Acompanhe nas redes sociais:

19 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 832 / 2015

05/08/2015 - 18:09:00

Gabriel Mousinho

Insatisfação na bancada

Ninguém pense que o relacionamento do governo de Alagoas com deputados da bancada anda muito bem, como dizem por aí. A insatisfação é quase generalizada, já que os deputados sofrem para indicar um aliado para cargos na administração pública estadual.Como as eleições do próximo ano se aproximam, a nomeação de um cabo eleitoral ali e outro acolá é fundamental para o projeto político dos parlamentares. Sob pressão dos aliados, os deputados não vêm tendo a atenção que acham que mereciam do governo de Renan Filho, e algumas votações importantes a partir de agosto podem ficar comprometidas.Se os deputados não dizem publicamente para não deixar claro a troca de favores, por baixo dos panos fazem profundas queixas aos principais interlocutores do Governo, que vem alegando economia de guerra para sobreviver à crise que foi instalada em todo o Brasil.Mas, como todos sabem que em política continua a máxima de que é dando que se recebe, o governador Renan Filho já pode esperar uma rebelião de bastidores na sua bancada governista, que poderá rachar caso as pendências não sejam solucionadas.

Muita conversa

A bancada governista na Assembleia Legislativa já passou toda, ou quase toda, nos últimos meses pelo Gabinete Civil, mas alguns deputados saíram com a mesma impressão depois de longo papo com o secretário Fábio Farias: só muita conversa, desfile de dificuldades do Governo, sorrisos, cafezinho, mas, na prática, nada.


Até o tio...

Mesmo sem alardear publicamente, o deputado Olavo Calheiros, tio do governador, também não andaria muito satisfeito com a política adotada. Cada vez mais se afastando da classe política, Renan Filho imprimiu um modo de governar diferente, distante das bases, o que pode lhe trazer problemas futuramente.


Bajuladores

Cercado de um time de bajuladores, com suas raras exceções, os auxiliares do governador Renan Filho não disseram ainda pra que veio na sua administração. Simpáticos até, não se tem o que dizer de muitos deles até o momento, mas alguns assumiram cargos sem a devida competência. Não sabem o que é um empenho, um contrato e coisas mais simples da administração pública. Um vexame.


Primeira hora

Muitos políticos têm reclamado de Renan Filho, mas há outros que acham que o governador está no caminho certo. O vereador Anisão, de Murici, por exemplo, aliado de primeira hora de Calheiros, acredita que, dentro de pouco tempo, a população vai entender o esforço que ele tem feito para colocar o Estado nos trilhos, mesmo desagradando a uma pequena comunidade. Renan Filho, segundo ele, vem cortando na própria carne para viabilizar Alagoas. 


Falta de respeito

A Assembleia Legislativa não tem jeito mesmo. Sem ter nem acomodações para viabilizar espaços para os servidores já existentes, ainda requisita mais 25 do Tribunal de Contas do Estado. Uma vergonha se for considerado que a instituição não paga os salários atrasados aos que já estão ali, não recolhe aos órgãos competentes as obrigações sociais, inclusive o Imposto de Renda, faz uma despesa atualmente desnecessária com a Fundação Getúlio Vargas sob a alegação de uma reforma administrativa, onde está torrando R$ 1,5 milhão e agora inventa o tal de Portal da Transparência, que ninguém sabe se as informações corretas chegarão mesmo por ali.


Conversa fiada

O governo faz finca-pé para não conceder os reajustes pedidos pelos servidores, mas abre mão de R$ 39 milhões em favor da Assembleia Legislativa. A grana é porque a instituição não tem repassado o dinheiro do Imposto de Renda descontado dos trabalhadores. E daí?!

Alívio do Governo

A perspectiva do deputado Dudu Hollanda em pedir licença do mandato para tratamento de saúde na próxima legislatura é um alívio para o Governo. Afinal de contas, o suplente Cícero Cavalcante carregava uma tonelada de mágoas por não ter sido ainda aproveitado na Assembleia Legislativa, embora seja da intimidade dos Calheiros. Dudu, porém, dá mostra de disposição e vitalidade, onde ocasionalmente participa com maestria de vaquejadas no interior de Alagoas.

Arrumação

Para quem está de fora, a impressão, se não for mesmo verdade, é a de que a solicitação de mais 25 servidores do TC é uma arrumação política, para acomodar interesses desse ou daquele deputado. O propósito do presidente Luiz Dantas de dar nova forma à Assembleia Legislativa parece mesmo que foi obra de campanha para ficar com o poder.


Campanha antecipada

Mesmo faltando mais de um ano para as eleições, o município de Igaci saiu na frente. A Justiça local foi obrigada a tomar providências para proibir o derrame de adesivos de candidaturas em veículos, residências e locais na cidade. Ô povinho apressado!


Cadê a UPA?

Com suas instalações físicas prontas há meses, a Unidade de Pronto Atendimento no Benedito Bentes serve apenas para o mato crescer. A população local não entende por que até agora ela não entrou em funcionamento. Entre a vegetação que cresce rapidamente, dois vigilantes, em turnos diferentes, fazem a segurança do local. Um desserviço prestado pelo setor público.


Assim, não! 1

O Centro de Referência em Cidadania e Direitos Humanos, vinculado à Secretaria da Mulher, tem comido o pão que o diabo amassou. Com programa do governo do Estado com a Secretaria Nacional de Direitos Humanos, os servidores contratados estão desde janeiro sem ver a cor de um centavo sequer.  


Assim, não! 2

O mais interessante disso tudo é que até hoje, passados mais de seis meses de governo, a secretária da Mulher, Rosinha da Adefal, nunca esteve na instituição. Talvez não saiba nem onde o Centro de Cidadania funciona. Uma dica: ela fica na Avenida da Paz, ao lado do Iteral.

Situação crítica

Mesmo com o esforço do secretário Alfredo Gaspar de Mendonça, que conseguiu imprimir um combate constante à criminalidade, a violência ainda é tão grande que um veículo da Delegacia Especial de Investigações foi surrupiado pelos ladrões. Imagine como se sente a população alagoana.


Provocação

Os ladrões não estão poupando nem as igrejas, tanto na capital como no interior do Estado. No final de semana, a vítima foi a paróquia de Murici, terra do governador Renan Filho. Os larápios levaram o que encontraram, inclusive o veículo do padre. O secretário Alfredo Gaspar esteve no local, mas até agora os marginais não foram identificados.

Reconhecimento do PV

A recondução do vereador Sílvio Camelo para a presidência do Partido Verde municipal foi um ato de reconhecimento da direção do PV estadual pelo trabalho que ele tem realizado nos últimos anos. Camelo deu visibilidade ao partido, participou de encontros em defesa do meio ambiente e colocou o PV no centro das discussões políticas. O vereador ficará mais dois anos na direção da agremiação municipal.

Ingratidão 1

O deputado João Lyra, nos raros momentos que fala em política, não deixa de transparecer seu desapontamento com o senador Renan Calheiros, a quem deu de mão beijada, quando presidente do PSD, quase dois minutos de televisão na campanha de seu filho para o governo do Estado. JL havia pedido algumas indicações para participar da administração, mas nunca recebeu, sequer, um telefonema do senador.


Ingratidão 2

Como não conseguiu emplacar nenhuma pessoa de sua indicação, solicitou também uma parceria com a Rádio Jornal AM com o governo. Para surpresa de João Lyra, o primeiro repasse do governo para a emissora foi a “fortuna” de R$ 2 mil. Desiludido e decepcionado, passou à frente a rádio para pessoas muito próximas do deputado federal Cícero Almeida.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia