Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 831 / 2015

29/07/2015 - 10:21:00

Abc do interior

Renúncia do vice

O empresário Adoniran Guerra pediu, durante entrevista a emissoras de rádio de Arapiraca, na quarta-feira, 22, a renúncia do vice-governador, Luciano Barbosa, em função de ele não estar honrando os anseios da população da cidade, que, há muitos anos, desejava ter um representante na chapa governista. “O Luciano rasgou o mandato de vice-governador e virou secretário de Educação. Pensamos que ele seria a solução dos nossos problemas, mas ele rasgou o mandato que o povo de Arapiraca lhe outorgou”, lamentou.“Se ele não está servindo para o fim proposto de ser um vice, que renuncie e continue sendo secretário”, pronunciou Guerra.


De olho na sucessão

O empresário anunciou que está sendo formado um grande grupo, com participação de empresários, médicos e comerciantes e também pelo ex-deputado estadual e ex-deputado federal Rogério Teófilo; pela secretária Aurélia Fernandes; pelo representante do DEM em Arapiraca, Fernando Resende; pelos representantes do PSB, Ricardo Barreto e Kátia Born; pelo ex-governador Teotonio Vilela (PSDB); e pelo vice-governador José Thomaz  Nonô (DEM); e também pelo deputado federal Maurício Quintella, do PR, ao qual Adoniran Guerra irá se filiar.


Carta aberta 

“Iremos promover o ‘Encontro de Outubro’, que é o mês da Emancipação Política de Alagoas, quando iremos redigir uma carta aberta ao povo, com os motivos que estão levando à união de um grupo comum novo modelo de gestão. Pretendemos eleger um novo prefeito e vice de Arapiraca, um deputado federal, dois deputados estaduais e um senador”, resumiu.Região norteNa manhã de quarta-feira (22), oito prefeitos da região norte do Estado se reuniram em Maragogi. A crise econômica e o comprometimento das contas municipais centralizaram a maior parte dos assuntos debatidos no encontro.


Medidas

Os prefeitos Amaro Gilvan, Márcia Coutinho, Newberto Neves, Marquinhos do Nascimento, Rogério Farias, Manoelzinho, Eraldo Pedro e Henrique Madeira, respectivamente, dos municípios de Campestre, Passo do Camaragibe, Japaratinga, Matriz do Camaragibe, Barra de Santo Antônio, Jacuípe, São Luís do Quitunde e Maragogi, estudam adotar medidas em conjunto para reduzir gastos e garantir o fechamento das contas em 2015, em virtude da queda acentuada de repasses e aumento dos compromissos dos municípios.


Recursos

Segundos dados comprovados, o cenário prevê um segundo semestre crítico para as prefeituras, na medida em que os repasses federais e estaduais poderão atrasar, ou até mesmo não vir. Conforme o prefeito Henrique Madeira, os gestores devem adotar medidas emergenciais de contenção. “A população precisa saber que os municípios estão pagando para manter os serviços de saúde e programas sociais, como o Bolsa Família, por exemplo, sem sequer saber se os recursos serão repassados. Estamos deixando de investir em áreas sociais e em obras cobradas pela população, para cobrir responsabilidades que não são nossas”, destacou.


Providências

O Prefeito de Matriz, Marquinhos do Nascimento, destacou que as prefeituras estão comprometidas em tomar providências para manter seus caixas em dia. “Há meses, estamos sofrendo com um abalo na contabilidade dos cofres públicos. Precisamos, urgentemente, traçar alternativas, pois a situação não está boa e as previsões para os próximos meses, muito menos”, salientou.


Cangaço

Entre os dias 25 e 28 de julho, na “Lapinha do Sertão, o deputado estadual Inácio Loiola (PSB) participará do maior encontro de “cangaceirólogos” do país, na busca da verdade histórica, resgatando a cultura e identidade do povo sertanejo. O evento, que está em sua terceira edição, neste ano será realizado às margens do São Francisco, na cidade de Piranhas/AL. 


Piranhas

A convite do Instituto Cariri do Brasil e da Prefeitura Municipal de Piranhas, Inácio Loiola traz a público as palestras: “Piranhas e Sua História” e “Contextualização Histórico-Geográfica da Invasão dos Cangaceiros”. Para o parlamentar, falar do cangaço em Alagoas é uma alegria constante, com o detalhamento do plano de invasão até a morte de Lampião, um verdadeiro resgate cultural.

Queda dos repasses

Segundo os gestores, mesmo com os cortes já implementados pelas prefeituras da região, desde o mês de novembro de 2014, os municípios não têm como adequar o orçamento diante da queda brusca dos repasses, o que os levará a rever a política de gratificação e números de cargos comissionados e contratados. “Está ficando insustentável para as prefeituras manter os serviços essenciais à população. A saída é cortar na própria carne para não deixar as contas municipais no vermelho”, afirmou o prefeito Rogério Farias.

PELO INTERIOR

... Os servidores da rede municipal de ensino da Barra de Santo Antônio, no litoral norte de Alagoas, completaram nesta quarta-feira (22) o terceiro dia da paralisação de advertência por defasagem salarial e outras reivindicações legais não cumpridas por parte da gestão do município.


... Os trabalhadores, tendo o Sinteal (Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas) à frente, fizeram uma caminhada por toda a cidade comunicando e alertando os pais de alunos sobre os verdadeiros motivos da paralisação.


... A presidente do Sindicado dos Traba-lhadores da Educação de Alagoas (Sinteal), Consuelo Correia, afirmou que os trabalhadores cobram uma defasagem de 8,32%, que era para ser aplicada em janeiro de 2014, e mais 13,10% no mesmo mês de 2015, o que dá um total de 21,42% de diferença nos salários dos servidores da Educação.


... “O Sinteal está com o trabalhador e não abre mão, por ser um índice que compõe o piso salarial profissional regido pela lei federal nº 11.738”, assegura a presidente Consuelo Correia ao afirmar que as reivindicações não se restringem só ao índice de defasagem de 21,42%.


... “O Sindicato está preocupado, também, com os investimentos na Educação que não existem. Isso sem falar nos programas federais de merenda escolar e PDDE [Programa Dinheiro Direto na Escola] que servem para pequenas compras e serviços nas escolas, que não são aplicados como deveriam”.


... “Outro problema é a falta de segurança dos alunos e servidores dentro das escolas, por conta das estruturas físicas, que são precárias”, disse a líder sindical Consuelo Correia, para lembrar que, há alguns dias, caiu uma parte da Escola 7 de Setembro.


... A secretária de Educação, Tânia Sales, e o prefeito, mesmo com todos esses descasos, não atenderam as lideranças sindicais, mas mandaram uma proposta, que antes era zero, através de um vereador de sua bancada oferecendo 6%, que de pronto foi rejeitada pela categoria.


... Aos nossos leitores desejamos um excelente final de semana, cheio de paz e saúde. Até a próxima edição!!!

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia