Acompanhe nas redes sociais:

22 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 830 / 2015

22/07/2015 - 10:57:00

S.O.S ALAGOAS

Cunha Pinto

Operação Lava Jato

Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, comentou que os métodos usados pelos agentes da Polícia Federal beiram a intimidação. Entende que o compromisso das instituições públicas é garantir “a eventuais suspeitos o direito de apresentar contraditório, como assegura a Constituição Federal”.

Estaleiro EISA

Governos anteriores têm a dizer o quê depois de o governador Renan Filho (PMDB) ter dito que não existe sequer, ainda, área decidida para o Estaleiro EISA, em Coruripe? E se o projeto for executado quando as obras vão começar?


 Palavras de Renan:

“O estaleiro foi anunciado muito prematuramente como concreto e gerou muita dificuldade. O estaleiro andou, conseguiu licença ambiental com a mobilização de toda a bancada federal, mas o Estado sequer comprou o terreno”. Agora os cidadãos perguntam: quem vai ressarcir as despesas cobertas pelo contribuinte? E quem avaliza credibilidade às promessas de hoje?


Dúvida

Maceioense, apegado a campanha eleitoral, não confia que as eleições municipais em 2016 ofereçam inovações e motivo é o fato de os cargos não envolverem os legislativos e executivos federal e estaduais. São municipais. De prefeito e vereador.


Imundície

Transformar ruas em depósito de lixo tem como suspeitos da imundície os moradores da própria rua. A queixa é habitual na vizinhança. Caso em questão é uma das ruas que liga a Jatiúca ao Santo Eduardo e área mais emporcalhada a calçada do Colégio Rosalvo Lobo.

 
Polo Agroalimentar

O secretário Pablo Escobar, da Ciência e Tecnologia (AL) esteve reunido recentemente em Arapiraca e pauta foi botar para funcionar o Polo Tecnológico Agroalimentar no município. Dos acertos ficou de ser liberada uma verba mensal de R$ 40 mil para viabilizar o início das atividades. 


Peso no bolso

O maceioense, aos poucos, vai mostrando mais consciência sobre a necessidade de cortar gastos domésticos. Dentre as prioridades aparece uso controlado da energia elétrica. Preocupação é natural e já extensiva a donos de estabelecimentos comerciais. 

De Delfim Neto

“Não há corrida honesta em uma sociedade desigual porque boa parte da nossa gente não tem duas pernas para correr. O processo de inclusão é fundamental para dar condições de o cidadão construir sua cidadania”. (Fonte: Carta Capital).

Outra atenção

Proposta contendo sugestões de entidades ligadas aos trabalhadores, e objetivo mudar as leis trabalhistas, está arquivada em Brasília. Uma situação que carrega dúvida entre sindicalistas, mas em Alagoas, é se elas são para sempre ou têm espaço a entendimento.


Excessos

Desatenção à violência nas ruas extrapola o insuportável em Maceió e quem reage? Os governantes? A sociedade? Justiça? Agentes da segurança pública? Comentário teve a ver com as leis ainda hoje aplicadas com sustentação num Código Penal ineficaz para os dias de hoje. 


Polícia no interior

A Secretaria de Segurança Pública, paralelo às ações em Maceió, começa a impor a lei no interior. Operações em Água Branca, Pariconha e Delmiro Gouveia fizeram 21 prisões de indivíduos portando armas e integrantes de gangues ligadas ao tráfico de drogas e roubos. 


Depredação

O princípio do “quem faz aqui tem que pagar aqui mesmo” foi comentado recentemente por um grupo de eleitores proclamando insatisfação pelo Brasil de hoje. Na concordância sobraram críticas agressivas a políticos ocupantes de cadeiras no Congresso e à presidente Dilma Rousseff.


Dor no bolso

O prefeito Rui Palmeira tem dificuldade de dialogar com funcionários efetivos da Prefeitura e da razão citada o “arrocho salarial”. Na reivindicação recente a categoria pleiteou 17% de reajuste mas pressionada aceitou 6%. Assim mesmo parcelado.


Avanço da Aids

No começo da semana foi divulgado informação na imprensa do Sul constando que nos anos de 2010 e 2011 foi registrado aumento de casos de Aids diagnosticados no Brasil. Não que haja dúvida na informação, mas foi considerado estranho informação não conter dados estatísticos.


Advertência de Dilma 

“Eu não respeito delator. Até porque estive presa na ditadura e sei como é. Tentaram me transformar numa delatora. A ditadura fazia isso com as pessoas presas.”. Nota foi divulgada na revista IstoÉ, edição do dia 8 último. Dilma na terça, 14, teve uma reunião com Lula. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia