Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 832 / 2015

05/08/2015 - 19:35:00

Padre Sizo volta a ser impedido de rezar missas

Bispo de Palmeira dos Índios quer administrar santuário construído pelo sacerdote em Mata Grande, mas pároco não aceita

Redação com Jota Silva

A polêmica envolvendo o padre Sizino Lemos Telles Júnior, conhecido como “Sizo de Santa Teresinha”, e o bispo da Diocese de Palmeira dos Índios, dom Dulcênio Fontes de Matos, parece não ter fim. Mais uma vez, o padre teve as ordens eclesiásticas suspensas por tempo indeterminado pelo bispo da diocese à qual pertence. Com o afastamento, Sizo não poderá mais realizar nenhuma atividade sacerdotal, como celebração de missa, casamento e batizado. A decisão foi tomada no início deste mês e comunicada ao sacerdote no dia 10. 

O motivo da decisão diocesana não ficou claro, mas pode estar relacionado ao desentendimento do bispo com o padre por conta do Santuário de Santa Teresinha do Menino Jesus, construído pelo sacerdote em um terreno de propriedade de sua família, em Mata Grande. Segundo informações, Dulcênio quer que o sacrário milionário seja entregue à diocese para que ela o administre, mas Sizo não aceita.

A desavença entre os dois não é novidade, a ponto de o comunicado da suspensão do padre sertanejo ser feito pelo bispo da Diocese de Palmares (PE), dom Henrique Soares da Costa, a pedido de Dulcênio. Em entrevista ao portal Minuto Sertão, o padre sertanejo disse que está cansado da situação entre ele e o bispo e que não vai mais recorrer da decisão da diocese junto à Santa Sé. “Vou continuar usando minha batina e respeitando a Igreja Católica. Também vou permanecer cuidando das obras do santuário e recebendo os romeiros que nele chegam todos os dias”, disse Sizo.

Revoltados com a suspensão, centenas de romeiros estão indo ao Santuário de Santa Teresinha, em Mata Grande, para consolar o padre. Esta não é a primeira vez que o sacerdote foi afastado de suas funções.  A primeira suspensão de Sizo aconteceu em 2009, também por decisão de dom Dulcênio Matos, que na ocasião tinha acabado de assumir o comando da diocese. O motivo teria sido a construção do santuário, que na época estava no início das obras. O bispo teria suspendido as ordens sacerdotais de Sizo por causa da resistência dele em repassar o santuário à Diocese.

Em 2012, A Santa Sé decidiu pela reabilitação das ordens de padre Sizo e determinou que dom Dulcênio o reabilitasse depois que o mesmo cumprisse o ano sabático, que na Igreja Católica é o período em que os sacerdotes recebem “folga” de 12 meses para se submeterem a uma reciclagem religiosa.

Sizo cumpriu sua sabatina no Mosteiro dos Carmelitas Descalços, no município de São Roque, em São Paulo. Quando voltou para Mata Grande, em dezembro de 2012, foi recebido com uma festa preparada por milhares de romeiros. Não demorou muito para que voltasse a realizar suas romarias e os fiéis voltassem a visitar com frequência o Santuário de Santa Teresinha.

Desde então, o bispo já tinha sinalizado nos bastidores que estava insatisfeito com as romarias promovidas pelo padre Sizo e com a residência dele quanto à intervenção da diocese na administração do santuário.

A reportagem do portal sertanejo falou com dom Dulcênio, e ele explicou que não houve nova suspensão de padre Sizo, pois o mesmo já estava afastado desde a primeira vez. O bispo também falou que, por determinação da Congregação para o Clero, quem está à frente do caso do sacerdote matagrandense é o bispo da Diocese de Palmares (PE), dom Henrique Soares da Costa.

Questionado sobre as desavenças com o padre, dom Dulcênio preferiu não falar sobre o assunto e dom Henrique não foi localizado via telefonema.

MEIO SÉCULO DE VIDA

Em janeiro deste ano, o padre Sizo completou 50 anos de idade e para comemorar a data uma multidão compareceu à romaria pelo seu aniversário. Foi uma emoção para o aniversariante, que, pelo décimo ano seguido, comemora o aniversário com a presença de milhares de romeiros vindos de vários lugares do país. “Isso significa que Deus está comigo e que estou no caminho certo de ser um pai espiritual para essa multidão que hoje está aqui ao meu lado”, disse Sizo.

O padre relembrou a trajetória de quase 16 anos como sacerdote. “Passei pela paróquia de Belo Monte, onde fiquei um ano e sete meses. Depois fui designado para Piranhas, onde permaneci por oito anos. Após esse tempo, retornei para Mata Grande, onde passei a me dedicar à construção do Santuário de Santa Teresinha do Menino Jesus”, afirmou o padre que é filho de Mata Grande.

O jornal EXTRA tentou contato com o padre Sizo, pelo telefone de terminação 1135, mas não conseguiu.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia