Acompanhe nas redes sociais:

20 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 824 / 2015

09/06/2015 - 20:47:00

Gabriel Mousinho

Golpe na Santa Casa

Só o tempo dirá com o andamento das investigações, mas a Santa Casa de Misericórdia de Maceió, uma instituição da maior credibilidade junto aos alagoanos, sofreu um duro golpe na manhã da última terça-feira, com a divulgação da Operação ´´Iscariotes´´, desencadeada pela Polícia Federal.Não se esperava que chegasse a tanto, mas as denúncias do advogado Adriano Soares feitas rotineiramente numa queda de braço com a provedoria, mostravam que alguma coisa iria acontecer. E aconteceu.A Santa Casa vai ter que explicar essa história de TDAs ou títulos podres, assim como outras empresas que estão sendo investigadas e que teriam como principal objetivo fraudar a Receita Federal. Todos sabem que investigação não é sinônimo de culpabilidade e a Santa Casa vai ter, durante todo o inquérito e instrução processual caso as denúncias sejam acatadas pela Justiça, de mostrar se estava certa ou errada. Não se pode negar, porém, que para autorização de mandados de busca e apreensão na residência de gestores e da própria instituição, é necessário indícios. E eles devem ter convencido os juízes federais.O que não se pode, nem deve, é se fazer julgamento precipitado e consequentemente não jogar na lama no nome de pessoas reconhecidamente honradas até agora, a exemplo do provedor Humberto Gomes de Melo. Independentemente dos fatos atuais, a Santa Casa atingiu um nível de excelência nunca vistos até agora. É lamentável, entretanto, sob todos os aspectos, que o nome da instituição esteja envolvido em escândalos desta natureza.

Olho do furacão

Demorou, mas as constantes denúncias do advogado Adriano Soares e a delação premiada de Kléber Bené Bezerra, à Polícia Federal no início de janeiro, deram o mote para uma investigação mais profunda e que culminou com a Operação da última terça-feira.


Queda de braço

Fazia muito tempo que o advogado Adriano Soares que faz parte da Irmandade da Santa Casa, vinha denunciando possíveis desvios de conduta da gestão da Santa Casa. Ganhou até alguns processos por isso. Mas ganhou o primeiro round. Agora é esperar o inquérito ser concluído.


Nota oficial

Horas depois do incidente, a Santa Casa divulgou uma nota oficial assegurando apenas que irá colaborar com todas as investigações. Mas não quis se precipitar analisando fatos que vieram a público durante a Operação´´Iscariotes´´. 

A crise chegou 1

O governo de Alagoas bem que tem se esforçado para superar as dificuldades, mas sabe que é quase impossível obter resultados animadores imediatamente. Em cinco meses de governo o que se viu foi aumentar os problemas, com servidores insatisfeitos com a política salarial e impotência da administração pública em melhorar a saúde, educação e a segurança pública.


A crise chegou 2

Embora a segurança pública tenha apresentado resultados satisfatórios nesses últimos meses, ela está longe do desejado pela população. Os assaltos continuam, os ladrões fazem a festa nos bairros da periferia e os assassinatos não estacaram como era o esperado.


Mais economia

O governo tem feito muitos cortes nas despesas, mas em tempo de crise precisa fazer mais, a exemplo da contratação sem licitação de jatinho nos deslocamentos de Renan Filho para Brasília e outras capitais do país.


Com a barriga

Renan Filho, bom de papo, sintonizado com os problemas do Estado, empurrou habilmente para a próxima semana uma nova audiência com sindicalistas para tratar dos reajustes salariais. Mas já alertou das dificuldades vividas e a Lei de Responsabilidade Fiscal. Ou seja, o servidor público não deve esperar muita coisa do governo.


Fumacê

A marcha pela legalização da maconha, vejam só, terminou com um fumacê danado na via pública, na semana passada. Os apreciadores da erva reclamaram da ação da polícia, mas ficaram indiferentes ao incômodo causado à população.InfernizandoO senador Fernando Collor decidiu não deixar em paz o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Já lhe sapecou várias denúncias e representações, complicando a renovação de um possível mandato do procurador. 


Indiferente

Ao levar centenas de mudas de árvores para o Conjunto Benedito Bentes, o prefeito Rui Palmeira dava sequência ao projeto de arborizar todos os bairros da cidade de Maceió. O projeto foi defendido pelo vereador Sílvio Camêlo, do Partido Verde, que acompanhou e aplaudiu a ação da prefeitura.


Observação

De um observador sobre as eleições municipais do próximo ano principalmente em Maceió: ´´quem não tem partido não pode se habilitar ao cargo.´ 


Haja candidatos

Maceió já tem, pelo menos, uns cinco candidatos a prefeito. De Sérgio Toledo a Cícero Almeida a lista é grande, isso sem falar em Rui Palmeira que deverá disputar a reeleição. Se alguns não querem, pelo menos estão na mídia, tendo o nome divulgado com frequência para tentar outros saltos em eleições futuras.


Nas mãos dos outros

O deputado federal Cícero Almeida tem a pretensão de retornar à prefeitura de Maceió. Mas precisa, antes de tudo, formar um grupo que lhe dê sustentação política, já que ele sabe que andorinha só não faz verão. Num partido sem grandes expressões, o PRTB, a não ser ele mesmo, Almeida pecou em não tomar conta de uma legenda no Estado. 


CPI do futebol

Depois das denúncias de corrupção em contratos que terminaram atingindo a CBF, a CPI do Futebol terá a grande oportunidade de desvendar os grandes mistérios de denúncias de superfaturamento de obras durante a Copa do Mundo e naturalmente das engenharias feitas para viabilizar transmissão e competições esportivas em níveis nacional e internacional. Queira Deus que as denúncias não cheguem para as entidades regionais.

Sem chances

Nos bastidores políticos se comentam que não existe nenhuma chance de aproximação política entre Renan Filho e Rui Palmeira com vistas a uma composição nas eleições em Maceió no próximo ano. Como também a impossibilidade de dobradinha entre Renan Calheiros e Benedito de Lira. O que se comenta como mais provável, é a aproximação do presidente do Senado com o ex-governador Téo Vilela.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia