Acompanhe nas redes sociais:

23 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 824 / 2015

09/06/2015 - 20:44:00

REPÓRTER ECONÔMICO

JAIR PIMENTEL - [email protected]

“Apertando o cinto”

Não tem escapatória: Ou reduz gastos ou vai se endividar cada vez mais, caminhando para o “fundo do poço”, situação que pode levar qualquer um para a falência total, sem retorno. Os juros estão subindo a cada mês, assim como os preços, exigindo “economia de guerra” para conseguir sobreviver. Assim, evite os juros de cartão de crédito, cheque especial, empréstimo bancários e pague em dia suas contas. Estamos caminhando para o fim do segundo trimestre do ano, com o país em recessão: queda na produção, desemprego e elevada inadimplência. Os preços dos serviços essenciais: energia, água, telefone, continuam subindo, assim como combustíveis, alimentos, material de limpeza e higiene. Vá mudando seus hábitos de consumo. Aprenda a viver de acordo com o que ganha. PesquisandoAo se dirigir a um supermercado, leve a lista de compras e só compre o que estiver listado, não se incomodando com promoções, a não ser que seja de um produto anotado e com preço inferior ao da compra anterior. Nada de comprar por impulso. Também não compre com pressa. Vá em dias de folga do trabalho, para ter condições de visitar todas as prateleiras e checar os preços. 


Alimentos

Ítem de consumo essencial que aumenta de preços constantemente. Ou é problema climático ou mesmo por ganância do vendedor. Portanto, procure pesquisar em vários pontos de venda ou mesmo substitua o produto por outro, desde que contenha o mesmo teor nutricional. Prefira os orgânicos, sem qualquer produto químico. 


Tudo à vista

Não se admite comprar comida a prestação (via cartão de crédito). Esse tipo de crédito é essencial quando se pode pagar o valor total da fatura no dia do vencimento. Se amortizar, vai pagar juros altíssimos e pode ficar impagável. Compre tudo pelo cartão de débito ou dinheiro em espécie.


Empréstimo

As financeiras e bancos oferecem prazos de até mais de cinco anos para pagamento de empréstimo em dinheiro, tudo muito prático e prestações de um valor que você acha pouco, mas que no final chega a um valor altíssimo. Só num caso de extrema neessidade deve utilizar esse tipo de crédito, que, claro é melhor do que recorrer a um agiota. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia