vilela, Marcos Fireman, é o novo presidente nacional da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU). 

A companhia é uma empresa de serviços de transporte ferroviário de passageiros ligada ao Ministério das Cidades. Este, por sua vez, está na cota do governo petista em prol do Partido Progressista, que tem como seu principal mandatário o senador Benedito de Lira (PP). Aí está a explicação para Fireman assumir a CBTU nacional. 

O ex-secretário de Vilela deixou claro seu interesse em 2014 em ser o nome tucano a disputar o governo do Estado. Mas o xadrez político fez com que Vilela decidisse por uma “chapa branca” encabeçada pelo inexpressivo vereador de Palmeira dos Índios, Júlio César. 

Marcos Fireman se colocou contrário ao PSDB e apoiou a candidatura de Benedito de Lira ao Palácio República dos Palmares. O ex-secretário colocou, ainda, à disposição sua estrutura de campanha, que vinha sendo montada, às ordens do senador, que foi derrotado ainda no primeiro turno por Renan Filho (PMDB). 

Daí em diante, a rota de colisão entre Fireman e PSDB já estava traçada, e sua saída da sigla era uma questão de tempo, o que aconteceu este ano. O ex-tucano deixou o comando da executiva municipal e se filou ao PR, partido comandado em Alagoas pelo deputado federal Maurício Quintella. 

A ida para o PR facilitou a indicação de Fireman para o cargo federal, já que o partido é da base aliada da presidente Dilma Rousseff (PT). Ainda no ano passado, o deputado federal Givaldo Carimbão (Pros) articulou a ida de Fireman para comandar o Ministério da Integração, mas sua ligação com os tucanos dificultaram a articulação, inviabilizando seu sonho. 

O ex-secretário de Vilela pode ser usado, agora, pelo PP e PR como um possível nome para disputa majoritária em 2016, algo que sempre lhe encheu os olhos. Caso os espaços de Benedito e Quintella se fechem com o prefeito Rui Palmeira (PSDB), devido às imposições de outros figurões do partido, um plano “B” começa a ser articulado. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia