Acompanhe nas redes sociais:

23 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 832 / 2015

05/08/2015 - 18:59:00

Alagoas tem um PM para cada 474 habitantes

Na Polícia Civil, Estado possui um policial para cada 1.953 pessoas

José Fernando Martins Especial para o EXTRA

Alagoas tem um policial militar para cada 474 habitantes, índice que coloca o Estado em 14º lugar no ranking brasileiro de cobertura policial nas unidades federativas. Longe do número ideal de policiais sugerido pela Organização das Nações Unidas (ONU), que é de um para 250 habitantes, a corporação estadual conta, hoje, com um efetivo de cerca de sete mil integrantes para uma população de 3,3 milhões de pessoas. 

Os dados são resultado do cruzamento de informações da Associação dos Oficiais Militares de Alagoas (Assomal) com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para o presidente da associação, major Wellington Fragoso, o contingente do Estado está envelhecendo sem a reposição necessária para garantir a segurança da população. “Cerca de 200 policiais militares por ano se aposentam ou simplesmente migram de profissão. E, para serem repostos, só com muita briga para o ingresso da reserva técnica”.

O sucateamento das tropas é outro ponto citado por Fragoso. “O Governo alega que fica difícil a contratação de mais policiais por causa da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Mas não adianta aumentar o efetivo sem dar condições para a Polícia Militar exercer um bom trabalho. Até conseguiríamos fazer uma boa cobertura do Estado se houvesse um levantamento para identificarmos as zonas de maior periculosidade. Isso ajudaria bastante”, disse.

Já quando o assunto é a Polícia Civil, Alagoas possui um policial para cada 1.953 habitantes. O efetivo hoje é de aproximadamente 1.700 pessoas e o mais grave, segundo o presidente do Sindicato dos Policiais Civis (Sindpol-AL), Josimar Melo, é que parte dos integrantes estão em cargos burocráticos. “O número do contingente acaba prejudicado pela má gestão. Temos por volta de 400 policiais fazendo serviços administrativos, sem contar os 150 que estão à disposição das secretarias e os 70 na Perícia Oficial do Estado”. 

Uma solução para o melhor funcionamento da corporação, para Melo, é a abertura de concurso público pra o cargo de agente administrativo. “Assim, aqueles que estão em serviços burocráticos voltariam trabalhar nas delegacias que estão sem efetivo suficiente”, revelou.  

Números

Em âmbito nacional, o Brasil possui um policial militar para cada 471 habitantes e um policial civil para cada 1.674 habitantes. O efetivo total brasileiro é de 430.817 PMs e 121.122 policiais civis. Embora tenha aumentado o efetivo das corporações, o total de habitantes pelo qual o policial é responsável também subiu nos últimos três anos. 

Em 2012, segundo o Ministério da Justiça, o contingente era de 413.920 PMs e 112.424 policiais civis, números que correspondiam a 1 PM para cada 469 habitantes e um policial civil para cada 1.725 pessoas. Neste mesmo ano, dados oficiais de Alagoas mostraram que o efetivo era de 7.945 resultando em um policial militar para cada 392 habitantes.

De acordo com estudo divulgado pelo portal de notícias G1, o Estado do Nordeste que tem melhor policiamento é o Rio Grande do Norte com 8.800 policiais militares, o que equivale a um PM para 387 habitantes. Em seguida vem o Sergipe, com um PM para cada 412 moradores; Paraíba tem um para 423; e, Pernambuco, um PM para 460 habitantes. Alagoas ocupa o quinto lugar da região.  E os estados que apresentaram as piores taxas do Brasil também são do Nordeste: Piauí, com um PM para 796 habitantes e Maranhão, com um policial militar para 816 habitantes.

Violência em Alagoas

Apesar do efetivo restrito como constatado pelos sindicatos da área de segurança pública, balanço da Secretaria de Estado da Defesa Social e Ressocialização (Sedres) revelou redução em crimes violentos em Alagoas. Um exemplo foi o comparativo do mês de maio, que registrou redução de criminalidade em 35,3%. A capital ficou com a maior redução desde janeiro apresentando 53,9%. No mesmo mês, o Núcleo de Estatística e Análise Criminal (Neac) da Defesa Social, registrou 130 crimes violentos contra 201 em 2014. Maceió bateu recorde desde janeiro de 2015 baixando de 76 mortes em 2014, para 35 este ano. 

Já a Polícia Civil alagoana, de janeiro a junho, desencadeou um sistema de medidas que aumentou em mais de 7% a produção de inquéritos policiais, em relação aos crimes violentos, letais e intencionais (CVLI), que inclui o homicídio, em comparação ao mesmo período do ano passado. De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil, Paulo Cerqueira, a metodologia de integração foi estimular os integrantes da corporação e direcionar os esforços a solucionar o maior número de crimes possíveis.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia