Acompanhe nas redes sociais:

13 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 825 / 2015

17/06/2015 - 19:06:00

Arapiraca espera Collor, Renan e Téo Vilela para iniciar campanha

Célia Rocha vai à reeleição, mas terá de administrar desejos de Adoniran Guerra, a fúria de Rogério Teófilo e um manso Tarcisio Freire

Odilon Rios Especial para o EXTRA

Segundo maior colégio eleitoral de Alagoas, a cidade de Arapiraca espera a presença de poderosos personagens da política nacional para iniciar as discussões eleitorais. Em primeiro plano, está a reeleição da prefeita Célia Rocha (PTB). Mas, há mais tarefas ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), ao senador Fernando Collor (PTB) e ao ex-governador Teotonio Vilela Filho (PSDB). A eles caberá definir quem é quem em Arapiraca.Quem é quem significa: o candidato fica ao lado de Célia Rocha? Ou será oposição? Ou fica em cima do muro, esperando compor durante a campanha?O empresário Adoniran Guerra, por exemplo, é aliado do vice-governador e secretário Estadual de Educação, Luciano Barbosa (PMDB).

Mas, quer ser candidato a prefeito. E Luciano Barbosa é aliado de Célia Rocha. Adoniran escolhe a amizade ou a política? Ou ficará a reboque do grupo de Célia?Rogério Teófilo é velho opositor da atual prefeita. Deve ser lançado candidato à Prefeitura. Tentou vencer, no tapetão da Justiça Eleitoral, Célia Rocha. Na ação, dizia que “até as pedras” em Arapiraca sabiam de um romance entre Célia e Luciano Barbosa- o que impediria a eleição da atual gestora. Como as pedras não falam ou simplesmente não sabem de nada, Rogério perdeu duas vezes: na eleição e na Justiça.

Espera recuperar o prejuízo na campanha de 2016.Porém, Rogério ainda é tucano. E aliado do ex-governador Teotonio Vilela Filho (PSDB), que não esconde afeição antiga por Célia Rocha. Mas, a política tem amizade ou interesses?Há mais: de volta ao cenário político, após receber do inexpressivo sobrinho e dublê de deputado federal Pedro Vilela a presidência estadual do PSDB, o ex-governador está em campo para garantir uma das duas vagas ao Senado em 2018. E realiza o teste em 2016, quando vai tentar aliança com o presidente do Senado, passando pelo governador Renan Filho (PMDB).

E Renan Filho aceitará pisar no mesmo palanque de quem hoje herda o Governo? Há duas semanas, o governador fez compras emergenciais de remédios. E a justificativa da Secretaria Estadual de Saúde é que os problemas foram herdados da gestão passada. O seja: Téo Vilela. Há, ainda, a própria situação fiscal do Estado- que esta semana dominou o noticiário local.Sobra o deputado Tarcisio Freire (PSD), de atuação minúscula na Assembleia Legislativa, mas montado na votação que pode lhe render a chance de ser prefeito de Arapiraca. CéliaA era Célia Rocha é bem menos expressiva do que parece.

Assessores responsabilizam o ajuste fiscal do Governo Dilma Rousseff, que vem sufocando as contas dos estados e municípios. Oposição diz que o secretariado é que é o verdadeiro problema e, na lista, em primeiro lugar, está Ubiratan Pedrosa, da Saúde.Críticas à parte, Célia Rocha é aliada de Renan Calheiros e Fernando Collor.

Estando juntos em 2016 em Arapiraca (a princípio) terão que resolver o dilema em Maceió.Maceió está sob domínios do prefeito Rui Palmeira (PSDB). Lida com a crise na saúde- aposta na inauguração da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no Trapiche da Barra para despressurizar o desejo do eleitorado. E tem problemas na educação- a construção das creches parou e as escolas em tempo integral seguem o mesmo rumo.

Renan Filho diz estar “muito longe” a definição de uma aliança com o prefeito de Maceió. “Muito longe” é uma referência ao tempo, afinal as eleições são no próximo ano.Em verdade, existem dúvidas: Renan Filho e Renan Calheiros ficam com Rui Palmeira? Há especulações palacianas para emplacar o vice-governador Luciano Barbosa na empreitada: ele ser o candidato do PMDB na capital. Será?Seja como for, neste assunto, Collor mantem silêncio. Há quem diga que ele prepara o “estouro da boiada”.

Mas, o senador pode ser mais pragmático: manter a aliança com os Renans.Ou investir no pouco confiável ex-prefeito Cícero Almeida, que estaria a ponto de pagar R$ 2 milhões pela rádio Jornal- do falido empresário João Lyra.2016 começou. E vem com algumas dúvidas. E certezas.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia