Acompanhe nas redes sociais:

18 de Novembro de 2018

Outras Edições

Edição nº 818 / 2015

29/04/2015 - 15:39:00

Grupos políticos começam a rivalizar disputa por prefeituras

Do litoral ao sertão, nomes para 2016 começam a ser colocados nas ruas

João Mousinho [email protected]

As disputas para prefeito e vereador serão apenas em 2016, mas nos bastidores da política só se fala em alianças, nomes de possíveis candidatos e até supostas traições.  

O litoral norte de Alagoas é uma das primeiras regiões a sentir o clima das eleições. As cidades de Paripueira e Barra de Santo Antônio estão marcadas pela forte influência política de dois grupos que devem rivalizar o controle dos executivos locais. Em Paripueira Abrahão Moura (PP) não pode ser mais candidato a prefeito, já que exerce o segundo mandato. Porém o grupo político encabeçado pelo gestor tem dois nomes que podem sucedê-lo: Alexandre Mendonça, atual presidente da Câmara, e Haroldo Nascimento, seu vice-prefeito. 

O atual prefeito de Paripureira considera os dois nomes de qualidade e gabaritados para continuar sua gestão, que ele avalia como positiva. Os adversários políticos e outros grupos que detêm o poder em outras partes do litoral norte parecem também se interessar pelo balneário, como é o caso do prefeito da Barra de Santo Antônio, Rogério Farias (PSD).

Rogério ainda não assumiu publicamente o interesse em disputar a Prefeitura de Paripueira, mas um nome do clã é especulado para concorrer em 2016: Simony Farias, uma das filhas do prefeito. Paripueira seria mais uma cidade dominada pela família Farias, que atualmente também lidera Porto de Pedras, com a prefeita e filha de Rogério, Camila Farias (PSC). Durante os festejos de Semana Santa a filha de Rogério foi vista em Paripueira, circulando, promovendo encontros sociais, um indicativo de que mais uma filha do prefeito da Barra pode estar de fato com interesses em uma candidatura majoritária.

Quem teria implodido a “boa relação” entre os atuais prefeitos foi Rogério ao tentar repetir o êxito de Porto de Pedras, mas dessa vez em outro município. O contra-ataque de Abrahão Moura foi rápido: a empresária e esposa do prefeito, Emanuella Moura, que pediu votos para deputado na última eleição na Barra de Santo Antônio. Sua disposição política e trânsito com os populares a fez almejar o cargo de prefeita na localidade, onde é benquista. 

O jornal EXTRA falou com a empresária, que disse que estava com uma semana corrida e colocou Abrahão à disposição para falar sobre eleições. “Emanuella é um bom nome para Barra, uma pessoa trabalhadora. Se o povo quiser e houver uma unidade em torno de sua candidatura não vejo dificuldade para ela se lançar”, destacou Abrahão. 

O prefeito de Paripueira foi questionado se há rivalidade, uma rixa entre ele e Rogério: “Sou muito light quanto a isso. Paripueira, Barra, nenhum município tem dono. Quem quiser pode ser candidato aqui (Paripueira) ou lá (Barra de Santo Antônio); a população simplesmente vai avaliar as gestões e votar no que entender que é melhor”, salientou.


Clima quente no Sertão 

O prefeito de Canapi e vice-presidente da Associação dos Municípios Alagoanos (AMA),  Celso Luiz (PMDB), não esconde de ninguém o desejo de comandar novamente o município de Mata Grande.  A cidade sertaneja é comandada atualmente pela família Brandão, que tem como prefeito Jacob Brandão (PP).

Em sua primeira eleição, ele foi o chefe de executivo municipal mais jovem a ser eleito no pleito de 2012 em Alagoas. O clima de acusações e denúncias tomam conta do Sertão alagoano, como numa pré-campanha já declarada entre Celso e os Brandão. A disputa promete ser polarizada e o discurso inflamado já toma conta do eleitorado e dos caciques políticos locais que começam a costurar suas alianças. 

Comentários

Curta no Facebook

Siga no Twitter

Jornal Extra nas redes sociais:
2i9multiagencia