Acompanhe nas redes sociais:

14 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 833 / 2015

13/08/2015 - 07:36:00

Sucateado, Aeroporto de Maceió perde voos para o Rio de Janeiro

TAM comunica que deixará de oferecer o trajeto a partir de 3 de setembro

JOSÉ FERNANDO MARTINS Especial para o EXTRA

A falta de equipamentos que auxiliam no embarque e desembarque de passageiros no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares virou, mais uma vez, motivo de reclamação. O Extra Alagoas apurou denúncia de que apenas uma das cinco pontes de embarque está funcionando, e ainda ssism só para  uso exclusivo da  TAM. Passageiros das demais companhias aéreas são obrigados a enfrentar sol e chuva durante as operações de embarque e desembarque.  Para se ter uma ideia do desconforto, o aeroporto foi fechado para pouso e decolagens quatro vezes devido ao tempo instável e chuvoso. A última ocorrência foi registrada no último dia 22.

Além do sucateamento da infraestrutura do aeroporto, a crise financeira fez com que o número de voos de Maceió diminuísse. Com a necessidade de reduzir os custos, a TAM pediu à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) o cancelamento de 23 voos internacionais e nacionais. Os pedidos, que começaram a ser solicitados em março deste ano, vão refletir negativamente no tráfego aéreo de Alagoas. Apesar de a companhia aérea ter notificado a Anac, a agência reguladora afirmou que não é necessária uma aprovação prévia para o cancelamento. Sendo assim, bastava a TAM informar que não tem interesse na operação e que deixará de oferecer serviços no trecho. 

Na lista de pedidos da empresa está o cancelamento do voo de Maceió com destino ao Rio de Janeiro, e vice-versa. Os números dos voos são 3408 e 3409, respectivamente. O fim da operação está datado para o dia 3 de setembro. Porém, Maceió não foi a única capital nordestina a sofrer com os cortes. A TAM também requer a suspensão de voos saindo de Recife, Fortaleza e Natal. Segundo a Anac, embora a operação ou a descontinuação for uma opção comercial de cada companhia, o passageiro não pode ser prejudicado. “Nos casos de cancelamento de voo, a empresa aérea deverá informar com no mínimo 72 horas de antecedência do horário previsto de partida”, disse em nota.

Nos casos em que for necessário fazer alteração nos bilhetes, cabe à companhia reacomodar os passageiros em voos próprios ou de terceiros. A remarcação deve ser realizada em data e horário de conveniência do passageiro e ainda há possibilidade de reembolso integral do bilhete. “Sobre o possível impacto na oferta de voos das outras companhias, cabe destacar que normalmente é observado que, conforme uma empresa reduz as suas operações, as demais tendem a ampliar sua oferta como um movimento natural da concorrência do mercado”, afirmou a Anac.

Caso a TAM queira voltar a operar alguns desses trechos, a empresa terá de verificar se ainda há disponibilidade e a empresa terá, novamente, de percorrer o caminho burocrático para liberação da rota.


Fluxo

Segundo balanço da Infraero, no primeiro trimestre do ano, o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares registrou uma movimentação de 553.447 pessoas, o que seria um acréscimo de 7,5% do fluxo de passageiros em relação ao mesmo período do ano passado. Só no mês de março foram registrados 80.345 embarques e 75.867 desembarques. No levantamento do primeiro trimestre, só em janeiro, houve um incremento de 16,5% no fluxo de passageiros no aeroporto. No total, 239.821 pessoas passaram pelo aeroporto no primeiro mês do ano. Já em fevereiro, a Infraero registrou movimentação de 157.082 pessoas.

Pontes de embarque

A assessoria de imprensa da Infraero informou que, das cinco pontes de embarque atualmente existentes no Aeroporto de Maceió, duas apresentam problemas desde a instalação dos equipamentos em virtude de problemas do fabricante. “Em 2012, a Infraero entrou com uma ação contra a empresa fabricante para indenização e reconstituição do objeto, para ressarcir a aquisição dos novos equipamentos. Esse processo continua em andamento”, disse em nota à reportagem.

A assessoria informou, ainda, que a Infraero realizou um processo licitatório para a contratação de empresa para fornecimento de novas pontes de embarque. Esse processo está concluído desde o primeiro trimestre deste ano, mas, para a efetiva homologação dessa licitação, a Infraero necessita de alocação de recursos financeiros por parte do governo federal.

“É importante destacar, todavia, que o Aeroporto de Maceió conta com três ônibus para realizar o embarque e desembarque dos passageiros. Esses veículos estão à disposição das empresas aéreas mediante solicitação das mesmas”, ressalta.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia