Acompanhe nas redes sociais:

25 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 832 / 2015

05/08/2015 - 18:38:00

Mentes férteis

Alari Romariz Torres Aposentada da Assembleia Legislativa

  Sempre acompanho noticiários locais, nacionais e internacionais. E não me canso de tomar sustos com determinados escândalos.Semana passada soube que, no litoral alagoano, dois prefeitos estão sendo investigados na Justiça porque empregavam parentes nas duas prefeituras. Ou eles pensam que o povo é bobo, ou que a Justiça é cega.

É bom lembrar que os dois políticos são parentes do PC Farias. No mesmo período, o Tribunal de Contas do Estado, cujo presidente está tentando fazer uma limpeza na casa, colocou à disposição da Assembleia Legislativa vinte e tantos funcionários, já processados administrativamente, por não comparecerem ao local de trabalho. Detalhe muito importante: eles vão receber salários pelo TC. Não entendi a solução, pois só a presença física será cobrada pelo Legislativo.

Ora, se eles não iam ao Tribunal de Contas, será que eles vão à ALE? Em Paripueira, a Justiça obrigou o prefeito a reintegrar nos quadros da Prefeitura dezenas de servidores aprovados num concurso realizado pela administração anterior: todos os classificados eram afilhados do Henrique Manso. O gestor atual não demitiu os dele e admitiu os concursados. Entretanto, até 27.07, ninguém tinha recebido salário, ou melhor, só os admitidos pelo Abraão Moura receberam pagamento.

No Legislativo alagoano, onde as dívidas com ativos e inativos são incalculáveis, a Mesa Diretora contrata uma auditoria por um milhão e meio de reais (valores não incluídos no orçamento de 2015), aprova, através de Resolução e não Projeto de Lei, um trem de alegria, criando despesas numa casa, cujos dirigentes afirmam não ter dinheiro para cumprir compromissos assumidos com ativos e inativos.

Desde 1989, os servidores da Assembleia Legislativa contratam advogados e vão à Justiça procurando ajuda para se defenderem das artimanhas dos dirigentes. Agora mesmo, estourou um processo de 1996, onde as vítimas cobram cinco meses de salários não pagos há quase vinte anos.

A presidente da República, que na sua campanha eleitoral enganou o povo prometendo o impossível, começa a cortar o vale família, vale gás, vale tudo. O FIES, então, virou um verdadeiro horror: há estudantes que, no meio do curso tiveram seus pedidos recusados e não vão conseguir se formar.

Uma pena!Na Prefeitura da capital, um menino novo, filho de um político amigo, digno de respeito, começou a governar Maceió. Esperei que fizesse algo de positivo tentando resolver problemas crônicos tipo Riacho Salgadinho e Mercado da Produção e do Artesanato. Já está no terceiro ano de mandato, meio perdido, sem resolver casos sérios na Educação, Saúde e Transportes, mas, pelo menos, atos de improbidade administrativa não têm aparecido; a lama que lá ainda está é a da chamada “Máfia do Lixo” do governo passado.

Nas prefeituras do interior, são poucas as que se salvam, Só nos mandatos 2012/2016 muitos gestores e vereadores municipais já foram motivo de notícias escandalosas na imprensa; as acusações vão de compra de votos na eleição, passando por gratificações aos edis, obras superfaturadas e uso de notas falsas nas prestações de conta para compras fantasmas. Uma farra! No escândalo nacional do Lava Jato vemos políticos alagoanos envolvidos até o pescoço, respondendo à imprensa com desculpas esfarrapadas. Outros nem dormem de noite, imaginando que poderão ser os próximos indiciados.

Aí o povo começa a entender de onde veio tanto dinheiro para campanhas eleitorais milionárias. As cabeças dos políticos são diferentes das nossas, pobres mortais. Se puxar o fio da meada, Petrobras, BNDES, Portobras, Eletrobras, Nuclebras, os fundos de pensão do Banco do Brasil, Correios,  poucos escaparão.

Começo a recordar os lances das eleições em Alagoas, tipo: fulano comprou o reduto eleitoral de sicrano! Um candidato recebeu tanto de tal empresa e o outro concorrente recebeu muito menos! E fico pensando: o que a empresa cobrará depois das eleições? De onde vem tanto dinheiro? Não encontro resposta porque minha inteligência é pouca, como diz o França Moura!!!...Aí, amigos, chego a temer o que mais sairá das cabeças tão criativas de nossos políticos. Já sei: o próximo capítulo vai ser antecipar a eleição da Mesa Diretora da ALE.

Ela assumiu em janeiro de 2015, mas existem murmúrios de que os membros componentes da atual Mesa Diretora já estudam o processo de antecipação. Aguardem.

Agora, respondam-me com sinceridade: de onde vem tanta ideia mirabolante? São ou não são os políticos homens portadores de mentes férteis para o mal?  

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia