Acompanhe nas redes sociais:

17 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 831 / 2015

29/07/2015 - 10:13:00

SURURU

Sob nova administração

DA REDAÇÃO

Após décadas de desmandos, o Tribunal de Contas de Alagoas dá sinais de que pretende enterrar seu passado nebuloso e ingressar na era da transparência, tão exigida dos órgãos de fiscalização. É o que tem demonstrado o atual presidente da chamada corte de contas, com a implantação de medidas para resgatar a credibilidade do órgão.

Em apenas seis meses, o conselheiro Otávio Lessa surpreendeu até os mais pessimistas ao mexer no vespeiro da folha de pagamento, cortar salário dos servidores que não trabalham e tentar acabar com o cabide de emprego em que se transformou o Tribunal.

Em outra frente, o TC está investindo na qualificação profissional de seus servidores e na aproximação com a sociedade através de moderno portal da transparência e um canal de TV aberto.

Medidas essas iniciadas na gestão do conselheiro Cícero Amélio e sequenciadas pelo atual presidente Otávio Lessa.Para exigir transparência, é preciso ser transparente nas ações e na relação com as prefeituras e demais órgãos públicos sob sua fiscalização.

Novo abrigo

Servidores do Tribunal de Contas ameaçados de perder o emprego por não comparecer ao trabalho foram colocados à disposição da Assembleia Legislativa a pedido da Casa, com ônus para o TC - como manda a lei. Maioria deles responde a processo administrativo “por abandono de emprego”, o que não será interrompido. Até agora foram salvos pela política do apadrinhamento e do clientelismo político. 


A lição do Severino

Bons tempos aqueles em que o presidente da Câmara dos Deputados – Severino Cavalcanti –  renunciou ao cargo e ao mandato parlamentar sob acusação de receber um “mensalinho” de R$ 10 mil para prorrogar a concessão de um restaurante da Câmara, em 2005.  Severino negou a propina e disse que saía do Congresso como chegou: endividado. Bem diferente de seu colega de hoje – Eduardo Cunha –, que foi acusado de receber propina de US$ 5 milhões, se mantém firme no cargo e ainda declara guerra à presidente da República e ao Ministério Público Federal. 

Espertalhão

O deputado federal Cícero Almeida gastou todo seu vocabulário chulo para xingar o jornal EXTRA por divulgar seu interesse pela compra da rádio de João Lyra. Puro jogo de cena.A transação comercial continua e só não foi ainda concretizada porque Almeida não quer assumir o débito trabalhista da emissora, que hoje passa de R$ 2 milhões. Esperto, quer ficar com a rádio e livrar-se dos trabalhadores.


Você será preso, Dirceu!

Pela última vez, José Dirceu: não, você não ganhará um habeas corpus preventivo para se livrar da prisão. O Tribunal Regional Federal negou quarta-feira (22), por unanimidade, o pedido do mensaleiro.  A decisão é definitiva. A Lava Jato poderá prender José Dirceu quando bem entender. (Diogo Mainardi).  


Deu no Financial Times

 “A incompetência, arrogância e corrupção quebraram a magia do país, que poderá enfrentar tempos mais difíceis”.“O Brasil hoje tem sido comparado a um filme de terror sem fim”, diz o jornal britânico em artigo intitulado “Recessão e corrupção: a podridão crescente no Brasil”.

Competência

O delegado do 9º Distrito da capital, Nivaldo Aleixo, juntamente com sua equipe, tem conduzido com competência o trabalho iniciado pelo secretário de Defesa Social, Alfredo Gaspar de Mendonça, no Jacintinho. Após a varredura na região, o bairro tem se tornado um lugar mais seguro para viver.

Descaso
Os moradores de Paulo Jacinto estão na bronca com a demora na entrega do novo hospital daquele município. As obras iniciaram logo após a enchente de 2010, que levou parte da antiga unidade de saúde, mas o descaso com a obra leva a crer que será mais um elefante branco.

Descaso 2
Mas o que irrita os paulo-jacintenses é que, enquanto a obra não avança, os pacientes são atendidos na Unidade Mista Marina Lamenha que teve parte do prédio engolido pela enchente do Rio Paraíba em 2010.

Descaso 3
O problema não está apenas na estrutura física da unidade. Quem necessita dos serviços médicos passa por constrangimentos de falta de material humano e hospitalar. 

Desaforamento

 Por decisão do TJ, o julgamento do vereador de Palestina Luciano Lucena de Farias foi transferido para Maceió a pedido do Ministério Público. Ele é acusado de haver assassinado, com quatro tiros, Manoel Messias Simões de Couto. O crime aconteceu em julho de 2009. Lucena chegou a ser julgado pelo crime no Fórum de Pão de Açúcar e foi absolvido, mas o júri foi anulado depois que o MP denunciou que jurados do Conselho de Sentença haviam sido ameaçados pelo réu.


Caso Davi Silva

A Procuradoria-Geral da República pode passar para a esfera federal as investigações policiais e o processo judicial sobre o desaparecimento do adolescente Davi Silva. O pedido consta do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Violência que pede a federalização de 17 casos envolvendo crimes contra jovens e negros. Davi tinha 17 anos e desapareceu no dia 25 de agosto do ano passado, no Benedito Bentes, após ser levado por uma equipe da Radiopatrulha da Polícia Militar. Contra o jovem não havia qualquer acusação.Segundo testemunhas, ele teria protestado contra a forma violenta com que os PMs abordavam as pessoas na ocasião.

Nepotismo

As prefeituras de Barra de Santo Antônio e Porto de Pedras, no litoral norte alagoano, estão na mira do Ministério Público. Portaria publicada ontem no Diário Oficial manda que ambas entreguem a lista completa de seus servidores efetivos e comissionados. A suspeita é de nepotismo cruzado entre os prefeitos da Barra, Rogério Farias, e a filha dele, Camila Farias, que administra Porto de Pedras.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia