Acompanhe nas redes sociais:

15 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 822 / 2015

28/05/2015 - 11:50:00

Gilson Dangel concorre ao título de Patrimônio Vivo de Alagoas

Artista nascido no Jacintinho se autodenomina como embaixador da arte, da cultura e do folclore

Maria Salésia [email protected]

Gilson Dangel é daquelas pessoas que não passam despercebidas pela vida. Vestido com as cores da bandeira de Alagoas e o peito encoberto por bottons que representam os principais municípios do Estado, além dos maiores times de futebol alagoanos, ele se orgulha em dizer que é o embaixador da arte, da cultura e do folclore local. Para completar seu estilo folk pop, exibe nos ombros dragonas- como se fosse um verdadeiro marechal- além de conservar na cabeça um cap (boné) branco, com fitas coloridas em homenagem ao guerreiro alagoano.

O óculos escuro é outra alegoria à parte. E é esta figura cheia de estilo que busca o título de Patrimônio vivo de Alagoas.Capacidade para carregar esta responsabilidade não falta a este artista genuinamente alagoano, nascido no bairro do Jacintinho, em Maceió.

Gilson tem conhecimentos e técnicas suficientes que preservam aspectos da cultura alagoana, além do que participa de atividades culturais há mais de duas décadas e o que mais gosta de fazer é transmitir estes conhecimentos às pessoas.Gilson Dangel se orgulha em dizer que se alfabetizou logo cedo e foi escrevendo cartas para pessoas que não sabiam ler, nem escrever em troca de bolo, doces e alguns trocados que surgiu o gosto pela poesia, pela arte. Os gibis e revistas que a mãe trazia das casas em que trabalhava também contribuíram para sua aprendizagem.

Mas foi na década de 1980, quando participou de reuniões do Grupo Vivarte que Gilson aprimorou seus conhecimentos. Ele relembra do apoio recebido, na época, de Ricardo Maia, Dalton Costa, Judivam Lopes e Maria Amélia Vieira.Dangel tem dois livros publicados: Estrelas na Lama (livro de poesia de auto-ajuda) e A Nova Alagoas- História de um paraíso- onde mostra a beleza e reivindica melhorias para o povo sofrido do Estado. Também fez músicas para alguns municípios alagoanos, todas enaltecendo o que de melhor cada lugar tem. E foi após sua passagem pelo Vivarte que decidiu criar o personagem Mestre Embaixador de Alagoas. Ele utiliza este lado para fazer palestras a jovens em recuperação e outros públicos afins.


PALHAÇO DO LIXO

Inquieto desde criança, anos depois Gilson incorporou o papel de palhaço educador. O palhaço do lixo, personagem que busca conscientizar as crianças sobre a preservação ambiental, leva sua mensagem pela cidade afora. Ele escreve poemas e músicas sobre a natureza e ensina que educação ambiental deve começar cedo na vida das pessoas. E a maior parte de seu tempo livre faz  palhaçadas ecológicas, através da música e poesia.

Voluntário, diz que seu maior desejo é levar a música e a poesia para o mundo aprender a preservar a natureza, tudo através desse personagem. A fama do palhaço poeta se espalhou. E o maior orgulho desse personagem que usa peruca e maquiagem carregada e se veste com roupa carregada de materiais recicláveis, tudo encontrado no lixo, é levar sua mensagem simples e direta.  “Na escola, conscientizo as crianças sobre educação ambiental para que sejam agentes multiplicadores”, ensinou.

Dangel também fez uma música homenageando os 200 anos de Maceió e diz que amizade não tem preço. E como gosta de viver livre, cita um de seus poemas: “Liberdade é fazer tudo aquilo que a consciência não adoeça, acordar no outro dia tranquilo em busca que seus sonhos aconteça”. E na tentativa de um mundo melhor e mais espaço para a arte, o Dangel palhaço ou Embaixador de Alagoas segue sua caminhada. Para mais informações basta ligar para (82) 8744-5344.

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia