Acompanhe nas redes sociais:

21 de Setembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 823 / 2015

09/06/2015 - 16:52:00

Jucá manda promotor de Mata Grande apurar denúncias contra o prefeito

Jacob e Júlio Brandão, que preside a Câmara, serão investigados por uma série de acusações, inclusive improbidade administrativa

João Mousinho [email protected]

Esta semana o Ministério Público Estadual (MPE) determinou, através do procurador-geral de Justiça, Sérgio Jucá, em publicação no Diário Oficial do Estado, que as denúncias contra o prefeito de Mata Grande e o presidente da Câmara local, os irmãos Jacob Brandão (PP) e Júlio Brandão (PP), respectivamente, sejam apuradas pela promotoria da cidade.

 Casos de improbidade administrativa e malversação de contratos públicos são alguns dos pontos a serem investigados. Um dos acontecimentos emblemáticos e de conhecimento público, que se tornou alvo de processo que tramita na justiça, é calote no empresário Kleber Malaquias de Oliveira que já ultrapassa R$ 350 mil. Kleber firmou contrato com a prefeitura sertaneja com dispensa de licitação para locação de quatro automóveis: Gol, Uno, Celta e Palio para prestação de serviços na Secretaria de Saúde do Município, mas até hoje o acerto  nunca foi honrado totalmente.

 Em recente entrevista para o jornal EXTRA, o empresário fez revelações: “Tomei conhecimento que após não receber os cheques referentes os contratos repassados e assinados pelo prefeito Jacob Brandão e o então secretário de Finanças, Gabriel Brandão, primo do chefe do executivo, o vereador presidente da Câmara, Júlio Bandão, começou a se apropriar de forma ilegal dos cheques nominais que deveriam ser recebidos por mim”.  

Kleber ainda contou que os saques mesmo nominais a ele foram feitos na agência do Banco do Brasil de Mata Grande, todos de forma ilegal, “criminosa”, como ele classifica. As denúncias do empresário foram encaminhadas para o Ministério Público Estadual, Gecoc e recentemente, no dia 18 de maio, para Câmara Municipal de Mata Grande.

“Dei ciência para os parlamentares, já que são os agentes fiscalizadores do poder Executivo e dos atos dos seus pares, para que tomem as providências cabíveis contra Jacob Brandão e Júlio Brandão”. Kleber Malaquias de Oliveira destacou que a conivência do Legislativo pode incorrer em crime.

“Vou aguardar as apurações do Ministério Público Estadual. As provas são robustas. Espero sinceramente que os responsáveis por lesar o erário de Mata Grande sejam responsabilizados”.  O documento encaminhado por Kleber para Câmara de Mata Grande relaciona: “infrações político administrativas, crimes de responsabilidade, atos de improbidade administrativa, como desrespeito à lei de licitações, danos ao erário, alienação de bem público com ilegalidade, crimes praticados por servidores públicos, crimes cometidos contra o patrimônio público e falsidade ideológica”. 

Mais denúncias 

No mesmo dossiê encaminhado para Câmara, há uma denúncia do Sindicato dos Professores que afirma: “Aconteceu desvio e saques na conta destinada aos descontos do INSS de funcionários da Educação”. Kleber solicita aos membros do parlamento local, o mesmo do qual um dos denunciados - Júlio Brandão - faz parte, que os vereadores solicitem as prestações de contas das verbas federais destinadas aos programas sociais do município. Por fim, o empresário pede que sejam apurados os contratos de shows no município, todos com dispensa de licitação e segundo ele superfaturados. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia