Acompanhe nas redes sociais:

24 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 830 / 2015

22/07/2015 - 18:26:00

Frota alagoana de 665 mil carros cresce 54 mil unidades por ano

Estado também registra aumento nos pedidos de pagamento de seguro por morte em acidentes

José Francisco Martins Especial para o EXTRA

A frota de veículos em Alagoas aumentou 8.83% no intervalo de março de 2014 a março deste ano. O índice, apesar de parecer pequeno, representa 53.938 automotores a mais circulando pelas cidades e rodovias do estado. No total, a frota alagoana registra 664.498 veículos entre automóveis, vans, motocicletas, ônibus, caminhões e pickups. O balanço é do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) divulgado no dia 7 deste mês.

Segundo o assessor especial de Trânsito da Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito (SMTT) da capital, Roberto Barreiros Silva, um terço deste montante estão na Grande Maceió. “Já sentimos esse aumento de frota no último ano pela ocupação das ruas e também pelos casos de desrespeito no trânsito. Cabe agora à prefeitura abrir mais vias para desafogar grandes avenidas como a Fernandes Lima”, informou. 

O aumento da frota também não passou despercebido pelo Sindicato dos Concessionários e Distribuidores de Veículos em Alagoas (Sincodiv-AL). Conforme a assessoria de comunicação da entidade, o consumidor aproveitou a queima de estoque das montadoras, além dos preços com taxa em 0% e bônus extras. 

No ranking do estado do Nordeste que tem mais veículos, a Bahia aparece em primeiro lugar com 3.416.497 unidades, em seguida do Ceará (2.600.461) e Pernambuco (2.558.770). Alagoas ocupa o penúltimo lugar apenas à frente de Sergipe (616.251). No estado, a frota é formada por 318.147 automóveis, 261.390 motocicletas, 72.550 caminhões e pickups e 12.411 entres microonibus, vans e ônibus.


MORTES NO TRÂNSITO

De janeiro a março de 2015 foram pagas 186.029 indenizações do Seguro DPVAT em todo o Brasil, o que corresponde a um aumento de 15% na comparação com o mesmo período do ano anterior. É o que aponta o Boletim Estatístico da Seguradora Líder-DPVAT.  Mais de 145 mil pessoas receberam indenização por Invalidez Permanente no primeiro trimestre de 2015. Em 2014, foram 121,7 mil. Os acidentes com motos corresponderam a 80% das indenizações dessa cobertura.

As estatísticas mostram, ainda, que os homens continuam sendo a maioria das vítimas de trânsito: 75% do total dos acidentados segurados. Quando analisado o tipo de vítima, verifica-se que 64% (119.747) são motoristas, 19% (34.575) passageiros e 17% (31.707) pedestres.A faixa etária mais atingida foi a de 18 a 34 anos, representando 52% do total das indenizações pagas, o que corresponde a 96.639 indenizações. Em seguida, vem a faixa etária de 35 a 64 anos, representando 38% das indenizações (71 mil). A faixa de 0 a 17 anos equivale a 6% (11.139), enquanto a faixa de 65 anos ou mais, 4% (7.011) das indenizações pagas no período analisado.

Em Alagoas, o número de indenizações pagas por morte aumentou de 169 casos de janeiro a março de 2014 para 188 neste mesmo período do ano, registrando um aumento de 5,53%. A região Nordeste concentrou a segunda maior incidência por morte (29%), porém com maior participação das motocicletas, que representaram 62% das indenizações na região. O Nordeste concentra apenas 17% do total de veículos do Brasil, sendo que a sua frota de motocicletas representa 27% da frota de motocicletas do país e 44% do total de veículos da região.

Cerca de 90% das indenizações por morte por acidentes com motocicletas foram para vítimas do sexo masculino. Já para os casos de vítimas com sequelas permanentes, 77% das indenizações por acidentes com motocicletas também foram para vítimas do sexo masculino, enquanto 34% das indenizações por acidentes com os demais veículos foram para as mulheres, demonstrando que a concentração de vítimas do sexo masculino é maior nos acidentes com motocicletas do que com os demais veículos.O período com a maior incidência de acidentes envolvendo motocicletas indenizados por Morte e Invalidez Permanente foi o anoitecer (23%) seguido pela tarde (22%).


SEGURO DPVAT

Criado em 1974, o Seguro DPVAT indeniza todas as vítimas de acidentes de trânsito no Brasil, sem necessidade de apuração da culpa, seja motorista, passageiro ou pedestre, e o prazo para solicitação da indenização é de até três anos a contar da data do acidente, para os casos de morte ou reembolso de despesas médicas, e no caso da invalidez permanente este prazo tem início na data da ciência da invalidez pela vítima. A vítima ou os herdeiros legais não precisam contratar nenhum tipo de atravessador. Solicitar o Seguro DPVAT é gratuito e existem pontos oficiais, como as agências dos Correios. A própria vítima ou beneficiário pode ir a um ponto oficial de atendimento em posse da documentação completa para dar entrada no benefício. Com a documentação correta, a indenização é paga em até 30 dias. (Com assessoria)

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia