Acompanhe nas redes sociais:

23 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 829 / 2015

15/07/2015 - 09:48:00

Gabriel Mousinho

Trapalhadas da Assembleia

A Assembleia Legislativa não tem mesmo jeito. Afora a posição de alguns deputados, outros não estão nem aí para o que possa acontecer. A instituição deve centenas de milhares de reais aos seus servidores, paga 1 milhão de reais à Fundação Getúlio Vargas para fazer uma auditoria na folha e decide contratar, a peso de ouro, mais 120 assessores para os senhores deputados.Esta situação só mesmo na cabeça da direção da Casa de Tavares Bastos que colocou o assunto em pauta para ser votado. Como é que a Assembleia deve aos seus servidores, ativos e inativos e tem a cara de pau de decidir pela contratação de mais 120 servidores. O que se pensava é que a nova Mesa Diretora da Assembleia iria colocar ordem na casa; observa-se que não é bem assim e nunca será.Lastimável.

A velha prática

Com um histórico negro, a Casa de Tavares Bastos parece sentir vergonha do que se faz lá dentro. Alguns parlamentares bem que tentam encontrar um rumo para a Assembleia, mas a maioria pensa completamente diferente. Devendo aos seus servidores, pelo menos são muitos abnegados e outros, convenhamos, parasitas, os deputados aprovam a contratação de mais 120 assessores, enquanto a Mesa Diretora parece querer descobrir quem produziu o conto da carochinha, pagando 1 milhão de reais para organizar a folha de pagamento da instituição. Parece brincadeira.


Sem preocupação

Enquanto gasta dinheiro dos nossos impostos, a Assembleia dá uma demonstração de que aquela Casa não tem mesmo mais jeito. E não adianta integrantes da Mesa Diretora tentarem justificar o injustificável. Tem atrasado o recolhimento do Imposto de Renda e outros tributos, trata os servidores com indiferença sem pagar o que deve e ainda vai mandar para ali mais 120 assessores, onde não terão nem onde sentar.


Sentimento

Todo mundo sabe da disposição e dos bons propósitos do presidente da Assembleia, Luis Dantas, de colocar nos eixos a instituição. Mas esbarra no apetite de alguns deputados, insatisfeitos com o tratamento que recebem. Dantas, por baixo dos panos, lamenta que o jogo do poder é assim e vai continuar naquela de ´´deixa a vida me levar´´.


´´Eu quero o meu´´

Quando reivindica reajuste para o seu salário, o deputado estadual Dudu Hollanda não está escondendo a verdade. Ele sabe quanto custa um mandato de deputado, que em Alagoas extrapola a razoabilidade. Dudu não tem papas na língua, ao contrário de outros que se escondem no anonimato. O que o deputado não pode é perder o equilíbrio e discutir asperamente com internautas. Assim, perde a razão. 

Deixa pra lá

O prefeito Rui Palmeira, que começa a enfrentar certos setores da oposição, tem repetido várias vezes de que campanha eleitoral só no próximo ano. Rui tem se desdobrado para atender a periferia da cidade e ignora provocações de adversários sobre as eleições do próximo ano. Ele tem estômago de avestruz, revelam assessores da prefeitura.


Prestígio

O ministro do Superior Tribunal de Justiça, Humberto Martins, mostrou que tem mesmo prestígio. Levou dezenas de autoridades para o exterior para prestigiar o casamento de sua filha.


Oposição reunida

A próxima eleição da OAB, marcada para novembro, terá lances especiais. Os pré-candidatos Marcelo Brabo, Welton Roberto, Omar Coêlho de Mello estão decidindo renunciar a qualquer candidatura e se unir em torno de um projeto de resgate da advocacia alagoana. O grupo, junto com outras entidades, se uniria para bater chapa com a situação, que poderá ter como candidata a professora e advogada Fernanda Marinela.


Desistiu

Nos bastidores da OAB se comenta que o atual presidente Thiago Bomfim não será candidato à reeleição. Grupos da situação já estão se dividindo e a eleição da OAB será uma das mais disputadas dos últimos anos.BaixariaNem bem começou a campanha da OAB, as redes sociais já demonstram como será o nível do embate. As agressões se sucedem de uma forma surpreendente, muito embora ainda não estejam definidos os candidatos da oposição e situação.


Uma fortuna

Pelas avaliações feitas por alguns advogados, tem gente disposta a jogar na campanha da OAB a fortuna de 8 milhões de reais, naturalmente com o objetivo de conseguir espaço mais na frente. 


Perdendo forças

O governador Renan Filho, ao longo de seis meses de governo, já não conta com uma bancada efetiva na Assembleia Legislativa. Ninguém sabe quem é quem no apoio ao governo. Tratados a pão e água, alguns deputados começam a se dispersar.


Calamidade

As últimas chuvas que caíram em Maceió deixaram a cidade sob lama, água e lixo. O Salgadinho despejou toneladas de lixo na praia, mostrando que a obra no Vale do Reginaldo é indispensável. A população também tem contribuído para a situação degradante do riacho. Nas ruas, a Prefeitura de Maceió tenta tapar os buracos causados pelas fortes chuvas, mas não dá vencimento. 


Mellina e a Justiça

A secretária de Cultura do Estado, Mellina Freitas, assim como outras doze pessoas, tiveram seus bens bloqueados até o limite de aproximadamente 15 milhões de reais, em decisão do desembargador Domingos Neto, que viu indícios de irregularidades durante sua administração quando prefeita de Piranhas. Mas isso não quer dizer que Mellina seja culpada da acusação de improbidade administrativa. Somente com as investigações e o desenrolar do processo na Justiça vai se saber quem realmente tem culpa no cartório. Fazer juízo de valor, no momento, parece ser precipitado. 


Collor e sua metralhadora

Incomodado com as constantes reportagens da revista Veja, da qual já ganhou mais de 500 mil reais de indenização por danos morais, o senador Fernando Collor acionou sua metralhadora giratória e bateu forte na revista no início da semana. Collor denunciou achaque da Veja e disse que tudo girou porque quando presidente não se dobrou a financiar a Editora Abril, que estava desvirtuando o dinheiro repassado pelo governo federal para projetos educacionais.

Devagar que o andor...

O deputado federal Cícero Almeida, pelo menos o que tem circulado na imprensa, está com a carga toda para disputar, no próximo ano, a Prefeitura de Maceió. É um direito seu. Foi um bom prefeito, popular, mas sabe que, com o eleitorado, não se brinca. Pelo menos o resultado das urnas em Maceió não foi bom para Almeida. E ninguém, mais do que ele sabe disso. Costurar uma grande aliança é fundamental para o ex-prefeito. E precisa ter humildade para perseguir um novo mandato de prefeito de Maceió.


...é de barro

As dificuldades para uma carreira solo são muito grandes. Cícero Almeida é um grande político, interage como ninguém com a população, mas sabe que esse mesmo povo que lhe elegeu prefeito, lhe deu as costas na sua candidatura a deputado federal. Seu desempenho nas urnas foi decepcionante. E ele sabe disso.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia