Acompanhe nas redes sociais:

26 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 828 / 2015

08/07/2015 - 18:10:00

Rui Palmeira vai ao MPF denunciar venda de apartamentos na Vila dos Pescadores

Até jornalista comprou imóvel de forma ilegal; pente-fino quer devolução de residências

Odilon Rios Especial para o EXTRA

A Prefeitura de Maceió está fazendo um “pente-fino” na Vila dos Pescadores, destinada aos moradores retirados pela administração municipal da antiga favela de Jaraguá, para denunciar quem vendeu e quem comprou os apartamentos que deveriam abrigar as famílias do bairro. 

Segundo o prefeito Rui Palmeira (PSDB), há informações que até uma jornalista comprou pelo menos um apartamento na Vila.“Algumas pessoas vendem de maneira irregular, ilegal, aqueles apartamentos, mas vamos fazer um pente-fino na Vila dos Pescadores lá no Sobral”, disse Rui. O resultado será entregue ao Ministério Público Federal.“Também vamos cobrar a devolução destes apartamentos”, explicou o prefeito.Fraudes também na lista dos moradores inscritos para o aluguel social estão sendo apuradas pela administração municipal.A retirada (na versão da Prefeitura) ou expulsão (segundo o movimento Abrace a Vila) virou um  desafio na administração do prefeito.

Segundo ele, está na conta da administração municipal, depositados, o valor para a construção do Centro Pesqueiro, destinado aos pescadores.Portanto, ele sairá do papel- segundo o chefe do Executivo Municipal. Nesta semana, a área foi cercada e as obras começam a ser executadas quando as chuvas na capital diminuírem. Esta é a versão oficial.O dinheiro é uma divisão. Do Ministério das Cidades, R$ 19 milhões, e contrapartida do município, de R$ 4,6 milhões, totalizando R$ 23,6 milhões entre o projeto de habitação, que já foi concluído com a construção do residencial, do Centro Pesqueiro, além da ampliação da Escola Municipal Antídio Vieira, no Trapiche.

 “Não existe projeto de Marina (…) não podemos construir moradia naquela região, temos um laudo do IMA. Não vamos construir absolutamente nada no terreno da favela de Jaraguá. Isso á absolutamente impossível (…). Garanto a vocês. O Centro Pesqueiro sai do papel”, disse Rui.“Ninguém será prejudicado. A cidade de Maceió vai ganhar com este projeto. É um projeto que vem para revitalizar definitivamente o bairro de Jaraguá”, explicou o prefeito.

Versões

Na versão da Prefeitura, o Centro Pesqueiro será um mercado de peixe, com área de vendas, com 60 depósitos para armazenar o pescado, três estaleiros para fabricação e conserto de barcos, uma fábrica de gelo, um galpão com 30 depósitos para refrigerar o pescado, mais seis oficinas.

Por outro lado, desde a execução do plano da Prefeitura, surgiram problemas. Desde o local onde ficariam as famílias (originalmente elas deveriam ser postas na escola Nosso, Lar, antigo Hélio Lemos, mas foram recusadas pela comunidade escolar. Depois, foram transferidas para a escola Rui Palmeira, também expulsas), até o espaço improvisado (a creche ao lado da Secretaria Municipal de Educação, no bairro do Bebedouro).

Reclamações ainda dos pescadores no local da antiga favela- onde ficaram o espaço do pescado: havia risco de furto ou roubo do material.

Para Rui, os problemas foram resolvidos. Nesta semana, o Movimento Abrace a Vila- que mantem contato com os pescadores- suspendeu as mobilizações pelas redes sociais As famílias que receberam o aluguel social têm de esperar os apartamentos, no bairro do Benedito Bentes, entregues até dezembro. 171 famílias recebem o auxílio moradia, porém nem todas receberão os apartamentos.

Porque a Secretaria de Habitação verifica quem recebeu os apartamentos e quem está cadastrado em outros programas.“Temos unidades para todos. Óbvio que teremos um controle rigoroso porque no primeiro dia do atendimento detectamos pelos menos 200 pessoas querendo se aproveitar”, disse o secretário de Habitação, Mac Lyra.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia